01/12/2013

Marcos 13.24-37 - 1º Domingo de Advento - 01.12.2013

Caderno de Cultos 2013

1°/12/2013 - 1° Domingo de Advento
Is 64. 1-9; 1 Co 1. 3-9; Pregação: Mc.13.24-37
P. Paulo Marcos Jahnke – Vila Rica

LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA
Bom dia! Nos reunimos como assembléia do povo, por nosso Deus convocado, neste PRIMEIRO DOMINGO DE ADVENTO, para trazer à memória o que nos dá esperança, para celebrar e afirmar a vida que se reNOVA. Sejam bem-vindos/as!

Acolher os/as visitantes

CANTO DE ENTRADA
Bem de manhã (HPD I, 107)

Ou: Nº ____________________________________________________

SAUDAÇÃO APOSTÓLICA
A graça de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos e todas vós.

CANTOS DE INVOCAÇÃO
Em tua presença (HPD II, 473)

Ou: Nº ____________________________________________________

CONFISSÃO DE PECADOS
Na presença de Deus confessamos nossos pecados.
Oficiante (O): Fechamos os olhos porque queremos olhar para nosso interior.
Comunidade (C): Ali, no mais profundo do nosso ser, temos culpas...
O. Pelo bem não realizado,
C. pela falta de coragem,
O. pela inveja e arrogância,
O. pelo desprezo ao que é diferente...
C. Ali, no mais profundo do nosso ser,
O. reconhecemos nossa pressa em julgar,
C. nossa impaciência em escutar,
O. nossa falta de esperança na promessa viva de Deus...
C. Toca no mais profundo de nós, nossos sentidos e razão, ó Deus!
O. Move nossas entranhas para que se produza mudança em nós,
C. e que a verdadeira conversão, a partir de Cristo Jesus, vitalize nossos órgãos, areje nossos pensamentos e amplie nossa visão.
O. Para contemplar a Ti, Tua glória, Teus desígnios!
C. Para servir a Ti, servindo a toda Tua gente!
O. Para festejar Teu nascimento e nosso próprio renascimento em Ti!
Todos/as: AMÉM.

ANÚNCIO DO PERDÃO
Assim diz o Senhor: “Se tu te arrependeres, eu te farei voltar e estarás diante de mim.” (Jr 15.19). Antes de tudo e de todos está o AMOR de Deus. Ele nos criou, deu vida e permite que multipliquemos vida. Pelo Seu amor que faz novas todas as coisas, confiamos no perdão de nossos pecados. Amém.

KYRIE
Elevemos a Deus a nossa suplica pelo mundo e suas Dores, lembrando que há muita gente que passa por dificuldades e não consegue celebrar e se preparar adequadamente para celebrar o Natal de Jesus Cristo. Pelas dores deste mundo...

ORAÇÃO DO DIA
Abre, ó Deus, nosso ser para entendermos Tua Palavra. Assim como tocaste profundamente vidas que testemunharam Tua ação salvífica ao longo dos séculos, inspira-nos, hoje, como indivíduos e como comunidade de fé, a compreender como e onde operas os Teus sinais, como e onde operas novidade de vida...
Cristo, teu chamado permanente e o prenúncio de Tua Encarnação, nesse Tempo de Advento, perturbam nossas vidas ordenadas. Dá-nos quietude para o preparo de nossos corpos e de nossos lares para receber-te. Dá-nos Tua Graça para renunciarmos o que não serve mais e coragem para seguir-Te, com mãos e espaços vazios, para onde Tu nos levares. Que a voz do Evangelho – a Palavra que se faz carne e habitou entre nós – chegue aos confins da terra. Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

LEITURAS BÍBLICAS
1ª Leitura Bíblica: Isaías 64. 1-9

2ª Leitura Bíblica: 1 Coríntios 1. 3-9.

3ª Leitura Bíblica: Marcos 13. 24-37

CÂNTICO INTERMEDIÁRIO
Nº - Hinário – Título do Hino

PREGAÇÃO (baseada em Mc 13. 24-37)
No capítulo 13 do Evangelho segundo Marcos, podemos perceber Jesus em Jerusalém, depois de convidar todos aqueles que quisessem segui-lo verdadeiramente a subir com Ele, preparando seus seguidores a se prepararem para a destruição iminente de Jerusalém, não somente da cidade, mas também do mundo. Jesus passa a alertar a respeito das perseguições, dos sofrimentos e, fundamentalmente, da necessidade deles permanecerem firmes no testemunho da fé, pois o Espírito Santo os guiaria dando-lhes as palavras certas a serem ditas.
Jesus alerta para o fato ainda de que quando essas coisas tiverem seu início, que eles não voltem para buscar nada, pois o tempo terá chegado a seu fim. Essa atitude de ficar preso aos valores sejam eles materiais ou espirituais (culturais), assim remetendo ao episódio da Mulher de Ló, é a atitude que indica certa prisão ainda a este mundo e sua lógica.  Ele não alerta simplesmente, mas profetiza, uma vez que fala das coisas que ainda estão por vir.
Neste trecho do Evangelho, Jesus passa a falar de sua volta no último dia. Nesse dia, o Universo se desfará e um grande acontecimento abalará os céus, e todos o verão vindo sobre as nuvens com grande poder e glória. Nesse sentido, o tema do vigiar ganha preponderância, Ele alerta aos seus discípulos e discípulas que fiquem atentos e vigiem em todo e qualquer tempo, prestando atenção aos sinais da natureza e do mundo social e político. Jesus conclui dizendo que a ninguém é permitido desejar prever ou saber qual será aquele dia, pois nem mesmo o Filho do Homem, Ele, que ao abrir mão de sua divindade passou a também ficar dependente do Pai que tem esse dia guardado em seus planos.
No texto que se segue a este aparecem os planos dos grupos de lideranças religiosas que intentam matar Jesus e, consequentemente, os acontecimentos que se desenrolam a respeito desta intenção.
É possível percebermos nesse Evangelho uma estrutura que aponta para o fato de que Jesus está indo a Jerusalém e não permite que quem não aceite segui-lo até lá, venha a proclamá-lo, ou falar de seus milagres, suas curas, mesmo sendo objeto destas curas e libertações. Há um preço a ser pago para poder proclamá-lo, a saber, caminhar com Ele até a Cidade de Davi, pois lá Ele beberá o cálice que não deseja. O seguimento de Jesus exige compromisso.
O seguimento de Jesus está inserido nos acontecimentos que seguirão à sua volta, isto é, as dores deste mundo perpassadas pelas dificuldades de ser testemunha de sua ressurreição. Por isso, Ele indica que seus seguidores devem ficar atentos sempre. O evangelista sua palavras para enfatizar esse estado de espírito como afastar o sono, estar alerta e vigiar sempre.   
O que é mais necessário saber a respeito daquele dia é: vigiai! Para que a surpresa não venha a atacar com sua insuspeitabilidade as almas incautas, é imperativo que o espírito do cristão seja tomado da vigília. Esse estado de vigília não significa a ansiedade por um mundo que ainda não é presente e que se aguarda, nem mesmo se trata de uma imobilidade que prende o cristão e a cristã no medo do errar, no terror da perda da salvação pelo fato de viver-se, ou ainda ficar preso a certo legalismo do não pode isso não pode aquilo. Não, não se trata disso. O que está em questão, e Jesus vivenciou isso às últimas consequências, é a máxima: viva a cada dia como se fosse viver o seu último. E como se vive assim? Vive-se no amor ao próximo, no amor àquele imediato a nós, assim como nos ensina a Parábola do Samaritano. Esse próximo pode estar dentro de casa, no trabalho, no lazer, na igreja, em qualquer lugar. Ele se apresenta como aquele que exige de nós ação.
Vigiar tematiza o modo como lidamos com o presente. Tematiza o modo como lidamos com a lógica deste mundo. Vigiar aponta para a maneira como lidamos com as questões que caem em nosso colo, com as problemáticas do dia a dia, com as querelas cotidianas, e, acima de tudo, com a forma que nos relacionamos uns com os outros. Vigiar, segundo o Evangelho, é amar o próximo sabendo que pode ser o último dia que o veremos, é dizer aquela palavra de carinho, de afeto, de solidariedade, de encorajamento, é também ser cordial e amável, tolerante com a agressão daqueles que estão atacando ou se defendendo, sem saber que o melhor é o diálogo aberto e amigável. Vigiar significa prestar atenção no outro, pois é nele que o Senhor disse que estaria quando um pequeno gesto de carinho e amor fosse praticado (MT 25).
Os sofrimentos que terão lugar naqueles dias terríveis podem ser vividos de uma maneira ou outra; podem ser vividos solidária ou egoisticamente. O voltar-se atrás para buscar alguma coisa, indica o modo com que se busca realmente as coisas do alto, que são as coisas do amor. O universo será destruído. Jesus aparecerá com seu poder e glória. Muitos ignoram os sinais do Senhor. Ninguém sabe o dia nem a hora do Julgamento. E é necessário vigiar. Assim o evangelista relata a tradição ao redor daquela comunidade que é destinatária do Evangelho, viver o amor pelo próximo intensamente. Somente aqueles que querem vigiar podem subir até Jerusalém com o Senhor. Somente esses podem proclamá-lo, pois a proclamação exige que cada dia seja vivido como se fosse o último.
O vigiar é a maneira como os cristãos estabelecem relações com este mundo, um mundo condenado pela falta de amor, pela falta de solidariedade, pela falta de cuidado uns com os outros, com a natureza, com os animais. O cristão é aquele que é convidado à nova criação, uma criação que redime a natureza, não a destrói. Isso tem implicações, pois os cristãos se envolvem cada vez mais com a vida material e por conta disso, cooperam com a destruição do mundo criado por Deus. Vigiai e orai é o conselho do Senhor Jesus que nos alerta para o fato de que ninguém sabe o dia nem a hora. Isso é muito importante, porque o saber não está no domínio do tempo, mas na qualidade de sua fruição. Saber o dia e a hora não compete aos cristãos, o que lhes interessa é saber que nesse período em que vivemos nossa vida, e a volta de Jesus, o importante é a qualidade com que imprimimos nossos atos e ações. Qual a qualidade de nosso amor para com aquelas pessoas que estão conosco? Com a qualidade que eu imprimo em minha forma de trabalho, de lazer, de realização pessoal ou profissional? Como dizia Lutero, na qualidade de minha vocação eu vivencio a missão de Deus. Por isso, acima de qualquer coisa, não é o muito dizer, muito realizar que define nossa qualidade como cristãos, mas sim a maneira com que amamos a vida e ao próximo.     
É nesse espírito que o evangelista nos desafia a tomarmos a nossa vida. Vivamos intensamente esse amor como expressão do vigiar e orar, sabedores de que somente Deus sabe a hora e o dia. Amém. 

HINO
Erguei os arcos e triunfais (HPD I, 5)


CONFISSÃO DE FÉ
Não estamos sós, vivemos no mundo de Deus. Cremos em Deus que criou o mundo e atua nele, que veio em Jesus Cristo para reconciliá-lo e renová-lo. Confiamos em Deus, que nos chama a ser sua igreja, para amar e servir a nossos semelhantes, para buscar a justiça e resistir ao mal, para anunciar a Jesus, o Salvador, como nosso juiz e nossa esperança. Na vida, na morte e na vida além da morte, Deus está conosco. Não estamos sós! Assim, proclamemos nossa FÉ, a uma só voz, através do: CREDO APOSTÓLICO. Creio em Deus Pai, ...

CANTO PÓS CONFISSÃO (proceder motivação e o recolhimento das ofertas)
Na mesa do Senhor (HPD II, 419)

LITURGIA DE DESPEDIDA

AVISOS
Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Oferta último Culto: R$ _________ - destinada para ...
______________ _________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Motivos de Oração:
1. Aniversariantes
2._______________________________________________________
3._______________________________________________________
4._______________________________________________________
5._______________________________________________________
6._______________________________________________________
Senhor, Tu que queres que todas as criaturas sejam uma em Ti: te rogamos pela unidade de Tua Igreja. Perdoa nossas divisões devidas a nosso orgulho e incredulidade, à nossa falta de compreensão, de esperança e de amor. Não permitas que nos acostumemos a nossas separações. Não permitas que consideremos como um fato normal aquilo que é um escândalo para o mundo e uma ofensa a Teu amor.
Mantém viva em nós a consciência do pecado que separa aquilo que Tu tens unido. Livra-nos de nossa estreiteza de espírito, de nossos rancores e maldades. Ensina-nos a reconhecer os dons de Tua graça em todas aquelas pessoas que se amparam em Ti. Fortalece nossa fé em Tua Palavra, nos mantenha vivos e alertas, e prepara-nos para receber-Te e servir-Te sempre.
Com Tua força, Senhor, reúne Tua grei dispersa com a proteção de Seu Bom Pastor, Teu Filho, a fim de que se cumpram os desígnios de Teu AMOR e para que o mundo reconheça que Tu és o único e verdadeiro Deus.
Pai Nosso que estás nos céus, tu que nos dás nosso pão no dia de hoje, volte nossos olhares e nossos corações para todas aquelas pessoas que no mundo na têm pão nem lar, nem justiça nem esperança. Perdoa nossas dívidas e especialmente nossa necessidade insaciável de ter, de não querer carecer de nada, quando outros carecem de tudo.
Ajuda-nos a viver com simplicidade, a vencer as necessidades imaginadas e nossos gastos somente em nosso favor. Recria-nos, continuamente, de maneira que possamos ter muito mais espaço em nosso ser e em nossa vida para compartilhar mais e amar mais.
Dessa forma, seremos irmãos e irmãs, e trabalharemos contigo para que TEU REINO venha, na terra como no céu, para que tua vontade seja feita no mundo... Pai Nosso...
PAI NOSSO
Pai nosso ...

BÊNÇÃO

O: Em nossos corações e casas...
C: haja BÊNÇÃO de Deus!
O: Em nosso ir e vir...
C: haja PAZ de Deus!O: Em nossa vida e em nosso ser, pleno de esperança,..
C: haja AMOR de Deus!
O: Em nossa despedida...
C: se estendam os braços de Deus para nos guiar e proteger.
Todos/as: AMÉM!

ENVIO
Vigiai e Orai! Vão em paz e sirvam ao Senhor com alegria.

CANTO FINAL
Deus vos guarde (HPD I, 118)

 


Voltar Imprimir

Informações


Autor(a): Paulo Marcos Jahnke
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo do Natal
Natureza do Domingo: Advento
Perfil do Domingo: 1º Domingo de Advento
Título da publicação: Caderno de Cultos - Sínodo Mato Grosso / Ano: 2013
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 23175


© Copyright 2014 - Todos os Direitos Reservados. -IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br