Pe. Élio da Silva Athayde (*1935)

Obra e Biografia

29/06/2012

Pe. Élio da Silva Athayde (*1935) – HPD nº 368

O cântico “Paz, Paz de Cristo” (HPD nº 368) é do Pe. Elio da Silva Athayde e encontra-se nos CD’s “Canções Para Orar 4” das Edições Paulinas e “Alvorecer” das Edições Paulus. A Música é usada na liturgia para o Abraço da Paz.

Pe. Élio da Silva Athayde, C.Ss.R. nasceu em 10 de dezembro de 1935 em Congonhas, MG. É de família humilde, que costumava fazer música “profana”. Logo que Élio ingressou no Seminário, um padre holandês lhe deu lições de violino. Eram somente básicas (amadoras), mas chegaram a tocar peças clássicas e participar de um Coral bem razoável, para a época. E o padre holandês inventou de colocá-lo como regente da banda de música do seminário, mesmo que Élio só “arranhava” o violino. Depois de formado ele foi enviado para Juiz de Fora, MG. E o seu violino o acompanhou. (Veja o parágrafo de “Batina preta”).

Pe. Élio recebeu a Ordenação Sacerdotal na Congregação Redentorista / Província de Rio de Janeiro, em 29 de janeiro de 1961. - A vida de padre ele começou em Santa Rita do Sapucaí, no Sul de Minas Gerais. Ali participou do Coralzinho. Depois voltou para Congonhas como professor que no seminário lecionava Português, Francês e Música. Lá fundou uma orquestra de câmara tentou aperfeiçoar-se no violino e começou a estudar harmonia com um professor que não era dos melhores.

Após 8 anos foi transferido para Coronel Fabriciano, MG, perto de Ipatinga. Ali teve a sorte de conhecer um músico (pianista) cego – Faustino Amarante da Costa – de uma competência invejável. Esse havia estudado no Instituto São Rafael, em Belo Horizonte, e estimulou o Pe. Élio a compor músicas. Começaram, então, a jorrar melodias e mais melodias. Baseado nelas o Faustino fez enriquecedores arranjos, ao piano. Chegaram a gravar dois discos de vinil. O catarinense Pe. José Weber1 e a gaucha Irmã Miria Kolling2 lançaram as melodias do Pe. Élio no cenário sacro nacional. - Foi nesta época que nasceu a canção “Paz, paz de Cristo “ (HPD 368).

Depois de ca. de 10 anos em Coronel Fabriciano o Pe. Élio foi transferido novamente para Juiz de Fora. Ali colaborou na Orquestra Filarmônica como violinista de 2º violino. Desde 2001, é missionário na Diocese de Itaguaí, na periferia de Angra dos Reis, RJ. Atualmente (=2010), reside na cidade de Seropédica, RJ. (Paróquia Santa Terezinha).


“Batina preta”. 

O escritor Vicente de Paulo Clemente3 de Juiz de Fora, MG, recorda episódios com o jovem Pe. Élio em http://www.paroquiadagloria.org.br/?pagina=interna&id=33 :

Padre Élio Athayde era novato e recém saído do Seminário, ainda novinho, fora enviado para a Comunidade de São Vicente de Paulo, na Borboleta4 , que à época fazia parte da grande família Redentorista, nos anos 60. Muito comunicativo e sorridente, procurava se dar bem com tudo e com todos. Um belo dia, juntou a meninada e juntos foram até ao campo de futebol do Sport Club Borboleta, lá no alto do bairro. Arregaçou a batina, amarrando-a aos quadris e entrou na “pelada” com a molecada, que vibrava com isso. “O padre jogando bola conosco”! Era a Glória (sem trocadilhos e com todo respeito).Voltou todo empoeirado e sua batina de preta passou à marrom-amarelo. Vez por outra almoçava em nossa casa, que se situava bem defronte a Igreja. Era como se fosse mais um filho do casal Antonia e Valentim Clemente, o oitavo, já que lá morava o casal e mais os sete filhos. Sentados à mesa era realmente uma grande família, entre garfadas e risadas.Depois do almoço, Pe. Élio ia para a sala e rodeado por todos, sacava de um estojo seu violino e nos brindava com valsas e polcas, as preferidas de todos. Ficava admirado com o pozinho branco que saía das cordas do violino e sujava a negra batina do jovem padre. Foi um bom tempo aquele que desfrutamos, nossa família e Padre Élio Athayde. Por tudo isso, damos Graças a Deus.

Fontes: http://www.provinciadorio.org.br/?pagina=alem http://ministerio-ressurreicao.blogspot.com/2010/06/paz-paz-de-cristo-pe-elio-athayde.htm

Contato: Rua Profª. Silvia Pereira, 17 – Seropédica, RJ. Cep.: 23863-760 telefone é: (21) 2682-1001.

Como nasceu o cântico: “Paz, paz de Cristo”?

O próprio Pe. Élio Athayde conta a respeito do tempo em que ele trabalhou em Coronel Fabriciano, MG, onde, estimulado por um músico cego, desenvolveu o dom musical: > Ah! Sim, a “Paz de Cristo” nasceu, paradoxalmente, de uma mágoa de uma senhora a quem tive de negar um certo serviço pastoral. E então ela me disse: “Eh! Padre, o mundo dá muitas voltas!” – como me ameaçando... E eu fiquei com aquilo na cabeça, e em 5 minutos brotou a melodia e a letra. Só faltava ainda o início, que eu completei no dia seguinte “Paz, paz de Cristo”.<

Fonte: Correspondência do próprio Pe. Élio Athayde (de 25-08-2010).

Comentário da Irmã Miria Th. Kolling: > Conheço Pe. Elio Athayde, e fui eu quem colocou partitura no “abraço da paz” e ensinou pelo Brasil afora este canto bonito dele, que com outros, estava num LP... Ele é muito bom, porém não lê nem escreve partitura, o que é sempre uma pena...< (e-mail de 26-08-2010).
 

Notas:

1  Pe. José Weber, nasceu 1932 em Rio do Meio, Munc. de Anitápolis, SC. De 1967-78 trabalhou em Rio de Janeiro para a CNBB na área de Música Sacra no Brasil. Ele é Doutor de Música Sacra. Atualmente ele se dedica só à música, sempre compondo, dando palestras e cursos de música litúrgica. http://www.weber-ruiz.com/weber/jose_henrique_weber.html

2 Ir.Miria Terezinha Kolling nasceu 1939 em Dois Irmãos, é musicista e compositora, a serviço da música litúrgica. Trabalhou muitos anos em Santos, SP. Desde 1989 reside em São Paulo, SP, mas exerce suas atividades litúrgico-musicais pelo Brasil todo, ministrando Encontros de Liturgia e Canto Pastoral. www.irmamiria.com.br 

 3 O contador e advogado Doutor Vicente de Paulo Clemente, nascido na cidade de Juiz de Fora (MG) em 21 de novembro de 1945, é formado em Ciências Contábeis, tendo concluído sua formação acadêmica em 1968. Em continuidade, e visando o necessário e constante aprimoramento do aprendizado, formou-se advogado em 1980. Ele é autor de diversas obras literárias, em sua maioria, envolvendo a imigração alemã iniciada em 1858.

4 Bairro em Juiz de Fora, MG
 


Autor(a): Leonhard Creutzberg
Âmbito: IECLB
Natureza do Texto: Música
Perfil do Texto: Autor Letra
ID: 17125
REDE DE RECURSOS
+
Um pregador deve estar ciente que Deus fala pela sua boca. Caso contrário, é melhor silenciar. 
Martim Lutero
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br