1º Domingo na Quaresma - 1 Pedro 3.18-22

Caderno de Celebrações 2021 - Sínodo da Amazônia

17/12/2020

 

21/02/2021 – 1º Domingo na Quaresma (Invocavit)
Pregação: 1 Pedro 3.18-22; Leituras: Gênesis 9.8-17; Marcos 1.9-15
P. Leomar Pydd – Comunidade Evangélica de Confissão Luterana Portal da Amazônia – Vilhena/RO

LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA
Deus em sua bondade nos acolhe novamente para estarmos reunidos e reunidas em sua presença. Sejam todos bem-vindos! Sejam todas bem-vindas.

Também queremos acolher com especial carinho os irmãos e as irmãs que nos visitam. Que conosco estão aqui na presença de Deus. (Se possível pode-se citar o nome dos visitantes e das visitantes).

CANTO DE ENTRADA
Nº 581 - LCI – Deus sempre me ama (Hinário Luterano da Amazônia Nº 209)

SAUDAÇÃO
Nos reunimos em nome de Deus, que tem amor de pai e mãe para conosco. Em nome de Jesus Cristo nosso Salvador. E em nome do Espírito Santo, o nosso consolador e auxiliador.

“Jesus respondeu ao tentador: Está escrito: Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus” (Mt 4.4)

CANTO DE INVOCAÇÃO
Nº 365 – Hinário Luterano da Amazônia – Vem, Espírito Santo

CONFISSÃO DE PECADOS
Senhor Jesus Cristo! Nestas semanas nos lembramos novamente da luta e sofrimentos que tiveste que enfrentar para nos comunicar a mensagem da misericórdia de Deus. Sabemos que temos dificuldades em entender adequadamente o amor que tens por nós. Quando dores e contrariedades nos fragilizam, muitas vezes, deixamos de viver e confessar a nossa fé com coerência. Temos dificuldades de perceber batizados e batizadas como irmãos e irmãos. Pedimos-te perdão!

Nº 35 – LCI – Perdão, Senhor, perdão!


ANÚNCIO DO PERDÃO
“O Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos. Aquele que nos ama e, pelo seu sangue nos libertou de nossos pecados... a ele seja a glória e o domínio para todo o sempre. Amém” (Mt 20.28; Ap 1.5,6).

KYRIE
Nós somos sarados e saradas pelas feridas do nosso Senhor Jesus Cristo. Levemos à sua presença irmãos e irmãs que padecem as dores presentes neste mundo. (Aqui podem ser nomeadas algumas situações de sofrimento).

Nº 56 – LCI – Pelas dores deste mundo

GLÓRIA IN EXCELSIS
(Obs.: Por estarmos no tempo litúrgico da quaresma, o “Glória in excelsis” pode ser omitido. Assim indicamos que estamos em tempos de dúvida, de inquietação).

Deus nos perdoa, nos escuta, ouve nossos clamores e fortalece nossa fé com sua palavra. Por isso, glorifiquemos o seu nome, cantando:

Nº 70 – LCI – Glória a Deus nas alturas

ORAÇÃO DO DIA
Graças te damos, amado salvador Jesus Cristo, porque sempre ainda continua válido: tua cruz é sinal de nossa redenção e reconciliação. Tua paixão é nossa salvação. Teu perdão vence o nosso passado, endireita o nosso presente e assegura o nosso futuro. Por causa disso, Senhor Jesus, nós te adoramos. Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

LEITURA BÍBLICA
Antigo Testamento: Gênesis 9.8-17

(Obs.: No tempo de quaresma, omitimos a aclamação do evangelho. Pode-se cantar um hino intermediário).

CÂNTICO INTERMEDIÁRIO
Nº 168 - LCI – Vede que grande amor

LEITURA BÍBLICA
Evangelho: Marcos 1. 9-15

CÂNTICO INTERMEDIÁRIO
Nº 164 - LCI – Seu nome é Maravilhoso

PREGAÇÃO
Texto da Pregação: 1 Pedro 3.18-22


Prezados irmãos! Prezadas irmãs!

Estamos iniciando o tempo da quaresma. Este tempo nos lembra a quarentena. Termo bem presente entre nós nestes tempos de pandemia. (Provavelmente até a quaresma de 2021 a pandemia ainda estará presente).

Após o seu batismo Jesus foi conduzido pelo Espírito Santo ao deserto. Permaneceu ali por quarenta dias. Durante este período foi tentado brutalmente por satanás, passou necessidades e muito medo. Da mesma forma, a quaresma nos lembra o período anterior a crucificação. Foi um tempo de muito sofrimento e de muita oração para Jesus Cristo.

Quaresma lembra tempos de sofrimento, dor, restrições, de tentações e provações. Lembra tempos de muita oração, perseverança e confiança na promessa de Deus. É para um tempo assim que o apóstolo Pedro escreve sua carta à sua comunidade. Mas, antes de olharmos para o nosso texto bíblico quero vos contar a história do senhor Jacó.

O senhor Jacó era um homem trabalhador. Possuía muitas habilidades. Trabalhava na lavoura com o plantio e colheita de cereais. Sabia criar bovinos. Tinha boa habilidade para planejar seus sonhos e fazer negócios. Era um homem disposto ao trabalho e ao convívio social. Também era bom esposo e pai exemplar. Participante em sua comunidade. Depois de muitos anos de trabalho realizou um de seus sonhos. Comprou um pequeno caminhão destinado ao transporte. Estava satisfeito. De bem com a vida.

No entanto, fatalidades sempre podem acontecer. Em uma das viagens o caminhão apresentou um problema e incendiou. Queimou todo. O senhor Jacó não conseguiu reagir. O senhor Jacó ficou muito triste. Decepcionado, amargurado! Sempre que lembrava do seu caminhão a tristeza lhe apertava o coração. Um dia, já cansado de sua tristeza, começou a pensar diferente. Começou a perguntar-se. Como eu cheguei a realizar o sonho do caminhão? E disse para si mesmo. Sou trabalhador. Tenho habilidades na agricultura e na criação de gado. Tenho habilidades para negociar. Sou bem relacionado na sociedade. Tenho fé. Tenho uma família que me dá suporte.

O senhor Jacó, confiante nesta sua autoimagem iniciou a caminhada novamente e, com perseverança, após um bom tempo, adquiriu um novo caminhão. Assim como olhamos para a história do senhor Jacó convido para olharmos a vida real das pequenas comunidades cristãs a quem o apóstolo Pedro enviou a sua carta. Estas pessoas viviam no império romano. Por terem aceitado o evangelho de Cristo, serem batizadas e batizadas, passaram a viver de forma coerente com a fé cristã. Reuniam-se para fazer suas orações, para meditar e conversar sobre o ensino de Jesus Cristo, para celebrar a Santa Ceia e cuidavam-se mutuamente. Glorificavam a Deus fazendo boas obras.

Isto despertou ira por parte de autoridades e por parte de segmentos da população. Ao lermos no capítulo dois, versículos onze e doze, veremos que comunidades e famílias cristãs eram perseguidas e seguidamente precisavam mudar-se para outros lugares. Eram como forasteiros, peregrinos e eram difamados. Diante desta situação acontecia, também, a tentação de voltar a praticar cultos religiosos e práticas de vida que haviam sido abandonadas. Esta era uma tentação real para aliviar o sofrimento. Deixar parte da fé cristã de lado para não sofrer represálias.

Este era o sofrimento e a tentação que estas pequenas comunidades e famílias cristãs estavam vivendo. Nesta situação o apóstolo Pedro lhes envia sua carta. Exorta os fiéis e as fiéis a se manterem firmes na prática da fé no dia a dia. Pedro diz: “... se for vontade de Deus, é melhor que sofrais por praticardes o que é bom do que praticando o mal” (1Pe 3.17). No trecho que lemos Pedro exorta cristãs e cristãos a confiarem em dois eventos de fé. A morte e ressurreição de Cristo e o batismo.

Jesus Cristo, o nosso salvador e redentor, carregou sobre si todas as nossas dores, morreu crucificado, o justo pelos injustos. Mas, foi vivificado no espírito. Isto é, ressuscitou de entre os mortos, venceu a morte e está entre nós com seu poder. Este Jesus Cristo também nos vivifica diariamente e nos leva diariamente para junto de Deus. Portanto, nenhuma dor, nenhum sofrimento nos afastarão do amor de Deus. Isto nos sustenta e nos dá perseverança e esperança. 

Por outro lado, somos batizados e batizados. Isto nos torna filhos e filhas de Deus, irmãos e irmãs. Somos uma família de fé. Portanto, continuemos nos acolhendo mutuamente, continuemos nos ajudando uns aos outros, continuemos nos defendendo mutuamente de perseguição e difamação. Nos tempos de Noé, o construtor da arca, Deus salvou um pequeno grupo através da água. Assim, também, Deus que nos batizou com a água nos salvará dos tempos difíceis e já nos salvou para sua eternidade. Crer e confiar na morte e ressurreição de Jesus Cristo em nosso favor. Crer no nosso batismo. Isto faz com que perseveremos na fé e tenhamos uma boa consciência para com Deus.

Prezados irmãos! Prezadas irmãs! Nós também passamos por tempos de quarentena. Por tempos mais difíceis e mais complicados na vida. Também temos períodos da vida que se parecem com o deserto no qual Jesus permaneceu quarenta dias e quarenta noites. Agora vem o convite e a exortação. Também nós devemos crer e confiar na morte e ressurreição de Jesus Cristo em nosso favor. Como diz o apóstolo Paulo aos Romanos: Se com Jesus Cristo sofremos, com ele também seremos glorificados.

Da mesma forma, também nós devemos dizer como dizia Lutero em seus sofrimentos: sou batizado. Ou como diz a apostolo Paulo no capítulo seis de romanos, versículo três e quatro. “Com certeza vocês sabem que, quando fomos batizados para ficarmos unidos com Cristo Jesus, fomos batizados para ficarmos unidos também com sua morte. Assim, quando fomos batizados, fomos sepultados com ele por temos morrido junto com ele. E isso para que, assim como Cristo foi ressuscitado pelo poder glorioso do Pai, assim também nós vivamos em novidade de vida”. Lembremos do senhor Jacó. Ele no seu infortúnio lembrou de suas habilidades. De sua força para reverter sua situação de tristeza.

Nós, em nossas quarentenas, precisamos lembrar do que somos em Deus. Deus nos dá uma identidade e, sobretudo, nos acompanha em todos os caminhos. Que possamos meditar sobre tudo isso nestes quarenta dias e quarenta noites na quaresma. Amém.

CANTO
Nº 160 – LCI – Como tu queres

CONFISSÃO DE FÉ
Nossas palavras e nossas atitudes concretas revelam quem somos e como vivemos. A fé também se expressa através de atitudes concretas e de palavras. Convidamos para confessarmos a nossa fé com as palavras do Credo Apostólico: Creio em Deus Pai...

OFERTA DE GRATIDÃO
Enquanto cantamos o próximo canto podemos fazer nossa oferta de gratidão. Esta oferta também é uma confissão de fé e se destina para...

Nº 405 – LCI – Agradecemos-te, Jesus

ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
(Pode-se recolher as motivações para a oração de intercessão antes de iniciar o culto. Entre estas motivações podem estar pessoas enfermas, enlutadas, situações de sofrimento ou gratidão, aniversariantes, entre outros).
1. Aniversariantes
2._______________________________________________________
3._______________________________________________________
4._______________________________________________________
5._______________________________________________________
6._______________________________________________________

Bondoso e eterno Deus! Conduz nossos passos para que nos aproximemos sempre mais de teu Filho Jesus Cristo. Faze com que percebamos seu sofrimento, sua luta neste tempo de sua paixão. Que em oração tenhamos comunhão com teu Filho nesta caminhada rumo a cruz.
Rogamos por teu auxílio em nossas fragilidades e em nossas tentações. Que a morte e ressurreição de Cristo em nosso favor e o nosso batismo nos deem perseverança na confissão e testemunho de fé.
(Aqui podem ser colocadas as motivações recolhidas antes do início do culto): PAI NOSSO.


LITURGIA DE DESPEDIDA

AVISOS
Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Oferta último Culto: R$ _________ - destinada para ...
______________ _________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

BÊNÇÃO
Motivação: Deus nos acompanha todos os dias. Também nos acompanha na quaresma. Recebamos a benção de Deus.
Deus vos abençoe e vos guarde;
Deus faça resplandecer o seu rosto sobre vós, e tenha misericórdia de vós;
Deus sobre vós levante o seu rosto, e vos dê a paz. Amém

ENVIO
Vamos em paz e sirvamos ao nosso Deus que está entre nós em Jesus Cristo.

CANTO FINAL
Nº 300 – LCI – Deus vos guarde pelo seu poder

 


Autor(a): P. Leomar Pydd
Âmbito: IECLB / Sinodo: Amazônia
Área: Celebração / Nível: Celebração - Liturgia
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo da Páscoa
Testamento: Novo / Livro: Pedro I / Capitulo: 3 / Versículo Inicial: 18 / Versículo Final: 22
Título da publicação: Caderno de Celebrações 2021 - Sínodo da Amazônia / Ano: 2021
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 60519
REDE DE RECURSOS
+
A Bíblia é uma erva: quanto mais se manuseia, mais perfume ela exala.
Martim Lutero
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br