7º. mandamento - Não roube.

01/12/2010

7º. mandamento - Não roube.

Na explicação dada por Manila. Lutero aprendemos que, em primeiro lugar devemos temer e amar a Deus. Quem ama a Deus, também ama o seu semelhante. Por isso não devemos lhe tirar nada, nem ser falso, nem ser desonesto. Pelo contrário, quem ama vai ajudar o seu próximo. Nos mandamentos os verbos roubar_ ou cobiçar não significam apenas, desejar algo que pertence à outra pessoa, mas significa também usar um artificio para ter direito de posse e a consequente ação de tomar posse. Portanto, no sétimo mandamento está colocada a questão do direito e da propriedade.

A questão da propriedade particular na Bíblia é vista, por um lado, de maneira positiva, entendida como sinal de bênção divina. No NT, nos Evangelhos e nas epístolas é visto como algo normal, que as pessoas trabalhem e até multipliquem seus bens (Lucas 19.11 ss; Mateus 20.15). A propriedade faz parte da vida do ser humano no sentido de que ele deve ter condições e um ambiente que lhe permite a boa sobrevivência.

Por outro lado a propriedade privada não é santificada na Bíblia. Há críticas a ela. O aspecto negativo da propriedade é apontado em Deuteronômio, pelo profeta. Amós, por Jesus e pelos apóstolos. O aspecto negativo é que a propriedade/bens, usada como necessidade para a sobrevivência e desenvolvimento da vida, pode ser transformada em instrumento de poder contra seu semelhante. Aí passa a ser uma ameaça à justiça e à paz. Contra estas situações se levantam os profetas e o próprio Jesus, colocando-se ao lado dos fracos e necessitados.

Portanto, a ganância, o roubo (nas suas mais variadas formas) e a ambição deixam a vida humana mais sofrida e pobre de valores fundamentais. Neste sentido Jesus é radical ao afirmar: Vocês não podem servir a dois senhores (Mateus 6,24).

O sétimo mandamento nos quer abrir os olhos, apontando o caminho da liberdade, da responsabilidade, da honestidade e da vida em abundância para todos. Todos devem viver em respeito, honestidade e harmonia. O mandamento aponta na perspectiva de uma nova sociedade em que a ordem política, econômica e social leva em conta. a vida de todas as pessoas, contemplando, por exemplo, o direito à moradia, salário justo, trabalho, escola, saúde, preços justos, terra para nela plantar, vestimenta, comida etc.

Neste mandamento aprendemos ainda que a espiritualidade cristã desperta e conduz para a partilha e o engajamento solidário contra todas as formas de exploração e dominação. Temer e amar a Deus impulsiona e desafia para querer sempre o bem do nosso próximo. E isso traz consequências concretas para a vida. 

P. Valdemar Witter- Piratuba/SC 


Oração:
Amado Deus e Pai! Eu te agradeço por me dares o que preciso para viver, e até mais. Ajuda-me a receber com gratidão este pão de cada dia, e dá que eu o use para servir a ti e às pessoas com que convivo. Amém.


Voltar para índice Anuário Evangélico 2011
 


Autor(a): Valdemar Witter
Âmbito: IECLB
Título da publicação: Anuário Evangélico - 2011 / Editora: Editora Otto Kuhr / Ano: 2010
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Meditação
ID: 32342
REDE DE RECURSOS
+
É mais consolador ter Deus como amigo do que a amizade do mundo inteiro.
Martim Lutero
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br