A compaixão e a misericórdia de Deus é para todos, inclusive para aqueles que não gostamos!

12/01/2020

LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA
Bom dia. Sejamos todos e todas bem vindos/as. Saúdo com as palavras do Salmista: “Guia-me na tua verdade e ensina-me, pois tu és o Deus da minha salvação, em quem eu espero todo o dia” (Sl 25.5)

HINO: Aqui você tem lugar - 325

SAUDAÇÃO
Estamos reunidos/as, e celebramos este culto lembrando do trino Deus, Pai Filho e Espírito Santo.
Contar o capítulo 1 de Jonas, o profeta fujão. - Nínive era a capital da Assíria (120 mil pessoas)
- Jonas ficou com medo do que lhe aconteceria por pregar a desgraça para o povo de Nínive.
- Porque Jonas foi tão tolo de achar que poderia fugir de Deus? Será que ele achava que estava apenas em Israel e arredores?

HINO: Deus está aqui - 332

CONFISSÃO DE PECADOS
Senhor nosso Deus, nós, muitas vezes fugimos daquilo que verdadeiramente pede de nós: amar ao próximo e às pessoas que desprezamos. Ignoramos aquilo de fato importa, que é a tua misericórdia e graça. Senhor, nós nos apegamos no teu juízo para os outros. Queremos ser profetas que apenas pregam a destruição dos pecadores. Nos achamos com menos pecado. Senhor, abra nossos olhos para os pecados que temos. Faça-nos ter arrependimento sincero. Pedimos-te perdão.

ANÚNCIO DO PERDÃO
Jonas 3.10: “Deus viu o que eles fizeram e como abandonaram os seus maus caminhos. Então mudou de ideia e não castigou a cidade como tinha dito que faria”.

HINO: Reunidos aqui - 337

ORAÇÃO DE JONAS

Jn 3.2-9: “Ó Senhor Deus, na minha aflição clamei por socorro,
e tu me respondeste; do fundo do mundo dos mortos, gritei pedindo socorro, e tu ouviste a minha voz.
Tu me atiraste no abismo, bem no fundo do mar. Ali as águas me cercavam por todos os lados, e todas as tuas poderosas ondas rolavam sobre mim.
Pensei que havia sido jogado fora da tua presença e que não tornaria a ver o teu santo Templo.
“As águas vieram sobre mim e me sufocaram; o mar me cobriu completamente, e as plantas marinhas se enrolaram na minha cabeça.
Desci até a raiz das montanhas, desci à terra que tem o portão trancado para sempre. Tu, porém, me salvaste da morte, ó Senhor, meu Deus!
Quando senti que estava morrendo, eu lembrei de ti, ó Senhor, e a minha oração chegou a ti, no teu santo Templo.
“Aqueles que adoram ídolos, que são coisas sem valor, deixaram de ser fiéis a ti.
Mas eu cantarei louvores, e te oferecerei sacrifícios, e cumprirei o que prometi. A salvação vem de Deus, o Senhor!”

LITURGIA DA PALAVRA
1ª Leitura Bíblica: Mt 2.1-12

HINO: Vento que anima

2ª Leitura Bíblica: Jn 4

Tema: A compaixão e a misericórdia de Deus é para todos, inclusive para aqueles que não gostamos

Prezada Comunidade reunida
Ouvimos duas partes da história de Jonas. A primeira parte Jonas ouve o chamado de Deus para pregar a Nínive. Aceita num primeiro momento, mas percebendo das consequências de sua profecia, da destruição da cidade caso não se arrependessem, Jonas foge.
Foge, pois acha que Deus não o encontrará distante de Israel. Aí já descobrimos algo interessante com a história de Jonas: Deus é para todos e não apenas para o povoado de Israel.
Ao ser engolido pelo grande peixe, que as crianças questionaram dizendo que era um mamífero, uma baleia, por certo, Jonas ficou três dias lá dentro. Neste tempo meditou e orou e percebeu que Deus lhe daria forças para seguir em frente.
Jonas tomou forças, estufou o peito e foi cumprir sua missão.
- Povo de Nínive! Daqui a 40 dias vocês serão destruídos, pois vocês têm pecado contra Deus, têm sido desobediente e têm praticado muita violência. Deus cansou disso, está triste e quer que vocês se arrependam.
Jonas percorreu a cidade por um dia, anunciando ao povo. No final do dia, quase não tinha mais voz de tanto gritar. Mas se sentia mais tranquilo por ter feito aquilo que Deus tinha pedido.
As pessoas ouviam Jonas gritando e olhavam para ele espantadas, mas o ouviam com muita serenidade. E então, sabe o que elas fizeram? Arrependeram-se. Começaram a pensar em suas vidas e viram que estavam erradas mesmo. Mas elas queriam viver, queriam ser amigas de Deus.
Para mostrar que estavam arrependidas, as pessoas começaram a jejuar, isto é, não comer ou beber nada. Além disso, vestiram-se com roupas de pano de saco, tanto adultos como crianças.
O rei ficou sabendo da pregação de Jonas. Será que ele também se arrependeu? O que vocês acham? (Deixe que as crianças respondam)
Sim, de fato o rei se arrependeu profundamente, tirou seu manto real, vestiu-se com roupas de pano de saco e disse a todo o povo:
- Por ordem expressa, as pessoas e os animais ficarão de jejum. Deverão vestir-se com roupas de pano de saco e orar a Deus com todas as forças para que ele nos perdoe e não nos destrua. Talvez assim ele mude de ideia e nós poderemos ser amigos.
Deus viu a atitude do povo. Viu que estava arrependido de seus maus caminhos. Ele ficou tão feliz, porque o povo se arrependeu. Agora ele não precisaria mais destruir a cidade. Poderiam viver essa amizade bonita.
Até aqui a história nos fala de um profeta medroso que viveu uma aventura impressionante, ganhou forças de Deus e foi cumprir sua difícil missão. Parece este um bom final para a nossa história não acham?
Mas há ainda mais uma parte desta história. Pedimos às crianças das férias com Jesus para criarem um final para a história de Jonas. Fizeram isso a partir daquilo que ouviram e vivenciaram ao longos dos três primeiros dias das Férias com Jesus. Aí os resultados foram estes:
As crianças, com muita criatividade, criaram finais diferentes para a história de Jonas. Na primeira, a importância da humildade e generosidade do rei, que deu seu cargo à Jonas.
Na segunda história criada pelas crianças, tem início semelhante, mas ao demonstrar o amor para as pessoas mais humildes, distribuindo cestas básicas nas casas, Jonas é confundido com um bandido e é morto. Mas como toda história precisa de um final feliz, Jonas encontra Jesus e é ressuscitado.
Na terceira história, Jonas continua com suas missões. E em um delas encontra-se com Jesus e seus discípulos.
Todos estes finais são ótimos e nos ensinam a nós adultos a humildade, a solidariedade e a compaixão. Mas especialmente a importância do arrependimento verdadeiro. Aquele que é demonstrado por meio de gestos e de práticas diferentes. Naquela época o sinal de arrependimento era vestir-se de saco e ficar em Jejum. Hoje poderia ser ficar com jejum de celular.
E vocês, na comunidade, se recordam como termina a história de Jonas? Será que os finais que as crianças fizeram são parecidos com o do livro? O que será que aconteceu com Jonas?
No final da história Jonas fica muito bravo e com raiva de Deus porque ele não destruiu Nínive. Vamos ler Jonas 3.10-4.1-11.
A história de Jonas diz muito para nós hoje, pois fala de uma pessoa cheia de defeitos e medrosa, escolhida por Deus para falar sua mensagem. Tanto para Jonas assim como nós hesitamos de levar a mensagem de amor e misericórdia. E acima de tudo, não queremos muito vive-la na prática.
E aí quando estamos dispostos a levar a mensagem nos apegamos não na misericórdia de Deus, em seu infinito amor, mas no Deus que é juiz. Muitas vezes nos parece mais fácil julgar e anunciar a desgraça.
E esta é uma característica humana muito presente nos dias de hoje: o apreço à desgraça. Não é por nada que inúmeros programas de sensacionalismo na TV e também programas que mostram os casos de violência e morte. As notícias sobre coisas ruins, desastres e dor nos chamam mais atenção. Devemos estar atento a tudo isso, mas sem perder o horizonte do amor e da misericórdia.
Jonas ficou com muita raiva porque Deus não destruiu a cidade de Nínive. Esta cidade existe até hoje, foi destruída e reconstruída. Hoje é a cidade de Mossul no Iraque, às margens do Rio Tigre. Cidade dominada até pouco pelo Estado Islâmico. Vivencia até hoje o desejo de poder e o uso do nome de Deus para justificar guerras e o sofrimento do povo.
Nesse sentido, o que Deus disse a Jonas para concretizar a sua misericórdia por Nínive foi a pergunta: porque destruir uma cidade tão grande cheia de crianças e animais inocentes?
Por fim, a história de Jonas transmitiu para o povo da época para nós hoje, como mensageiros da palavra de Deus, não podemos ficar apenas dizendo o que está. Precisamos viver o amor de Deus. E jamais usar o nome de Deus para justificar a guerra, que apenas satisfaz o desejo dos poderosos, de ambas as partes, e leva a mote de pessoas inocentes.
A palavra de Deus é puro amor e misericórdia. Essa amizade de Deus conosco transborda de amor e paciência, da parte de Deus. Jonas soube também que essa amizade é para todas as pessoas. Ninguém fica de fora, nem mesmo aqueles que achamos que não merece.
Que Deus tenha paciência e misericórdia conosco assim como teve com Jonas. Que possamos aprender com as crianças. E também que as plantinhas que as crianças plantaram aqui na comunidade nos recordem da história de Jonas e do verdadeiro amor de Deus.

LITURGIA DA CEIA

Preparação da mesa: Nos preparando para participação da Ceia do Senhor convido a comunidade para cantarmos o
Oração Eucarística
Nosso Senhor Jesus Cristo na noite em que foi traído, tomou o pão e, tendo dado graças, o deu às pessoas ali reunidas, dizendo: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim. Por semelhante modo, depois de haver ceado tomou também o cálice, dando graças, e disse: Este cálice é a nova aliança no meu sangue; fazei isto, todas as vezes em que o beberdes, em memória de mim.

ORAÇÃO de Intercessão: Louvamos-te, Deus de bondade, por teu agir bondoso e amoroso em nosso viver. Louvamos-te pelas dádivas da tua criação, pelas ofertas aqui trazidas, pelo pão e o fruto da videira presentes nesta mesa. Louvamos-te pelo teu amor que nos molda e nos capacita para te servir. Que a ceia que aqui vamos celebrar seja um sinal concreto da salvação que teu filho Jesus Cristo nos oferece. Que ela nos fortaleça no testemunho da verdadeira comunhão.
Como barro em tuas mãos, queremos ensinar do teu amor neste mundo, servindo-te com alegria, coragem, sabedoria e fé, na certeza de que o amor domina nossas mentes, corpos e ações. Por isso, oramos como teu Filho Jesus Cristo, nos ensinou:

PAI NOSSO
Pai nosso que estás nos céus,
santificado seja o teu nome.
Venha o teu reino.
Seja feita a tua vontade,
assim na terra como no céu.
O pão nosso de cada dia nos dá hoje.
E perdoa-nos as nossas dívidas,
assim como nós também perdoamos aos nossos devedores.
E não nos deixes cair em tentação,
mas livra-nos do mal.
Pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém

Gesto da Paz

Fração
L. (pegar pao e vinho) O cálice da bênção pelo qual damos graças é a comunhão no sangue de Cristo. O pão que partimos é a comunhão no corpo de Cristo.

Comunhão
L. Venham, pois tudo já está preparado. Participemos com alegria da mesa da comunhão que nos une e fortalece na missão da Igreja.
Enquanto participamos da ceia do Senhor convido a comunidade a cantarmos.

HINO: 141 Em gratidão
L. O Senhor Jesus Cristo se entregou para nós neste alimento. Ele nos convida a transmitirmos este amor, cientes de que somente ele pode nos perdoar. Vamos em paz.

Oração pós-comunhão: Te agradecemos. Ó Deus, pela oportunidade de vivenciar a tua graça e o teu amor nesta comunhão de mesa. Fortalecidos por ela, guie-nos por caminhos de solidariedade e de sabedoria durante esta última semana do ano. Amém!

LITURGIA DE DESPEDIDA

AVISOS

HINO FINAL: (479) – graças dou por esta vida
[quando o povo se reúne – 326

BÊNÇÃO FINAL
O Senhor
Cheio de amor como uma mãe e bondoso como um pai.
Ele te abençoe
Ele permita que tua vida desabroche,
ele permita que esperança floresça
e permita que os frutos amadureçam.
O Senhor te guarde
Ele te abrace em teus medos, ele se coloque diante de ti no perigo.
O Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti
Assim como um olhar amoroso aquece,
assim ele desfaça em ti o que enrijeceu.
Ele tenha misericórdia de ti
Quando culpa pesa sobre ti,
que ele te faça respirar e te liberte.
O Senhor levante sobre ti o seu rosto
Que ele veja o teu sofrimento, que ele te console e te cure.
Ele te dê a paz
O bem-estar do corpo, a alegria da alma, o futuro aos teus filhos. Amém.

ENVIO: Ide em paz, e servi ao Senhor com muita alegria.


Autor(a): PPHMista Willian Kaizer de Oliveira
Âmbito: IECLB / Sinodo: Norte Catarinense / Paróquia: Garuva-SC (Martinho Lutero)
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo do Natal
Área: Ministério / Nível: Ministério - Habilitação
Natureza do Domingo: Epifania
Perfil do Domingo: 1º Domingo após Epifania
Testamento: Antigo / Livro: Jonas / Capitulo: 1 / Versículo Inicial: 1
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 54898
REDE DE RECURSOS
+
A Palavra de Deus é a única luz na escuridão desta vida. É Palavra da vida, de consolo e da toda bem-aventurança.
Martim Lutero
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br