A Oferta de Caim e Abel

Rede de Recursos Fé, Gratidão e Compromisso - adolescentes e jovens

O texto de Gênesis 4.1-7 relata a oferta que Caim e Abel apresentaram a Deus. Caim era agricultor e, Abel, pastor de ovelhas. Os dois ofereceram a Deus uma parte do fruto do seu trabalho.

Chamamos a atenção para alguns detalhes do texto bíblico. Como lemos no versículo 3, Caim “pegou alguns produtos da terra e os ofereceu ao Deus Eterno”. No versículo 4 vemos que “Abel, por sua vez, pegou o primeiro carneirinho nascido no seu rebanho, matou-o e ofereceu as melhores partes ao Deus Eterno”.

Deus aceitou a oferta de Abel e rejeitou a de seu irmão. Logo temos a reação de Caim. Ele demonstra abertamente seu descontentamento com Deus. Caim deixou a inveja tomar conta de seus pensamentos. Transformou-se em um homem revoltado. Não aceitou a decisão de Deus.

Uma forma de interpretar esse texto poderia ser esta: Sendo Caim um agricultor, sua oferta representava o desejo de domínio sobre a terra. Abel, ao oferecer a ovelha, estava sinalizando o plano de redenção de Deus: a ovelha representaria Jesus Cristo.

Porém, essa interpretação não explica plenamente por que uma oferta foi aceita, e outra não. Mas então, qual o motivo para Deus aceitar uma oferta e rejeitar outra?

Caim não foi julgado pela oferta em si, mas pelo modo como andava a sua vida. Como estava seu coração? Qual era o seu real objetivo? Deus vê o coração e sabe das nossas intenções. Sabe quando a oferta é dada com alegria ou por obrigação. Uma oferta pode vir com a intenção de manipular.

Podemos dar presentes e trocar favores para conquistar outras pessoas, para nos promover, para sermos considerados pessoas mais especiais que outras.

Lembremos das palavras de Lutero: A fé produz frutos, mas não para si. No caso de Caim e Abel, sua fé animou-os a fazer uma oferta para Deus. Podemos arriscar a dizer que Abel ofereceu sem querer nada em troca; ofereceu o melhor de si. Caim ofertou, mas esperava ser recompensado.
Para pensar: Será que isso acontece ainda hoje?

Caim mostrou-se cheio de ira e desconfiança. A oferta de Abel foi aceita por Deus em virtude de sua fé (Hebreus 11.4). Ter fé é como andar de noite, no escuro, onde cada barulho pode virar um tormento. Se continuarmos a caminhar na escuridão, enfrentamos as dificuldades e vencemos o medo.
Caim se abateu, deixando que seus sentimentos o dominassem. Lutero diz que o pecado no ser humano é a sua falta de fé, falta de confiança. Portanto, quando vamos ofertar a Deus, é importante dedicar as dádivas ao Senhor com fé e confiança. Somos acolhidos por nossa intenção de contribuir e não por nossa contribuição em si, pois Deus conhece nosso coração (Lucas 16.15).

Certa vez, Jesus estava no templo e viu quando uma viúva ofertou suas duas únicas moedas (Marcos 12.42). A pobre mulher havia ofertado toda a sua vida, seu sustento, mostrando assim sua confiança total em Deus. O que diria Jesus em relação às nossas ofertas hoje?

A oferta é uma resposta ao amor que não impõe condições de Deus, que ofertou seu filho para nossa salvação. Deus, por seu grande amor, ofertou o melhor que tinha. Deu o seu único filho por cada um e cada uma de nós.

Ofertando de coração, participamos do Reino de Deus. Esse Reino é refletido no cotidiano, quando gestos de solidariedade e amor são realizados em favor das pessoas que sofrem. Todo sinal de esperança e resgate da dignidade humana é reflexo do Reino de Deus.

Um sábio disse uma vez que há uma grande diferença entre as pessoas que ajudam por obrigação e as que ajudam por vontade. Quem ajuda ou faz algo por obrigação, geralmente está com o rosto fechado e, muitas vezes, o trabalho que faz precisa ser refeito. Quando alguém ajuda com vontade e alegria, faz um excelente trabalho porque o realiza com prazer, com gratidão e com amor.

Desenvolvimento do encontro

ADOLESCENTES E JOVENS
Material necessário: Bíblia, tiras de papel, canetas ou canetinhas, uma caixa de papelão (caixa de sapato, por exemplo) para cada grupo, duas folhas de papel de presente com motivos pequenos e claros.
Preparação do ambiente: Colocar as cadeiras em círculo e deixar as caixas e o papel de presente escondidos no início do encontro.

1) Canto: Canção da chegada (HPD 2, nº 333).

2) Oração: Obrigado, Pai Celeste, pelas bênçãos que nos deste, pelo pão de cada dia, por saúde e alegria, por tristeza e por prazer, por trabalho e por lazer (HPD 1, n 286).

3) Os presentes de Deus
Cada participante pensa em coisas boas que existem ou acontecem em sua vida. Em cada tira de papel, escreve algo de bom ou um acontecimento importante e bom em sua vida.

4) Leitura bíblica: Gênesis 4.1-7.

5) Comentários
A pessoa que coordena inicia um diálogo sobre a história lida, complementando as questões trazidas pelo grupo. O texto-base serve de subsídio para essa reflexão conjunta. Nesse diálogo, é importante destacar que tudo o que foi escrito nos papéis é presente de Deus.

6) Trabalho em grupos
Participantes encontram-se em pequenos grupos. Dar uma caixa de papelão para cada grupo. As pessoas compartilham o que escreveram nos bilhetes e colocam-nos dentro da caixa de papelão. Depois, cada grupo pensa em ações concretas que expressem a gratidão das pessoas pelos presentes recebidos de Deus. A pergunta motivadora é:
O que podemos oferecer a Deus como agradecimento pelos presentes que ele nos dá?
Todas as ações são escritas com canetinhas coloridas sobre tiras de papel de presente. Essas tiras são coladas na caixa de papelão, do lado de fora, fazendo da caixa um pacote de presentes.

7) Plenária
Cada grupo apresenta suas reflexões, dizendo em rápidas palavras os presentes que estão dentro da caixa e o que foi expresso nos papéis ao redor da caixa.
Após a fala, a caixa é levada ao centro, enquanto todo o grupo canta a canção Te ofertamos nossos dons (HPD 2, nº359. Também pode ser cantado Tudo vem de Ti, Senhor). Repete-se a canção sempre que um grupo levar sua caixa ao centro da roda.

8) Oração: Obrigado, ó Deus, por todos os presentes que tu nos dás diariamente. Agradecemos-te pelo dom da vida e também pela salvação que tu nos dás através de teu filho Jesus Cristo. Nós te pedimos, ajuda-nos a ofertar com alegria, partilhando todos os presentes que recebemos de ti. Em nome de Jesus. Amém.

9) Bênção e envio: (CD tema do ano 2006).
 


Âmbito: IECLB
Testamento: Antigo / Livro: Gênesis / Capitulo: 4 / Versículo Inicial: 1 / Versículo Final: 7
Natureza do Texto: Educação
Perfil do Texto: Estudo Bíblico
ID: 22441
REDE DE RECURSOS
+
Fé e amor perfazem a natureza do cristão. A fé recebe, o amor dá. A fé leva a pessoa a Deus e o amor a aproxima das demais. Por meio da fé, ela aceita os benefícios de Deus. Por meio do amor, ela beneficia os seus semelhantes
Martim Lutero
© Copyright 2024 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br