Ação de Graças - humilhação ou liberdade?

30/08/2011


Ganhei uma camiseta essa semana. A princípio, quis pagar. Depois entendi que era presente.

Ganhei uma amiga essa semana. A princípio, achei que era mais trabalho. Depois entendi ser presente.

Ganhei uma semana em minha vida, essa semana. A princípio, achei que fazia parte da minha vida. Depois entendi que era presente.

Recebemos muito, o tempo inteiro. Terra, que só valorizamos quando percebemo-la destruída; ar, que mais valorizamos quando a poluição nos ataca; água, que vamos aprendendo a economizar quando já adultos.

Temos sempre muito a agradecer. Mesmo o pouco convívio com quem nos deixa cedo – seja por simples despedidas, seja por morte – tudo isso é motivo de agradecimento.

Na região que moro é comum atitudes constantes de agradecimento. Pessoas agradecem às outras, por informações, por ajudas pequenas. E muitas outras vezes, acompanham palavras de bênção: “Deus te abençoe”, “fique com Deus”. Parecem incrivelmente humildes.

Em outro lugar que conheço, é comum, ao receberem agradecimentos, que as pessoas respondam: “merece!” Parecem dar a ideia de que tudo acontece por merecimento pessoal.

E tenho percebido dificuldade de agradecer em algumas pessoas. Parece ser gente que foi tão humilhada pelo mundo, que desconfia que agradecer seja se humilhar. Parece que a vida foi tão dura que não há sinais de agradecimento. Olham com desconfiança para pequenos agrados, para simples agradecimentos. O olhar chega a ser “sem graça”, como se não se soubesse o que fazer diante de qualquer agrado.

Sejam agradecidos! (Ensina Colossenses 3.15). Descobrir-se envolto pela graça de Deus não é motivo para humilhação. Muito antes, é motivo de se perceber agraciado, presenteado por Deus. O agradecimento é o resgate de Deus para nossa auto-estima. É como se a mão de Deus se entendesse em nossa direção e o próprio Deus dissesse: levanta a cabeça, tua vida é presente!

O agradecimento a Deus torna as pessoas livres. Essa é a grande diferença do agradecimento dado a Deus e do agradecimento dado a pessoas – que mantém outras pessoas em estado de submissão e dívida – como denunciam os casos de corrupção em nosso País.

Perceber, nos pequenos presentes de nosso cotidiano, a presença de Deus, é manter-se livre. Agradecidos a Deus. E livres de nosso próprio orgulho (é Deus quem nos torna merecedores), livres de pessoas que cobram agradecimentos (só a Deus nos prendemos).

A liberdade é lição a ser aprendida a cada pouco. Também no agradecimento. Agradecer a Deus é dar graças a Deus. Somente a Deus.

Uma vida vivida em agradecimento é vida que testemunha a graça de Deus. Somente a Deus. Mesmo que seja uma atitude de agradecimento vivida a cada momento de nossas vidas, a cada pessoa ou situação que tenha, pela vontade de Deus, nos agraciado.

Pa. Margarete Emma Engelbrecht
pastora da IECLB em Niterói, RJ
 


Autor(a): Margarete Engelbrecht
Âmbito: IECLB / Sinodo: Sudeste
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ação de Graças - Festa da Colheita
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Meditação
ID: 7812
REDE DE RECURSOS
+
A fé não pode aderir ou agarrar-se a qualquer coisa que tem valor nesta vida, mas rompe os seus limites e se agarra ao que se encontra acima e fora desta vida, ao próprio Deus.
Martim Lutero
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br