...assim como nós perdoamos aos nossos devedores.

01/12/2012

...assim como nós perdoamos aos nossos devedores.

Após o culto nos reunimos para o almoço comunitário. Sentada a uma das mesas ouvi o seguinte: Tomara que o Alberto não sente aqui!

Estávamos ali após celebrarmos o culto, no qual havíamos confessado os pecados, recebido o anúncio da graça e do perdão, ouvido a palavra de Deus e em conjunto participado da ceia. Mas qual o significado disso em nosso dia a dia?

O que ouvi demonstra a nossa dificuldade em perdoar. Aqui lembramos da parábola do credor incompassivo (MT 18.23-35). Jesus nos conta sobre um rei que resolveu acertar as contas com os seus servos. Quando soube que eles não tinham como pagar, perdoou o que deviam. Ao invés de proceder do mesmo modo, eles não perdoaram as dívidas do seu próximo. O soberano, indignado, voltou atrás e condenou seus devedores a pagar todo o débito que havia perdoado. Com esta parábola Jesus nos ensina que a misericórdia de Deus para conosco não tem limites, nem se esgota, como também a mesma quer orientar toda a nossa vida.

Perdoar aos nossos devedores faz parte da nossa gratidão a Deus por ter perdoado os nossos pecados através da morte de Jesus na cruz. Diariamente pecamos, porém Deus nos perdoa por graça, assim também nós devemos perdoar ao nosso próximo. O perdoar é que nos possibilita ter comunhão com Deus e com os nossos devedores.

Essa petição que fazemos a Deus no Pai Nosso é também um compromisso que assumimos perante Ele em relação aos nossos semelhantes. Assim, significa que o perdão recebido também deveria significar um perdão dado. Na verdade, o perdão é uma demonstração de amor. Em lugar de cobrar vingança, ou remoer raiva, decide-se perdoar. A pessoa opta por imitar Deus, opta por amar. Perdoar aos nossos devedores é O passo a ser dado em nossa fé.

Ao nos perdoar foi Deus quem veio por primeiro ao nosso encontro. Isso também deve nos animar a não esperar primeiramente pelo reconhecimento do erro ou pedido de perdão da outra pessoa, mas sim, agradecidos a quem nos perdoou primeiro, ir ao encontro de nosso próximo e perdoar, para uma nova vida recomeçar: Experimente!

Comunidade cristã é comunhão de pessoas perdoadas. Com a ajuda de Deus podemos fazer do perdão a nossa forma de vida, isto nos levará à paz – paz conosco mesmos, paz com o próximo e paz com Deus. Esta paz é uma bênção maravilhosa, da qual Deus quer que todos nós usufruamos.

Pa. Márcia Helena Hülle - Schwandorf / Alemanha


Oração:

Bondoso Deus, agradecemos-te pelo teu perdão. Pedimos, ó Senhor que este nos conduza a perdoar e capacite-nos a sermos agentes da reconciliação. Em nome de Jesus. Amém.


 Voltar para índice Anuário Evangélico 2013


Autor(a): Márcia Helena Hülle
Âmbito: IECLB
Título da publicação: Anuário Evangélico - 2013 / Editora: Editora Otto Kuhr / Ano: 2012
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Auxílio homilético
ID: 32352
REDE DE RECURSOS
+
O Deus da paz opere em vós o que é agradável diante dele, por Jesus Cristo, a quem seja a glória para todo o sempre.
Hebreus 13.20-21
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br