Comissão Interluterana de Diálogo - Desafios e propostas

01/12/1997

Comissão Interluterana de Diálogo

Desafios e propostas

Ricardo Willy Rieth

A realidade atual, mareada por mudanças bruscas, perda de Valores básicos e grande desprezo à dignidade humana, representa um desafio às Igrejas cristãs no Brasil. Como anunciar o Evangelho, testemunhar a fé e concretizar o amor cristão nessa situação? A realidade comum e o compromisso com uma mesma missão têm integrado Igrejas cristãs em tomo a iniciativas conjuntas.

Herança comum

A Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB) e a Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB), contudo, possuem uma outra razão para se aproximarem cada vez mais: sua dupla herança comum. Ambas compartilham a mesma tradição confessional evangélica luterana, cujas raízes remontam a meio século atrás. Ao lado disso, têm na base de suas comunidades a mesma gente, constituída majoritariamente de descendentes de imigrantes europeus chegados ao Brasil desde as primeiras décadas do século passado.

Há anos, IELB e IECLB têm unido esforços na área de publicações, editando por intermédio da Comissão Interluterana de Literatura (CIL) o devocionário Castelo Forte, o Livro de Concórdia: as confissões da Igreja Evangélica Luterana e as Obras Selecionadas do reformador Lutero. No campo da comunicação, trabalham conjuntamente em projetos da entidade Luteranos Unidos em Comunicação (LUC).

Em 1994, as direções nacionais das duas Igrejas propuseram um Convênio de Cooperação, que abarcava as iniciativas comuns já existentes, além de propor novos desafios para uma crescente integração. Os objetivos ali expostos revelam uma grande vontade de aprofundar laços:

— Buscar condições para alcançar comunhão no uso da Palavra e do Sacramento, de acordo com a vontade do Senhor Jesus Cristo e o anseio da Igreja [...].

— Promover a identidade confessional no sentido de manifestar a tradição católica [i. é., universal] da Igreja luterana e responder aos desafios do nosso tempo.

— Emitir testemunho da verdade do Evangelho ao mundo, em especial à sociedade brasileira e latino-americana.

— Promover a cooperação em atividades comuns e afins, no sentido de alcançar melhores resultados mediante ação conjunta.

A proposta do Convênio detalha ainda que esses objetivos deveriam se concretizar nas seguintes áreas: literatura, editoras, formação teológica, convenções e conferências, culto e música, missão, serviço social, responsabilidade educacional, responsabilidade pública, reuniões anuais conjuntas, oração.

Da época em que se propôs o Convênio até agora, boa parte do tempo foi destinada ao exame da proposta por diferentes instâncias nas duas Igrejas. Vale dizer que na IECLB e na IELB as reações se caracterizaram, em geral, por um sentimento de aprovação, perceptível nas muitas demonstrações de apoio e nas diversas críticas construtivas voltadas ao aperfeiçoamento do documento.

Suplementação do Convênio

Desde 1996, passou-se â etapa de implementação do Convênio. Para rever alguns pontos, a partir da discussão havida nas duas Igrejas, e para definir sua execução prática, foi constituída a Comissão Interluterana de Diálogo (CID). Formada por seis integrantes, três de cada Igreja, investidos na função durante uma celebração pública, a CID recebeu o encargo de propor um programa para a crescente integração entre IELB e IECLB, mantendo os pontos fundamentais do Convênio. Ao ser criada, recebeu a atribuição de pensar e propor formas de as duas Igrejas colocarem em execução os objetivos do Convênio e também de administrarem questões da convivência prática. Assim, a CID têm se ocupado com alternativas e propostas relacionadas a assuntos que vão desde o intercâmbio acadêmico entre estudantes de Teologia, passando pela realização de encontros de obreiros(as), líderes e responsáveis por setores de serviço, pela divulgação recíproca do que acontece em cada Igreja, até formas de resolver situações conflitivas entre comunidades e obreiros, bem como uma eventual modalidade comum a ambas as Igrejas para a transferência de membros.

Atualmente integram a CID os pastores João A. Müller da Silva, Bruno Gottwald, Valdemar Lückemeyer (pela IECLB), Gerhard Grasel, Paulo P. Weirich e o autor deste artigo (pela IELB).

O autor é pastor da lELB e professor na Escola Superior de Teologia, da IECLB, em São Leopoldo, RS

Ver ìndice do Anuário Evangélico - 1998


Autor(a): Ricardo Willy Rieth
Âmbito: IECLB
Área: Ecumene / Organismo: Igreja Evangélica Luterana do Brasil - IELB
Título da publicação: Anuário Evangélico - 1998 / Editora: Editora Sinodal / Ano: 1997
Natureza do Texto: Artigo
ID: 25846
REDE DE RECURSOS
+
ECUMENE
+
Jamais a fé é mais forte e gloriosa do que ao tempo da maior tribulação e tentação.
Martim Lutero
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br