Crer na Ressurreição nos Dá Esperança para Viver!

21º Domingo após Pentecostes

02/11/2019

Culto ITAPOÁ – Paróquia Martinho Lutero
03/11/2019 – 21º Domingo após Pentecostes
Pregação: Lc 20.27-38; Leituras: 2 Ts 2.1-5; 13-17

TEMA: Crer na Ressurreição nos dá esperança para viver

LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA
Bom dia. Sejamos todos e todas bem vindos/as. Saúdo com as palavras de Paulo na carta aos Hebreus: “Nós temos uma grande multidão de testemunhas ao nosso redor. Portanto, deixemos de lado tudo o que nos atrapalha e continuemos a correr, sem desanimar, a corrida marcada para nós”.

CANTO DE ENTRADA

HINO: 97 - Deus é Castelo Forte

SAUDAÇÃO
Estamos reunidos/as, e celebramos este culto lembrando do trino Deus, do Cristo que nos deu a esperança da vitória sobre a morte com a ressurreição, e do Espírito Santo que nos anima a continuar crendo.
Uma forma de compreender a ação do Espírito de Deus e nos diante da dor da morte
O Espírito de Deus costuma usar a solidão
Para nos ensinar sobre a convivência.
Às vezes, usa a raiva para que possamos
Compreender o infinito valor da paz.
Outras vezes usa o tédio, quando quer
nos mostrar a importância da aventura e do abandono.
Deus costuma usar o silêncio para nos ensinar
sobre a responsabilidade do que dizemos.
Às vezes usa o cansaço, para que possamos
Compreender o valor do despertar.

Outras vezes usa a doença, quando quer
Nos mostrar a importância da saúde.
Deus costuma usar o fogo,
para nos ensinar a andar sobre a água.
Às vezes, usa a terra, para que possamos
Compreender o valor do ar.
Outras vezes usa a morte, quando quer
Nos mostrar a importância da vida. (Paulo Coelho)

CONFISSÃO DE PECADOS
Prezados e prezadas, o medo da morte, o receio da nossa finitude e pequenez, nossas limitações, podem nos deixar paralisados. Muitas vezes, nos deixam indiferentes para com as dores, pois não queremos pensar sobre nossa condição de fragilidade. Este é o momento que podemos levar até Deus nossas dores, medos, receios e dúvidas e confessá-los abertamente, individualmente e em comunidade. [Momento de silêncio para a oração individual]

HINO: 150 – Se sofrimento te causei

ANÚNCIO DO PERDÃO
O apóstolo Paulo nos diz o seguinte: “Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna por intermédio de Cristo Jesus, nosso Senhor!” (Rm 6.23)

HINO: 385 - A ti, Senhor, elevo a minha alma.

ORAÇÃO DO DIA
Bondoso e eterno Deus, tu nos mostraste com teu Filho Jesus, que morreu na cruz, a vitória sobre morte com a ressurreição. Enviaste teu Espírito para nos lembrar todos os dias que essa vitória se estende a cada um de nós. Não precisamos deixar de viver com medo da morte, pois o Espírito Santo sopra através da vida e da beleza de tua Criação. Por isso, pedimos que esteja com as autoridades do nosso país lhes dando sabedoria para promover políticas de amor à vida. E que lutem contra esse mundo de morte que existe hoje. Que a tua igreja, assim como nossa comunidade de fé falem e ensinem que a vida de todas as pessoas são importantes.

LITURGIA DA PALAVRA
Antes de ouvirmos a palavra do evangelho convido a comunidade a cantar.

HINO: 379 – Estou pronto, Senhor

LEITURAS BÍBLICAS

1ª Leitura Bíblica: 2 Ts 2.1-5; 13-17; (alguém lê)

2ª Leitura Bíblica: Lc 20.27-38; [pregação]

PREGAÇÃO

CRER NA RESSURREIÇÃO NOS DÁ ESPERANÇA PARA VIVER
Prezada Comunidade reunida.
Convido para olharmos as pombas penduradas. O que essas pombas lembram pra vocês? Elas simbolizam o Espírito Santo. Hoje a nossa mensagem lembra da ação do Espírito de Deus em nossas vidas. Transmite a esperança que vem de Jesus.
Essa mensagem lembra do dia de finados, de ontem. Acredito que a maioria de vocês da comunidade se lembrou de pessoas queridas que se foram. O que significa a perda de alguém? Que sentimentos desperta? Certamente a morte nos causa muita dor.
Mas sabem que em Jesus temos esperança! A esperança de teremos a oportunidade de reencontrar as pessoas que amamos. Convido para lermos Lc 20.27-38
Pensem na seguinte situação: Jesus falando de que há esperança para as pessoas que estão sofrendo a perda de alguém. Na época de Jesus, assim como hoje, muitas pessoas morria por injustiças grandes. As pessoas prestando atenção nas palavras e ações de Jesus e aí, de repente, um grupo de pessoas interpela e interrompe Jesus. E eles, em tom de deboche perguntam: mas se uma pessoa se casou mais de uma vez com quem essa pessoa ficará depois da ressureição?
Pra eles tem pouco valor a dor das pessoas. Como vocês entenderam que Jesus respondeu? [pedir para alguém ler o versículo 36 e outra o o versículo 38]
Isso mesmo! Jesus afirma que quem for digno da ressurreição e chegar ao Reino de Deus receberá nova vida. A ressurreição representa uma vida em abundância, uma vida repleta do amor e do poder de Deus.
Crer na ressurreição é um grande alento para nossas dores. Após o dia de finados, saber que Deus é o Deus dos vivos e que tem o poder de nos prometer a ressurreição, não nos dá um alívio? Não é esperançoso crer que Deus nos guarda em sua memória para um dia ressuscitarmos? Acalenta o nosso coração, saber que Deus nos promete um novo encontro com as pessoas que amamos.
Pois bem, para Jesus o significado da ressurreição é a extrema valorização da vida num contexto de exclusão e violência. Aliás Jesus afirma que crer nele terá nova vida, uma vida em abundância, que transborda dignidade e alegria.
Quando pensamos nos dias de hoje, o que significa para nós crer na ressurreição? Qual é a realidade dos dias de hoje com relação à morte?
É certo que temos muito medo da morte. Isso porque há uma realidade de morte nos dias de hoje. Não apenas pela fragilidade da nossa vida. Mas também porque ouvirmos falar de morte, violência e dor o tempo todo. Aliás, no Brasil cerca de 60 mil pessoas morrem assassinadas por ano. A violência cerca nossas vidas. E de tanto ver e ouvir falar de morte ficamos indiferentes a ela. Ás vezes, achamos que há vidas que não fazem falta. Há mortes que podem ser justificadas. Há políticas que não defendem a vida, mas são política de morte. Que prometem como solução para a sociedade a morte de algumas pessoas.
A banalidade da morte também vemos nos acidentes de trânsito: são mais de 40 mil pessoas mortas. São vidas perdidas sem nenhuma explicação. Além dessa, há ainda muitas outras situações que revelam a pouca valorização da vida. Isso ocorre na falta de cuidado com as crianças, com as pessoas idosas, com as pessoas com deficiência.
No nosso dia a dia, também morremos um pouco quando nos afastamos das pessoas que amamos. Quando alguém que amamos se vai. O luto pode nos fazer morrer um pouco. A tristeza. O sofrimento. A falta de amor e o ódio. A exclusão. Tudo isso nos faz simplesmente viver por viver. Aí vem a falta de esperança.
Isso me faz lembrar de um poema da Cecília Meireles:
Tu tens um medo:
Acabar.
Não vês que acabas todo o dia.
Que morres no amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que te renovas todo o dia.
No amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que és sempre outro.
Que és sempre o mesmo.
Que morrerás por idades imensas.
Até não teres medo de morrer.
E então serás eterno.
Exatamente assim que o Espírito de Deus age em nossas vidas. Ele nos lembra das palavras de Jesus e da fé na ressurreição. Nos renova todos os dias para uma nova vida. E faz isso nos consolando na tristeza, na dúvida, nos nossos medos. E ainda nos fortalecendo para a prática do amor.
Paulo fala exatamente disso na carta que lemos: O Espírito Santo que Jesus nos deixou após a sua ressurreição nos dá eterno consolo. E também nos lembra que todas as vidas tem valor igual: seja a minha, a sua vida, mas a vida de qualquer pessoa; pode ser a vida de um jovem, ou de uma pessoa mais velha, de um rico ou das pessoas mais pobres e marginalizadas.
Foi justamente isso que Jesus fez ao longo de sua vida: acolheu e falou do Reino de Deus para os pecadores, doentes e marginalizados. Para estas pessoas que Jesus fala da Ressurreição.
Neste sentido, o maior sinal da nossa fé na ressurreição encontramos no Espírito de Deus, que é o sopro da vida. É o que nos convida sempre para buscar vida digna e lutar contra essa realidade de morte. Por isso, todas essas pombas aqui na igreja. Elas simbolizam que Deus quer nos dar uma vida boa todos os dias. E que a ressurreição nos dá vida nova dia após dia. E que isso deve nos mobilizar a lutar por um mundo que valoriza a vida para todas as pessoas, sem distinção.
Que essas pombas do Espírito nos acompanhem e nos fortaleça para a caminhada da vida, para que tenhamos uma vida boa e gratificante. Que não nos contentemos em ter uma vida meramente vivida. E que também defendamos na sociedade os princípios da vida em abundância. Amém

CONFISSÃO DE FÉ (oração pós pregação)
Creio em Deus, Pai todo-poderoso, Criador do céu e da terra. E em Jesus Cristo, seu Filho unigênito, nosso Senhor, o qual foi concebido pelo Espírito Santo, nasceu da virgem Maria, padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado, desceu ao mundo dos mortos, ressuscitou no terceiro dia, subiu ao céu, e está sentado à direita de Deus Pai, todo-poderoso, de onde virá para julgar os vivos e os mortos.
Creio no Espírito Santo, na santa Igreja cristã, a comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na ressurreição do corpo e na vida eterna. Amém. 

HINO: 437 – Quando o Espírito de Deus Soprou

ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Motivos de Oração:
Todos estes pedidos e agradecimentos e das pessoas que aqui não puderam estar colocamos na oração que teu filho Jesus Cristo nos ensinou. [lembrar do pai do Giovanni e demais pessoas]

PAI NOSSO
Pai nosso, que estás nos céus! Santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. Dá-nos hoje o nosso pão de cada dia. Perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal, porque teu é o Reino, o poder e a glória para sempre. Amém.

LITURGIA DE DESPEDIDA

AVISOS

HINO FINAL: 466 – Vento que anima e faz viver

BÊNÇÃO FINAL (cantada)
“Deus te abençoe, Deus te Proteja, Deus te dê a paz, Deus te dê a paz”

ENVIO: Ide em paz, e servi ao Senhor com muita alegria.
 


Autor(a): PPHMista Willian Kaizer de Oliveira
Âmbito: IECLB / Sinodo: Norte Catarinense / Paróquia: Garuva-SC (Martinho Lutero)
Área: Ministério / Nível: Ministério - Habilitação
Natureza do Domingo: Pentecostes
Perfil do Domingo: 21º Domingo após Pentecostes
Testamento: Novo / Livro: Lucas / Capitulo: 20 / Versículo Inicial: 27 / Versículo Final: 38
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 54008
REDE DE RECURSOS
+
Louvem o Senhor pelas coisas maravilhosas que tem feito. Louvem a sua imensa grandeza.
Salmo 150.2
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br