Cristo ressuscitou de martírio e morte

Comentário e Reflexão

09/10/2013

Hino 61 - Cristo ressuscitou de martírio e morte

Letra: autor desconhecido Melodia: do Século 12 Textos bíblicos: 1 Pedro 1.3-9; 1 Coríntios 15.17.

O cântico pascoal “Cristo ressuscitou” estava amplamente divulgado no século 13. Por isso pode-se calcular que ele já tenha sido composto no século 12. Logo encontrou um lugar na Liturgia dos cultos de Páscoa na Baviera e Áustria. Foi cantado como “Leise 1” pela comunidade reunida depois que o coro tem apresentado a Sequência em Latim “Victimae paschali laudes2. O “Cristo ressuscitou” também foi usado nas dramatizações pascoais, entoado em peregrinações e cantado pelo povo nas ruas.

A mais antiga impressão conhecida da primeira estrofe, (no original alemão: ”Christ ist erstanden von der Marter alle...”), encontra-se num Códice de Munique (da Idade Média). Na época da Reforma Luterana (Hinário de Klug, 15293) este cântico recebeu uma segunda estrofe e um final com tríplice “Aleluia”. Cada uma das três partes, no original, encerra com “Kyrieleis” (Senhor piedade). Os tradutores do HPD nr. 61 preferiram encerrar com “Aleluia” (louvado seja Deus).

Parece que o próprio Reformador Martin Luther apreciava muito este cântico pascoal, pois em certa oportunidade ele tem dito: “Todos os hinos se cantam até que se tornem cansativos, porém, o Cristo ressuscitou deve se repetir todos os anos novamente.” Igualmente em várias prédicas ele se refere a este hino. Os entendidos acham que o “Cristo ressuscitou” serviu como inspiração para o hino HPD 57 de Martin Luther. – Grande número de músicos, inclusive Johann Sebastian Bach (BWV 627) compusera Prelúdios e outras obras sobre este tema.

Notas:

1. Cânticos em alemão que encerravam com a palavra grega “Kyrieleis”.

2. Ao Cordeiro pascal ofereçam os cristãos sacrifícios de louvor.
O Cordeiro resgatou as ovelhas: Cristo, o Inocente, reconciliou com o Pai os pecadores.
A morte e a vida travaram um admirável combate: Depois de morto, vive e reina o Autor da vida.
Diz‐nos, Maria: Que viste no caminho? Vi o sepulcro de Cristo vivo e a glória do Ressuscitado.

Vi as testemunhas dos Anjos, vi o sudário e a mortalha.
Ressuscitou Cristo, minha esperança: precederá os seus discípulos na Galileia.
Sabemos e acreditamos: Cristo ressuscitou dos mortos: Ó Rei vitorioso, tende piedade de nós.
Alléluia, Amen.

Acredita-se que essa sequência de Páscoa tenha sido composta cerca de 1050 por Wipo de Burgundia, o capelão da corte de Conrado II,(Imperador do Sacro Império Romano Germánico, 1024-1039).
https://8088edd6-a-62cb3a1asites.googlegroups.com/site/santaphilomena/Home/VictimaePaschali.pdf?

3. Joseph Klug (1480-1553) imprimiu e publicou em 1524 a primeira edição do hinário de Wittenberg, com o título „Geystliches gesangk büchlein“. Este hinário foi redigido por Martin Luther e já apresentou notas musicais (talhadas de madeira). Entre 1529 e 1545 seguiram mais outras seis edições deste hinário, conhecido por Klugsches Gesangbuch.
               

Fonte: Oto Schlisske “Handbuch der Lutherlieder”, Göttingen, 1948

Veja também (em inglês): http://www.bach-cantatas.com/CM/Christ-ist-erstanden.htm
 


Autor(a): Leonhard Creutzberg
Âmbito: IECLB
Hino: 61. Cristo ressuscitou
Natureza do Texto: Música
Perfil do Texto: Comentário ou reflexão sobre hino
ID: 25157
REDE DE RECURSOS
+
Ninguém deve fazer tudo o que tem direito a fazer. Cada qual deve olhar para o que é útil e o que é benéfico para o seu irmão, para a sua irmã.
Martim Lutero
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br