Culto de Batismo

03/01/2002

Celebração: Culto de Batismo
Autor: João Artur Müller da Silva
Proclamar Libertação - Volume: XXVII

 


CULTO DE BATISMO

Hino: 134, 1-4 (HPD)

Saudação: A graça do nosso Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vocês.

Estamos reunidos em culto para louvar a Deus, nosso Senhor, para ouvir sua Palavra orientadora e dirigir-lhe nossas preces. Mas, neste culto, também queremos realizar o batismo de Artur Wolf Müller da Silva, como testemunho de nossa confiança no Senhor da Humanidade e em obediência ao seu mandamento.

Oração: Bondoso Deus, estamos reunidos aqui como teu povo. A família Wolf Müller da Silva veio aqui para batizar seu filho. Todos os outros viemos aqui para ser lembrados de que em tempos atrás fomos batizados em teu nome. Através de nosso Batismo tu nos declaraste teus filhos e tuas filhas. Agradecemos-te imensamente por isso. Tu sabes que em algumas situações tiramos de nosso Batismo uma grande qualidade de vida. Em outras oportunidades, simplesmente esquecemos nosso Batismo, como se nunca tivesse acontecido. Concede-nos o teu Espírito Santo, para que ele hoje abra de novo a mente e o coração para o milagre do Batismo, para que assim tenhamos liberdade e coragem de ser tuas testemunhas fiéis nestes tempos de incerteza e de violência. Abençoa a mãe e o pai de Artur, seus padrinhos, suas madrinhas, seus familiares, seus amigos e amigas, abençoa, Senhor, esta comunidade que testemunha o teu Evangelho e procura servir-te em amor e fidelidade. Amém.

Alocução:
Querida Luciane, querido Uirá, mãe e pai de Artur!
Queridas madrinhas, queridos padrinhos!
Querida comunidade!

A história de algumas pessoas serve como fonte da qual podemos extrair exemplos para nossa vida. Por isso, começo esta alocução batismal buscando no passado longínquo um exemplo de uma pessoa muito conhecida entre nós. Trata-se do reformador Martim Lutero, que viveu entre 1483 e 1546. Portanto, muitos e muitos anos atrás. Conta a história que ele afirmava com muita veemência e com muita convicção sua confiança em Deus. E ele o fazia com uma frase somente. Ele dizia em alto e bom tom: “Batizado sou!” E quando ele dizia esta afirmação? Quando estava em momentos de dificuldade, em momentos de grande tensão, em momentos onde o desespero o ameaçava. Nos muitos debates que ele precisou enfrentar para defender a si e seus pensamentos, sua convicção, sua fidelidade a Deus e ao Evangelho, ele falava em voz alta: “Batizado sou”. Por que ele insistia neste reconhecimento? Por que ele fazia questão de dizer que era batizado? Por que ele, inclusive, rabiscou esta frase numa mesa durante um debate? Porque para ele o Batismo tinha um grande valor e, agradecido a Deus, reconhecia a graça e o amor de Deus por ele. Por isso, quando sentia medo, quando se sentia ameaçado, ele buscava nesta afirmação de fé coragem para testemunhar, coragem para falar a verdade, coragem para servir à sua Igreja. Quer dizer, Lutero deixou-nos um exemplo a seguir: qual seja, de aceitar o Batismo como dádiva do amor de Deus, como um sinal visível de que Deus nos acolhe como membros de sua família.

O pai de Artur, Uirá, ao ser batizado em 17 de fevereiro de 1980, na comunidade Martin Luther, em Porto Alegre, recebeu de seu padrinho, o Pastor Geraldo Schach, uma placa de metal, onde está gravada esta frase de Lutero: Batizado Sou!

Com o passar dos anos, esta placa oxidou e está perdendo seu brilho original. No entanto, o mesmo não aconteceu com o Batismo de Uirá. Não perdeu seu brilho ao longo dos 21 anos de sua vida. Os tesouros divinos, os tesouros de Deus, como o Batismo, a fé, a esperança, a graça, o amor, a paciência de Deus não oxidam com o passar dos tempos. Os tesouros de Deus podem, isto sim, ficar escondidos, ocultos em nossa vida porque nós não lhe damos o devido valor. Por isso, neste momento, com certeza todos nós estamos pensando em nosso Batismo e o que fizemos dele ao longo da nossa vida. Esta reflexão é boa e necessária.

Outra pessoa da história da Igreja que nos dá um testemunho vigoroso e exemplo é o apóstolo Paulo, quando ele escreve aos cristãos em Roma, na sua Carta aos Romanos, no capítulo 8, os versículos 35, 37 a 39:

Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada? Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou. Porque estou bem certo de que nem morte, nem vida, nem anjos, nem principados, nem coisas do presente, nem do futuro, nem poderes, nem altura, nem profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.

A partir do Batismo, o apóstolo Paulo faz sua pergunta desafiadora: Quem nos separará do amor de Cristo? Porque era batizado, o apóstolo Paulo podia dar este testemunho. Porque era batizado, Martim Lutero podia defender a verdade evangélica com firmeza e determinação, dizendo: Batizado sou! Porque somos batizados, podemos ser comunidade cristã, família de Deus, sem medo de ser felizes. Sem medo de viver tempos de hoje, porque Deus está ao nosso lado. Porque Deus orienta nossos passos. Porque Deus nos estende a sua mão para nos guiar.

Por isso, queridos pais de Artur, padrinhos e madrinhas, a responsabilidade de vocês para com o pequeno Artur acaba de aumentar neste momento. Pois vocês têm a tarefa de orar pelo Artur, de ser-lhe um exemplo, de guiá-lo no caminho de Deus, de ajudá-lo a se tornar um filho de Deus, apegado à verdade, ao amor, ao perdão, à reconciliação, à justiça, à paz, enfim, a todos os valores que provêm de Deus e que dignifiquem o ser humano. Mas não se assustem. Lembrem-se que vocês também foram batizados um dia e, por isso, peçam a Deus que lhes ajude a cumprir com suas tarefas e obrigações. Quando estiverem em dificuldades, lembrem: Batizado sou, e nada poderá nos separar do amor de Deus. Não deixem de buscar em Deus orientação e forças para suas vidas.

Querida comunidade aqui reunida, o Artur será batizado para dentro desta comunidade, e por isso vejam como poderão acolher esta família e esta criança e, enfim, todas as famílias e crianças que se reúnem nesta comunidade. Peçam também a Deus, como pastores, como presbíteros, como membros, que lhes dê criatividade, força e muito amor no cuidado com as crianças e jovens de sua comunidade.

Que Deus, o Senhor da vida e do amor, abençoe o Batismo que vamos realizar em seu nome. Amém.

Vamos todos juntos, agora, confessar a fé em Deus, Pai, Filho e Espírito Santo, como sinal de nossa unidade como família cristã. Fazemos esta confissão com as palavras do Credo Apostólico:

Creio em Deus Pai, Todo-Poderoso, Criador do céu e da terra. E em Jesus Cristo, seu Filho unigênito, nosso Senhor, o qual foi concebido pelo Espírito Santo, nasceu da Virgem Maria, padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado, desceu ao mundo dos mortos, ressuscitou no terceiro dia, subiu ao céu e está sentado à direita de Deus Pai, Todo-Poderoso, de onde virá para julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na santa Igreja cristã, a comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na ressurreição do corpo e na vida eterna. Amém.

Perguntas:

Queridos Uirá e Luciane, queridas madrinhas e padrinhos. Pergunto: Vocês se dispõem a cuidar do Artur, a ser-lhe um exemplo, a falar-lhe dos tesouros divinos, a orientar seus passos na vida, a ensinar-lhe o valor do Batismo que hoje vamos realizar? Se vocês estão firmes neste propósito, então respondam: Sim, com a ajuda de Deus.

Querida comunidade, eu pergunto também a vocês: Estão dispostos a acolher esta família e sua criança, a ser-lhe um exemplo, a falar-lhe dos tesouros divinos, a cuidar de sua educação na fé? Se vocês estão firmes neste propósito, então respondam: Sim, com a ajuda de Deus.

Ato do Batismo

Bênção aos pais
Oração: Querido Deus, muito obrigado pelo Batismo do Artur. Somos gratos por tua graça e por teu amor manifestados neste sacramento que agora realizamos. Ajuda pais, madrinhas e padrinhos e também a comunidade no cumprimento de seu compromisso hoje assumido contigo e com o pequeno Artur. Abençoa a vida de cada uma destas pessoas que se comprometeram em orientar e ser um exemplo para esta criança. Agradecemos-te também pelo nosso Batismo e permita que possamos buscar nele a força para a nossa vida nos dias de hoje. Que o nosso Batismo possa sempre ser um sinal vivo do teu amor, da tua graça e que nos dê vigor no testemunho, no serviço e no amor uns aos outros. Obrigado, Senhor, porque nos escolheste para ser tua família. Por Jesus Cristo, nosso Senhor, amém.

Hino: 135 (HPD)

Proclamar Libertação 27
Editora Sinodal e Escola Superior de Teologia


Autor(a): João Artur Müller da Silva
Âmbito: IECLB
Título da publicação: Proclamar Libertação / Editora: Editora Sinodal / Ano: 2001 / Volume: 27
Natureza do Texto: Liturgia
Perfil do Texto: Celebração
ID: 7271
REDE DE RECURSOS
+
É por meio de Cristo que somos aceitos por Deus, nos tornamos o povo de Deus e somos salvos.
1Coríntios 1.30b
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br