Das profundezas clamo a ti

Comentário e Reflexão

10/10/2013

HPD 147 – Das profundezas clamo a ti
Letra e melodia: Martin Luther (1524)
Texto bíblico: Salmo 130

“Das profundezas clamo a ti” (original alemão Aus tiefer Not schrei ich zu dir) é um coral escrito e composto (provavelmente já em 1523) por Martin Luther. Ele usou por base o Salmo 130 em latim, o qual inicia com as mesmas palavras: “De profundis clamavi” = “Das profundezas clamo a ti, Senhor”.

Quatro estrofes deste coral foram publicados em 1524 em Nuremberg como um dos oito hinos do pequeno cancioneiro “Etlich Cristlich lider“, chamado de “Achtliederbuch1. No mesmo ano elas apareceram também no “Enchiridion de Erfurt”. E ainda em1524 uma versão de cinco estrofes (desdobrando a 2ª estrofe das outras edições em duas estrofes, para desenvolver melhor o tema de “somente tua graça”) foi publicada no “Geystliches gesangk Buchleyn” (Livrinho de cânticos religiosos) em Wittenberg. Além disso circularam folhas avulsas com este hino, na cidade de Magdeburgo2. - Hoje em dia faz parte de numerosos hinários, sendo traduzido em diversas línguas.

O Salmo bíblico de nº 130 foi um dos Salmos favoritos de Martin Luther. O Salmo é a confissão de uma pessoa que se sentia no fundo do poço de pecados, mas chegou a conhecer a graça e bondade de Deus e receber seu perdão. Martin Luther fez esta mesma experiência em sua vida. Por isso, junto com os Salmos de nº 32, 51 e 143, ele contou o de nº 130 entre os psalmi paulini (Salmos no espírito do apóstolo Paulo) que expressam a essência da doutrina luterana. Transformar este Salmo em um hino rimado na língua do seu povo foi a primeira tentativa de Luther de preparar os Salmos para uso nos cultos evangélicos.

O texto inspirou compositores para música vocal e instrumental desde a Renacença até os dias atuais, incluindo Johann Sebastian Bach (BWV 38 e 686), Felix Mendelson (Op.23, nº 1) e Max Reger (Op. 135ª, nº 4).

A melodia3  deste coral em nosso hinário HPD nº 147 é da autoria de Martin Luther, em colaboração com Johann Walther. Usaram o modo Frígio medieval. Uma segunda melodia (que provavelmente já existia no século 15) foi adaptada por Wolfgang Dachstein e publicada em Strassburg no ano de 1525 em “Teütsch Kirchen amt”. 

No dia 5 de maio de 1525 faleceu o Príncipe Eleitor Frederico o Sábio, o protetor de Martin Luther. Ele foi um dos primeiros soberanos da Alemanha que se despediu desta vida sem pedir a extrema unção, pois recebeu seu conforto através da Palavra de Deus. A corte, então, chegou a Martin Luther, Melanchthon e Gabriel Zwilling e pediu orientação a respeito do modo e das cerimônias funerais. Com sobriedade e clareza estes rejeitaram vigílias, missas e outros costumes da época e defenderam o anúncio da Palavra de Deus e o canto de hinos cristãos. No dia 7 de maio, durante o sepultamento do soberano, entre outros foi cantado o hino “Das profundezas clamo a ti”. Este coral contém várias passagens confortadoras, como p.ex. no final da 3ª estrofe a confissão de fé: “No Verbo dás-me teu vigor, consolo e amparo em toda a dor. Tu és minha esperança.”

Notas:

1. O Achtliederbuch contém quatro cânticos de Martin Luther, tres de Paul Speratus e um por Justus Jonas.
2.Veja no comentário ao HPD nº 106, a Crônica da cidade de Magdeburgo de maio de 1524.
3. O coral também pode ser cantado pelas melodias dos hinos “Cristãos, alegres jubilai” (HPD 155) ou “Chegou a nós a redenção” (HPD 156).
 

Fontes: http://en.wikipedia.org/wiki/Aus_tiefer_Not_schrei_ich_zu_dir Otto Schlisske, Handbuch der Lutherlieder, Göttingen, 1948


Autor(a): Leonhard Creutzberg
Âmbito: IECLB
Hino: 147. Das profundezas clamo a ti
Testamento: Antigo / Livro: Salmos / Capitulo: 130
Natureza do Texto: Música
Perfil do Texto: Comentário ou reflexão sobre hino
ID: 25184
REDE DE RECURSOS
+
O Senhor conduza o vosso coração ao amor de Deus e à constância de Cristo.
2Tessalonicenses 3.5
© Copyright 2024 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br