Datas Comemorativas 2015

01/12/2014

Datas Comemorativas 2015

P. Ms. Osmar Luiz Witt

1515 -> 500 anos - Preleções de Martim Lutero

Entre os anos 1513 e 1518, o professor de teologia, doutor nas Sagradas Escrituras, Martim Lutero, proferiu uma série de preleções sobre livros da Bíblia. Ele escreveu sobre os Salmos (1513-1515), sobre a Carta aos Romanos (1515-1516), sobre a Carta aos Gálatas (1516), e sobre a Carta aos Hebreus (1518). Portanto, há quinhentos anos, o reformador debruçava-se sobre as passagens bíblicas que lhe seriam altamente desafiadoras e sinalizadoras de um caminho de liberdade, tal como esta que se tornou o lema do movimento de Reforma da Igreja: “O justo viverá por fé.” (Romanos 1.17) A caminho das celebrações do quinto centenário daquele movimento, é oportuno dar-se conta de que ele resultou de um longo processo de fundamentação, reflexão e prática.

1765 –> 250 anos - James Watt aperfeiçoa a máquina a vapor

O inventor escocês James Watt (*19-1-1736; †25-8-1819) foi o criador da máquina a vapor. Desde 1759, na Universidade de Glasgow, dedicou-se à pesquisa do vapor como força motriz. Buscando o aperfeiçoamento das máquinas então conhecidas, em 1765, construiu o primeiro motor a vapor de utilização universal. Este invento possibilitou expandir a aplicação das máquinas. Em 1784, chegou ao projeto da locomotiva a vapor. Seu invento foi tão importante para a humanidade, que impulsionou o desenvolvimento da Revolução Industrial que se seguiu, com o emprego das máquinas na produção e no transporte de bens.

1915 –> 100 anos - Manifesto monarquista do Contestado

O movimento do Contestado foi parte de um violento conflito social ocorrido entre 1912 e 1916 na região oeste de Santa Catarina, divisa com o Paraná, na época disputada pelos dois estados, razão do nome pelo qual o movimento ficou conhecido. O que resultou foi o enfrentamento entre camponeses pobres e as forças federais e estaduais. Classificado como movimento messiânico, o Contestado reuniu um grande número de famílias pobres em busca de terra e de sobrevivência na região. Muitos trabalhadores que haviam sido contratados para a construção da ferrovia ligando São Paulo ao Rio Grande do Sul, ficaram desempregados e desassistidos. Outras tantas famílias perderam suas terras para as companhias colonizadoras e madeireiras, que receberam concessões governamentais. Sob a liderança do beato José Maria, o movimento realça componentes religiosos, agregando à luta pela terra a luta por suas crenças. Após a morte de José Maria, tombado em combate com as tropas federais, acentua-se a crença de que ele retornaria. As novas lideranças da irmandade político-religiosa que se constituiu, lançaram, em 1915, um manifesto monarquista e conclamaram o povo - cerca de vinte mil pessoas - para enfrentar os coronéis, as companhias de terras e as autoridades estaduais e federais. O conflito terminou com a intervenção do Exército e um saldo de quase três mil mortos.

1945 –> 70 anos - Fim da II Guerra Mundial

Iniciada em 1º/09/1939 com a invasão da Polônia por tropas da Alemanha nazista, e a consequente declaração de guerra à Alemanha pela França e o Império Britânico. Esta grande guerra chegou ao fim em 02/09/1945 com a capitulação do Japão, após custar cerca de 47.000.000 de vidas, sendo 26.000.000 só de parte da Rússia. Nela se enfrentaram duas grandes alianças militares: As forças do Eixo (Alemanha, Itália e Japão) contra as Forças dos países Aliados.

O Brasil chegou a entrar na guerra ao lado dos Aliados em 1944, e enviou uma Força Expedicionária, composta de 25.344 homens aos campos de batalha na Itália. Destes 443 homens morreram em luta e estão sepultados em Pistoia, em solo italiano.

Emergiram da II Guerra os Estados Unidos e a Rússia como duas grandes potências adversárias. Sob a liderança dos Estados Unidos formou-se o bloco de nações capitalistas – que formaram o pacto militar da OTAN, e sob a liderança da Rússia o bloco das nações socialistas – que formaram o Pacto de Varsóvia. A linha divisória destes dois blocos passava pela Alemanha dividida, com armamentos nucleares e tropas instaladas de cada lado, mantendo uma paz armada com capacidade bélica para a destruição do planeta. Esta “guerra fria” estendeu-se até 1989 quando houve a queda do Muro de Berlin, respectivamente 1991 quando se desfez a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).

1945 –> 70 anos - Criação da Organização das Nações Unidas (ONU)

A Organização das Nações Unidas é o organismo internacional que surgiu no final da II Guerra Mundial, sucedendo a Liga das Nações, criada em 1919, após a I Grande Guerra. Entre os objetivos desta organização mundial de nações está a manutenção da paz, a defesa dos direitos humanos e a promoção do desenvolvimento em escala mundial. A primeira carta foi assinada por 50 países, em junho de 1945, em São Francisco – EUA.

As decisões da ONU nem sempre são acatadas, sobretudo, quando ferem interesses geopolíticos das nações mais poderosas que a compõem. Contudo, reforçar os mecanismos de paz negociada, que não ignorem os reclamos por justiça e direitos dos povos, é uma demanda urgente para a sobrevivência da raça humana sobre a terra.

1965 –> 50 anos - Fim do Concílio Ecumênico Vaticano II

O Concílio Ecumênico Vaticano II talvez tenha sido o maior acontecimento da Igreja Católica Romana no século passado. O papa João XXIII anunciou a realização do concílio no dia 25 de janeiro de 1959. A abertura se deu em 11 de outubro de 1962. O Vaticano II teve quatro períodos, dos quais somente o primeiro esteve sob a condução de João XXIII. Os três períodos seguintes foram presididos pelo Papa Paulo VI, que encerrou os trabalhos conciliares no dia 8 de dezembro de 1965, há cinquenta anos. Entre as razões que levaram à realização deste Concílio destacou-se a busca de um aggiornamento (colocar-se em sintonia) da Igreja Católica Romana aos tempos modernos. Do concílio surgiram dezesseis documentos, entre os quais duas constituições sobre a Igreja. A primeira, Lumen Gentium (luz dos povos) trata dos ensinamentos sobre o ser da Igreja e sua missão. A segunda, Gaudium et Spes (alegria e esperança) trata da Igreja no mundo atual. Além disso, de grande impacto para a teologia e a ação pastoral, em especial na América Latina, foi a concepção de Igreja como povo de Deus, que suplanta a visão apenas hierárquica. Igreja é o povo de pessoas batizadas, que é servida e que serve com seus diferentes carismas e dons.

1985 –> 25 anos - Eleição de Tancredo Neves para a Presidência do Brasil

O Colégio Eleitoral, formado pelo Congresso Nacional, elegeu Tancredo Neves para exercer a Presidência do Brasil, em reunião no dia 15 de janeiro de 1985. As manifestações populares que levaram milhares de pessoas às ruas em todo o país, em 1984, pediam eleições diretas. O lema da campanha ficou sintetizado
no brado: “Diretas já!” Contudo, os conchavos políticos que compuseram a transição do regime militar para o regime democrático, não corresponderam aos anseios das ruas. E a eleição se fez de modo indireto, com os representantes parlamentares elegendo o Presidente e seu Vice. Tancredo Neves não chegou a assumir o cargo, pois, faleceu antes. Em seu lugar assumiu o Vice-Presidente, José Sarney, o qual veio a ser o primeiro Presidente do Brasil, após a redemocratização. Aquela foi a última eleição indireta e, hoje, além do direito ao voto, a democracia brasileira está a reclamar novas formas de participação popular nos rumos da nação.

2005 –> 10 anos - Morte de João Paulo II

Aos 2 de abril de 2005, faleceu o Papa João Paulo II, aos 84 anos. Ele esteve por 26 anos no pontificado da Igreja Católica Romana. Foi sepultado seis dias depois numa cripta da Basílica de São Pedro, no Vaticano, depois de um funeral na presença de líderes religiosos, políticos e de milhares de pessoas que vieram de todo o mundo. Seu sucessor foi o Cardeal Joseph Ratzinger, que veio a ser o 265º papa e o primeiro sumo pontífice alemão em 482 anos. Ele adotou o nome de Bento XVI. Sob a liderança desses dois papas, a Igreja Católica Romana viveu um período de “restauração” em relação às inovações do Concílio Vaticano II e seus desdobramentos, em especial, os avanços alcançados pelas teologias da libertação. O novo papa, Francisco, acena outra vez com abertura, diálogo e busca de uma igreja atenta aos clamores das pessoas.

O autor é Pastor da IECLB, responsável pelo Arquivo Histórico
da mesma e Professor de História Eclesiástica na Faculdades EST em São Leopoldo/RS


Voltar para índice Anuário Evangélico 2015


Autor(a): Osmar Luiz Witt
Âmbito: IECLB
Título da publicação: Anuário Evangélico - 2015 / Editora: Editora Otto Kuhr / Ano: 2014
Natureza do Texto: Artigo
ID: 35021
REDE DE RECURSOS
+
Ajuda-nos, Senhor, nosso Deus, porque em ti confiamos.
2Crônicas 14.11
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br