Dia Nacional da Diaconia na IECLB - 2009 - Celebração

Subsídios litúrgicos

26/04/2009

 

LITURGIA DE ENTRADA

Acolhida

L (Dar as boas-vindas à comunidade, acolher os/as visitantes, apresentando cada um/a. Falar da motivação do tema do culto “comunhão e partilha“ e do destino das ofertas.)

Hino

C (canta) Quando o povo se reúne (HPD 2, 336)

Saudação apostólica

L A graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito sejam com vocês.

C E também com você.

Confissão de pecados

L Confessemos os nossos pecados:
Deus da graça e da misericórdia. Em humildade chegamos a ti para reconhecer que temos dificuldades de orientar a nossa vida a partir da tua graça. Tu nos recebeste, em nosso batismo, como teus filhos e tuas filhas, nos deste amor, perdão e nos ensinaste a viver unidos em um só corpo em Cristo. Mas, em nosso viver diário, nós nos desviamos deste seu propósito. Em consequência, deixamos de viver a comunhão do corpo de Cristo e a partilha entre irmãos e irmãs. Pedimos-te perdão pelo jeito individualista e fragmentado de viver como Igreja. Ensina-nos a entender que viver na tua graça é ajudar as pessoas que têm necessidades.

C (canta) Chegamos hoje, perante ti

Anúncio da graça

L Em 2 Co 8. 9, o apóstolo Paulo anuncia: “pois conheceis a graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, que, sendo rico, se fez pobre por amor de vós, para que pela sua pobreza vos tornásseis rico. Paz seja com vocês!

Oração do dia

L Oremos

L Ó Deus, tu que podes criar comunhão mesmo ali onde há fragmentações; tu que podes criar em nós a capacidade de partilhar mesmo ali onde reina o individualismo, abre agora os nossos ouvidos para ouvir a tua palavra, aquela que nos ensina a comunhão e a partilha; dá-nos a tua ceia que nos permite vivenciar a comunhão
e a partilha. Por Jesus Cristo, que contigo e com o Espírito Santo, vive e reina, de eternidade a eternidade.

C Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

Leituras bíblicas

Primeira leitura

L A primeira leitura é conforme Deuteronômio 16. 17.

C (canta) Senhor, que a tua palavra

Segunda leitura

L A segunda leitura é conforme 2 Coríntios 8. 1-15

L Aclamemos o evangelho, cantando:

C (canta) Aleluia

(Escolher um “aleluia” conforme os cantos conhecidos na comunidade).

Leitura do evangelho

L O santo evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo, conforme Lucas 21. 1-4.

L .... Palavra do Senhor

C (canta) Louvado sejas, Cristo.

Pregação

(A pregação se baseia no texto de 2 Coríntios 8. 1-15. Leia as reflexões sobre este texto no estudo apresentado por Rodolfo Gaede Neto).

Recolhimento das ofertas

L Na pregação deste culto ouvimos que a oferta foi um sinal concreto de comunhão e diaconia em favor dos pobres da comunidade de Jerusalém, na época do apóstolo Paulo. As ofertas que recolhemos a cada culto são um testemunho da graça e do amor de Deus. Nós ofertamos porque somos um corpo unido que se apoia mutuamente. Ofertar é praticar a comunhão e a diaconia. É com este espírito que vamos recolher agora as
nossas ofertas.

L Enquanto recolhemos as ofertas, cantamos:

C (canta) “Diaconia”

Oração Geral da Igreja

L Oremos

L Querido e amado Deus, intercedemos a ti pela tua Igreja e por todos que nela te servem. Dá que a tua Igreja saiba conviver com as diferenças internas e, apesar delas, saiba vivenciar a comunhão do teu corpo.
Intercedemos-te pelas autoridades de todo o mundo e, em especial, pelos que governam o nosso país para que sejam tocados pelo espírito da honestidade, da justiça e da solidariedade. Orienta os governantes a buscarem ações que visem superar os grandes problemas sociais, que causam desigualdades entre as pessoas e causam o sofrimento de tantas pessoas em nossa sociedade.
Intercedemos pelas pessoas que não encontram trabalho, pelas que estão endividadas, pelas doentes, pelas que sofrem depressão, pelas enlutadas, pelas desesperançadas, pelas que enfrentam conflitos no relacionamento familiar, matrimonial e profissional.
Intercedemos pelos jovens para que eles encontrem espaços em nossas comunidades e possam expressar a sua fé, os seus conflitos e suas esperanças. Intercedemos pelas crianças, para que elas cresçam no amor e na fé.
Entregamos em tuas mãos todas as nossas preocupações, na certeza de que tu transformas tudo segundo a tua superabundante graça e teu infinito amor.

C Amém.

LITURGIA DA CEIA

Preparo da mesa

L Enquanto cantamos, vamos trazer à mesa as ofertas recolhidas, o pão, o fruto da videira e os utensílios para a comunhão.

C (canta) Nosso Pai nos põe a mesa (HPD, 2, 358)

Oração do ofertório

L Deus, grande é a tua benignidade. Em gesto de gratidão por tudo o que de ti recebemos, colocamos em tuas mãos essas ofertas em dinheiro. Usa-as em favor dos que dela necessitam.

L Nós te agradecemos, ó Deus, porque tu usas o pão e o suco da videira que aqui te trouxemos e sacias a nossa necessidade de ter comunhão contigo, com os irmãos e com as irmãs. Amém.

Oração eucarística

L Deus, fonte de eterna graça! Nós te bendizemos porque, em Jesus Cristo, tu vieste a nós e nos deste todos os bens do teu Reino santo. Deste-nos amor, aceitação, perdão, vida nova e salvação eterna. Tudo isto, conquistado pela morte e pela ressurreição do teu filho. Ao nos reunir em torno desta mesa, rememoramos tudo o que Cristo fez por nós, na cruz. Antes da sua entrega definitiva, porém, Jesus ceou com os seus discípulos:
“Ele tomou o pão; e tendo dado graças, o partiu e disse: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim. Depois de haver ceado, tomou também o cálice, dizendo: Este cálice é a nova aliança no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que o beberdes, em memória de mim”.
Reunimo-nos agora para celebrar a salvação que o teu filho nos deu e para receber o próprio Cristo no pão e no cálice.
Vem, Senhor. Derrama o teu Santo Espírito e faze com que esta união contigo nos transforme em um só corpo que vive a comunhão e a partilha.
Lembra-te, ó Deus, de todas as pessoas que viveram diante de ti, dando testemunho do teu amor, através da comunhão e da solidariedade. Guia-nos, com elas, à festa da alegria que tu nos preparaste no teu Reino prometido, festa que celebramos antecipadamente em torno desta mesa.
Por Jesus Cristo, sejam dadas a ti, Deus todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e sempre, Amém.

Pai-Nosso

Gesto da Paz

L Para o apóstolo Paulo, o aperto de mãos foi um sinal do claro compromisso com a comunhão entre comunidades marcadas por grandes diferenças e conflitos. Vamos nós agora repetir este gesto, entre nós, como sinal do nosso compromisso em viver a comunhão e a partilha em nossa igreja.

Fração

L (elevar o cálice) O cálice da bênção pelo qual damos graças é a comunhão no sangue de Cristo (+).

L (partir o pão) O pão que partimos é a comunhão no corpo de Cristo (+).

C (canta) Nós embora muitos, somos um só corpo.

Comunhão

(Durante a comunhão, a comunidade canta)

Oração pós-comunhão

L Ó Deus, tu nos recebeste em tua mesa, nos uniste a ti pelo pão e pelo cálice. Tu nos fortaleceste para o compromisso diaconal na igreja. Graças te damos por tua graça e por teu amor. Amém.

LITURGIA DE DESPEDIDA

Avisos

Bênção

 

Envio

(Estendendo a mão direita ao/à vizinho/a)

L Vão agora e sirvam ao Senhor com alegria.

 

Observação
A mão destra da comunhão, que aparece no estudo do texto de 2 Co 8.1-15, pode ser utilizado de forma criativa nesta liturgia. Fica, pois, este desafio para as pessoas que prepararem esta liturgia em seus respectivos grupos e comunidades.

Cat. Ms Erli Mansk é Doutoranda no Programa de Pós-Graduação – EST – São Leopoldo/RS
 


Autor(a): Erli Mansk
Âmbito: IECLB
Área: Missão / Nível: Missão - Diaconia
Área: Celebração / Nível: Celebração - Liturgia
Natureza do Texto: Liturgia
Perfil do Texto: Celebração
ID: 13680
REDE DE RECURSOS
+
Quem conhece Deus também conhece as criaturas, as compreende e as ama, pois, nas criaturas, estão as pegadas da divindade.
Martim Lutero
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br