E perdoa-nos as nossas dívidas…

01/12/2012

E perdoa-nos as nossas dívidas…

A conjunção de ligação “e” auxilia na copreensão desta petição. Se as primeiras petições tratam daquilo que Deus quer, a partir da quarta petição (O pão nosso de cada dia nos dá hoje) a oração enfoca aquilo que é necessário para o bem viver da pessoa humana. Como necessitamos do pão, isto é, tudo o necessário para o bem viver - como explica Lutero -, assim necessitamos também a cada dia do perdão de nossas dívidas, de nossos pecados. Dá o pão e perdoa os pecados expressa de maneira integral, corpo e alma, todo o anseio do ser humano. “Não só de pão viverá a pessoa, mas de toda palavra que procede da boca de Deus” (Mateus 4.4). Palavra essa tornada carne em Jesus Cristo, o qual em sua cruz assumiu nossos pecados, como se fossem seus, e nos deu de sua santidade. O que, como diz Lutero, foi para nós uma “troca feliz”. Usufruímos desta “troca feliz” ao nos reconhecermos como pessoas pecadoras, as quais carecem da glória de Deus (conforme Romanos 3.26). Pois se “dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós” (1 João 1.8). Sim! Somos pessoas pecadoras. Nós nos afastamos de Deus e, por conseguinte, pecamos na relação com as pessoas e o mundo em nossa volta.

Orar “e perdoa-nos as nossas dívidas” é reconhecer-se como pecador e pecadora. Neste reconhecermo-nos, revela-se quem é o nosso Deus. A saber, um Deus que, em seu amor gracioso, acolhe de braços abertos o seu filho ou sua filha - que está ciente de sua própria situação e se arrepende – perdoando-o, consolando, libertando e lhe proporcionando nova vida (conf. Lucas 15.11-32). Uma vida cuja culpa não mais remói no coração e na consciência, mas que nos deixa junto de Deus e nos empurra ao encontro das pessoas, procedendo como Deus o faz. Assim como fomos perdoados, abraçados por Deus, também “perdoamos aos nossos devedores”. Deus não pede que cumpramos ritos, paguemos promessas e dízimos para recebermos a graça de sua - e exclusivamente sua - obra salvadora em Jesus Cristo por nós. Contudo, espera que – em amor e gratidão - perdoemos incondicionalmente e diariamente aos nossos devedores, assim como ele nos perdoa. Amém.

P. Milton Jandrey - Schwandorf / Alemanha


Oração:

Amado Deus, tu nos acolhes em teu amor quando nos voltamos arrependidos a ti. Dá que reconheçamos nossos pecados e creiamos no teu perdão por Cristo. E como tu procedes conosco, assim também nós procedamos. Amém.


Voltar para índice Anuário Evangélico 2013

 


Autor(a): Milton Jandrey
Âmbito: IECLB
Título da publicação: Anuário Evangélico - 2013 / Editora: Editora Otto Kuhr / Ano: 2012
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Meditação
ID: 32351
REDE DE RECURSOS
+
Servi ao Senhor com alegria, apresentai-vos diante dele com cântico.
Salmo 100.2
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br