Eclesiastes 4.9-12

Alocução Bênção Matrimonial

07/11/1995

1. O Caso

Os jovens são ambos evangélicos luteranos. Os dois participam do grupo da Juventude Evangélica. A noiva é filha de família citadina e trabalha como balconista numa loja. O noivo era agricultor. Veio para a cidade e há dois anos e três meses trabalha numa empresa de construção. A partir da conversa pré-matrimonial constato que, na amizade construída e durante o tempo de namoro, o casal começou a fazer desabrochar o amor. A opção pelo matrimônio, creio eu, parece-me madura. E espero que sejam bons parceiros no amor, com a bênção de Deus.

2. Alocução

Queridos noivos .......... e .......... .
Certamente, hoje é um dos dias mais importantes para vocês dois. Vocês jamais esquecerão este dia: ... de .......... de 19... . Estão rodeados pelos seus familiares, seus amigos e amigas, também por colegas... E em meio às emoções da expectativa, sentem-se alegres, buscando a felicidade plena que é o fruto do amor. Este momento, aqui diante do altar, vem coroar a sua caminhada comum: de testemunho de fé e louvor ao Deus criador e libertador.

Num certo dia, num certo momento tudo começou. Seus olhares se cruzaram. As conversas sinceras... O abraço carinhoso... Sim, na amizade fortalecida, no crescimento do namoro vocês começaram a fazer desabrochar o amor. Vocês dois decidiram comprometer-se mútua e integralmente um com o outro. E é este o passo que estão dando hoje. Por isso, vocês vêm buscar orientação na palavra de Deus e pedir a sua bênção.

Queridos noivos .......... e .......... .

Creio que vocês desejam caminhar no amor, durante toda a sua vida. Por isso, com humildade e fé rogo que o Espírito Santo venha revigorar a palavra divina, para que vocês e nós todos possamos experimentar o poder e as maravilhas do amor de Deus.

O lema bíblico escolhido para o seu matrimônio encontra-se no livro de Eclesiastes 4.9-12, que passo a ler:

Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho... Se caírem, um levanta o companheiro... Se dormirem juntos, eles se aquentarão... Se alguém quiser prevalecer contra um, os dois lhe resistirão: o cordão de três dobras não se rebenta com facilidade.

Queridos noivos, testemunhas, familiares e demais convidados!

Se entendo bem, este lema bíblico apresenta quatro pontos; ou melhor dizendo, contêm quatro verdades sobre as quais gostaria de refletir com vocês. Estas verdades estão ligadas entre si como os vimes no balaio...

A primeira verdade diz: Dois é melhor do que um.

Isto é muito simples. Está claro! Onde dois trabalham, como é o seu caso, conseguem aumentar o seu ganho. Na vida, no dia-a-dia, há e haverá situações em que vocês compreenderão isso melhor ainda: dois é melhor do que um. Vejam a realidade da dança. Dançar sozinho não tem muita graça. O fato de termos duas mãos, que Deus nos deu — uma mão lava a outra... E duas mãos juntas têm o dobro de força.

Mas no mundo em que vivemos, na sociedade de produção, as coisas são diferentes. Nas indústrias e empresas muitos, milhares trabalham e se sacrificam, mas o lucro fica com um ou dois, meia dúzia. A propaganda de venda é geralmente dirigida para cada indivíduo. O consumo individual tem promessa de maior felicidade... Face a isso, creio que a união matrimonial vem a ser um ataque a este tipo de vida e sociedade que escraviza. E é um testemunho contra o individualismo, onde cada um só pensa em si. O matrimônio é testemunho contra o ditado que diz: Cada um por si e Deus por todos. Esta não é a vontade bíblica, mas mundana/capitalista. A verdade bíblica é: melhor serem dois do que um.

A segunda verdade, queridos .......... e ........... diz: Se caírem, um levanta o/a companheiro/a...

Daí entendo que o matrimônio tem a ver com o tombo — com o cair. Neste sentido, as comunidades cristãs são formadas por aqueles e aquelas que levam tombo/que caem. Por isso, a Igreja é o lugar onde um levanta o outro. Ao contrário do que se possa pensar, o matrimônio é uma caminhada com tombos. E semelhante à caminhada de Jesus Cristo. Ele carregou a sua cruz, levando muitos tombos. Mas, segundo as Escrituras Sagradas, Deus levantou Jesus de Nazaré — o ressuscitou dentre os mortos. Esta é a promessa que herdamos. É a esperança de sentido pleno para a nossa vida, também para a vida matrimonial.

A terceira verdade diz: Se dois dormirem juntos, eles se aquentarão.

Aqui fala-se da maravilha que é o corpo humano. É dito que o corpo é uma espécie de fábrica de calor. Trata-se duma clara referência à sexualidade. Aliás, com este assunto geralmente se lida com dificuldade. Porém o texto afirma que o matrimônio tem a ver com o envolvimento integral do homem e da mulher, inclusive com o envolvimento do corpo todo. Dormir juntos, se aquentar, estes termos indicam que no matrimônio é necessário ter muito carinho, muita afetividade, abraços sinceros... realização plena como homem e mulher.

Queridos noivos .......... e .......... !

A quarta verdade diz: Cordão de três dobras não se rebenta com facilidade.

Penso que aqui se trata duma figura. É possível que existam diversas interpretações desta figura. Para nós esta figura, cordão de três dobras, significa: duas dobras são vocês dois, .......... e ........ .

A terceira dobra é Jesus Cristo. Esta é igualmente muito importante. Ele veio, vem e virá! Um dos fortes motivos por que matrimônios fracassam é porque não se importam e nem contam com a terceira corda — Jesus Cristo. E Jesus vem a nós em meio às dores e sofrimentos do mundo. Chama-nos a caminhar com Ele quando diz: Eu sou o caminho, a verdade e a vida... (Jo 14.6). Jesus ensinou e viveu o amor com as pessoas. Ele também quer o amor verdadeiro entre homem e mulher, na vida matrimonial.

Vocês, .......... e ........... chegaram até aqui para testemunhar que a partir da fé colocam as suas promessas mútuas de amor e fidelidade (sua vida toda) nas mãos de Deus. Pedem a sua bênção e proteção. Nunca deixem de ouvir e vivenciar a palavra de Deus. Deus continua chamando, capacitando para a fidelidade e o amor verdadeiros. Amém.


Autor(a): Carlos Luiz Ulrich
Âmbito: IECLB
Testamento: Antigo / Livro: Eclesiastes / Capitulo: 4 / Versículo Inicial: 9 / Versículo Final: 12
Título da publicação: Proclamar Libertação / Editora: Editora Sinodal / Ano: 1995 / Volume: 21
Natureza do Texto: Liturgia
Perfil do Texto: Alocução
ID: 14205
REDE DE RECURSOS
+
A vida cristã não consiste em sermos piedosos, mas em nos tornarmos piedosos. Não em sermos saudáveis, mas em sermos curados. Não importa o ser, mas o tornar-se. A vida cristã não é descanso, mas um constante exercitar-se.
Martim Lutero
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br