Em boas mãos!

08/10/2019

Você controla a situação? Você agarra mesmo? Você não deixa escapar? Opa! Então você precisar estar no lugar certo e na hora certa!

Essa foi a minha experiência quando assisti ao um espetáculo circense na minha cidade. O pessoal do trapézio deixou centenas de espectadores maravilhados naquele domingo a tarde.

A interação precisa dos trapezistas possibilitou proezas fabulosas. Foi interessante perceber o sujeito que voava de um lado para o outro. Prestando atenção, percebi que, do grupo, ele era o que menos se esforçava e, ao mesmo tempo, o mais aplaudido.

Quem na realidade fazia tudo era o cara pendurado pelos pés que o apanhava durante o voo. O homem voador só precisava estender sua mão e esperar que seu companheiro o agarrasse e o trouxesse de volta, em segurança à rampa.

Se o indivíduo que voava tentasse agarrar a mão de quem o esperava, daí então poderia acontecer um desastre como a quebra de um pulso, por exemplo.

O trapezista voador deve apenas confiar que será agarrado no momento certo. O elemento crucial nesta arte é a confiança e ela tem a ver com ousadia.

Em quem confiar nos dias de hoje? Não somos todos seres humanos e, por isso mesmo, gente perigosa? Será que ainda podemos nos dar ao luxo de confiar em alguém? Confiar – isso não é perigoso?

Percebam o que acontece na nossa volta! O bom vizinho caiu em desgraça. Logo ficamos sabendo que ele, durante anos, espancou sua esposa e até abusou das suas crianças. Lá está a eficiente empresária e o poderoso gerente. Quantos dinheiros já desviaram em quantas contas bancárias? E o show business? E a indústria da música? Há quem diga que é melhor não olhar atrás das cortinas!

Então, por que toda essa conversa sobre confiança? Quem é tão ingênuo e voluntarioso para confiar em pessoas que podem enganar até não mais poder?

Outro dia li que uma pessoa adulta precisa cultivar algumas doses de desconfiança saudável e de algum conhecimento sobre a natureza humana. Agora, nós não podemos sustentar essa postura durante toda a nossa vida.

Sim, devemos confiar em alguém ou em alguma coisa. Se assim não for, acabaremos ficando doentes. A confiança é vital. Quem não confia não tem capacidade de dirigir um carro; de atravessar uma rua com segurança; de casar ou ter amigos.

A vida dá as mãos à confiança. Deus nos pensou e criou para caminharmos esse caminho. A confiança também é boa. Deixar-se cair um pouquinho, largue-se, estique as mãos - como os artistas que quase beijam a lona do circo - e deixem-se pegar com segurança.

Que experiência libertadora!

Quem nos pegará em segurança? Quem estará no controle da situação? Quem é confiável? Como seria uma pessoa em quem podemos confiar?

Coloquem sua confiança nas mãos de uma pessoa querida; de uma pessoa que lide adequadamente com sua vida! Será que esta descrição se aplica a todas as pessoas? Talvez você conheça alguém que seja confiável.

Eu creio em Deus e posso dizer da minha experiência que se alguém é confiável, esse Alguém é Deus! O Deus da Bíblia é confiável e seguro como uma rocha em meio às ondas. Construa sua vida Nele. Aproveite a chance e permita que Deus agarre sua mão! Esse é o momento certo! Ele não machuca, mas levar lá onde grassa o bem. Quem faz isso não se desaponta!
 


Autor(a): P. em. Renato Luiz Becker
Âmbito: IECLB / Organismo: Instituto Luterano Campos Verdejantes
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Meditação
ID: 53672
REDE DE RECURSOS
+
ECUMENE
+
Quando Deus parece estar mais distante, mais perto de nós Ele se encontra.
Martim Lutero
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br