Espírito, Verdade, em nós vem habitar

Comentário e Reflexão

27/02/2014

HPD 76 – Espírito, Verdade, em nós vem habitar

Letra: Karl Johann Philipp Spitta (1827)

Melodia: autor desconhecido do séc.15; Irmãos da Morávia, 1544

Texto bíblico: João 14.16-17; Atos 1.8

Este hino é uma oração, como acontece com a maioria dos hinos sob título de “Pentecoste”, portanto deve ser cantado com espírito de oração, ou seja: com o coração dirigido a Deus.

As 1ª e 2ª estrofes se baseiam em João 14.16-17: a promessa de Jesus de querer rogar ao Pai que ele envie o Consolador, o Espírito da Verdade. Notem que a oração toda está na 1ª pessoa do plural: “em nós vem habitar”. Aqui não ora alguém sozinho, mas falam “todos” que formam o “povo teu, Senhor”, a Igreja, a comunidade reunida.

O tema geral de todas as estrofes parece ser a promessa de Jesus em Atos 1.8 “Recebereis poder ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas.” Observe onde se fala de “confessar” e “testemunhar”! E em que estrofes aparecem os termos “ardor”, “poder”, “força”, “vigor”, “firmeza”, ou o contrário que expressa falta de poder: “fraqueza” e “timidez”.

3ª estrofe: Porque precisamos do poder do Espírito Santo? Que significa “ufanar”? (Procure sinônimo no dicionário). Este verbo aparece em I.Coríntios 13.4 “O amor não se ufana” (Como é traduzido na Bíblia na Linguagem de Hoje?).

4ª estrofe: Vale também para nosso tempo no século XXI o que Spitta julgou imprescindível (indispensável, que não se deve deixar de lado) para o tempo dele? Por que? – Confessar a fé pode causar quais consequências desagradáveis? E que devemos fazer, apesar disso?

5ª estrofe: inicia com uma confissão de pecado. Qual a nossa culpa? – “A Nova e seu fulgor” lembra Lucas 2.10, a mensagem do anjo na noite em que Cristo nasceu “boa Nova de grande alegria... para todo o povo”. Através da boa nova do evangelho da salvação por graça e na fé em Cristo pode crescer e fortalecer-se nossa fé e coragem.

A 6ª estrofe é um resumo de toda a oração. Novamente pedimos força e fé para anunciar e testemunhar: a salvação vem do Senhor. – Este hino é uma oração especialmente recomendável aos nossos corais. Pois sabemos de nossas limitações e fraquezas. Mas devemos dar testemunho. E´ urgente que nosso povo chegue a saber: Salvação só há por uma nova vida com Cristo. Não é o trabalho, não é o dinheiro, não é o jeitinho político que salva o nosso país, mas uma nova mentalidade que nasce dum novo relacionamento com Deus. Os corais tem, entre outros, a tarefa de anunciar ao mundo o fulgor, a luz, que vem de Cristo. – Que o Senhor nos dê, para esta tarefa, ânimo, coragem e fé!

A MELODIA, que consta em nosso hinário junto com o hino de nº 76, não é de Johann Crüger (o organista em Berlim na época de Paulo Gerhardt). Esta melodia já existia antes do tempo da Reforma Luterana, como melodia de uma canção folclórica (não-religiosa): “Entlaubt ist uns der Walde” (Desfolhada está a floresta). Por volta de 1535 esta melodia popular é encontrada em Nuremberg com letra de cunho religioso. Em 1544 os Irmãos da Morávia cantam com esta mesma melodia o seu hino de louvor “Lob Gott getrost mit singen, frohlock´, du christlich Schar” (Louvai a Deus cantando, jubila, ó povo seu). Depois passou para vários hinários. Em 1932 Otto Riethmüller fez uma atualização desta melodia.


Autor(a): Leonhard Creutzberg
Âmbito: IECLB
Hino: 76. Espírito, verdade
Natureza do Texto: Música
Perfil do Texto: Comentário ou reflexão sobre hino
ID: 27478
REDE DE RECURSOS
+
Bom é o Senhor para os que esperam por ele, para a alma que o busca.
Lamentações 3.25
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br