Fórum: abordagem bíblica da missão

20/07/2006

Martin - respostas a partir das parábolas
Roberto - leitura da Bíblia realizada em conjunto trouxe elementos para reflexão
1 | 1
Ampliar

O sábado iniciou com meditação no terceiro dia do Fórum Nacional de Missão, em Florianópolis, SC. A partir da leitura bíblica de Mateus 25, 31-46, os participantes do Fórum foram desafiados a aceitar os desafios missionários que se colocam diariamente, de estar ao lado dos necessitados, nos hospitais, presídios, nas ruas, não tratando-os como “pobres coitados” mas como irmãos. 

No início da manhã, os pastores Martin Weingaertner e Roberto Zwetsch, apresentaram os fundamentos bíblico teológicos da missão.

Weingaertner trouxe a base bíblica a partir do enfoque das parábolas, iniciando com interessante citação de Karl Barth, teólogo que afirmava que existe um espaço de uma ou 2 gerações entre a teologia e sua assimilação pela comunidade, assim, segundo Martin, ainda levará algum tempo para que possamos viver a missão que queremos.

Para ele a base bíblica da missão é o Evangelho de Jesus Cristo e para demonstrar esta resposta, ele guiou uma reflexão a partir das seguintes perguntas: O que é o Evangelho? Qual o seu efeito? De que missão o Evangelho nos incumbe? Como ele se difunde? O que trava o Evangelho? Podemos deixar de compartilhá-lo?

Para responder cada pergunta, Martin Weingaertner apresentou uma parábola, destacando alguns enfoques possíveis e necessários para a convicção de que o Evangelho de Jesus Cristo é de fato a base da missão.

Na seqüência, Roberto Zwetsch propôs uma leitura orante da Bíblia: várias pessoas se revezaram na leitura de Atos 10, que narra a história de Cornélio. Antes da leitura, ele destacou: “A gente nunca lê a Bíblia de forma inocente, a gente lê com interesses, e é preciso dizer isto diante de Deus, dizer o que queremos aprender. A Bíblia poderá responder e também nos questionar.”

Zwetsch também destacou que no Novo Testamento não aparece a palavra missão, mas sim envio: “E quem envia é Deus mesmo. Neste caso, antes de enviar Pedro, ele envia os mensageiros do pagão Cornélio. Deus age de maneira que às vezes nos parece estranho, pois ele inverte papéis e faz de pagãos mensageiros seus.”

Refletindo cada parte da leitura, Roberto Zwetsch frisou que a missão não pode ser personalista, mas o trabalho deve ser realizado em equipe, com muito diálogo, e que esta postura deveria ser muito exercitada no ministério. Para destacar esta postura, lembrou os versículos 34 e 35: “Então, falou Pedro, dizendo: Reconheço, por verdade, que Deus não faz acepção de pessoas; pelo contrário, em qualquer nação, aquele que o teme e faz o que é justo lhe é aceitável”.

Mais uma vez, a partir das abordagens, a plenária foi dividida em pequenos grupos, para discutir o que foi ouvido.

Leia também:

Documento de Campeche: o rosto da IECLB esta mudando
Um olhar sobre o Fórum Nacional de Missão
Ser sal da terra e luz do mundo: o compromisso do Fórum Nacional de Missão
Eixos temáticos dão pistas para a caminhada missionária
Fórum: abordagem bíblica da missão
Compartilhar de experiências: finita mostra do infinito amor
Fórum: grupos refletem carne e cultura
Contexto sociocultural e religioso: paixão e carne
Fórum Nacional de Missão: entusiasmo para ouvir e participar marca o primeiro dia
Missão a partir da IECLB: um olhar para a história recente
Fórum: Ingrit Vogt desenha contexto atual da missão na IECLB
Fórum Nacional de Missão: Missão é essência, não acessório
 

COMUNICAÇÃO
+
A Bíblia é uma erva: quanto mais se manuseia, mais perfume ela exala.
Martim Lutero
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br