Isaías 58.1-9a - 5º Domingo Após Epifania - 09/02/2020

Caderno de Cultos 2020 - Sínodo Mato Grosso

09/02/2020

09/02/2020 – 5º Domingo Após Epifania
Pregação: Is 58.1-9a; Leituras: Mt 5.13-20; 1 Co 2.1-12
P. Augusto Cesar Klug – Rurópolis - PA

LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA
Jesus Cristo diz: “Eu sou a luz do mundo; quem me segue nunca andará na escuridão, mas terá a luz da vida.” João 8.12.
Acolhidos pela Palavra de Deus nesta (manhã, tarde, noite), quero também acolher você: Bom dia! /Boa tarde! / Boa noite! Recebemos o chamado por parte do Espírito Santo a fim de estarmos aqui para sermos animados, consolados e nutridos pela Palavra. Que este tempo na presença de Deus e de irmãos e irmãs seja especial.

Acolher os/as visitantes

CANTO DE ENTRADA
08 – LCI – Estamos aqui Senhor
Ou: Nº ____________________________________________________

SAUDAÇÃO
Nos reunimos em culto, por Deus é quem nos chama e quer nos servir. Nos reunimos em nome e na presença do Deus que é Pai, Filho e Espírito Santo. (+) Amém!
Assim como ar que não pode ser visto, mas é sentido. Assim temos a certeza de que aqui Ele está aqui presente e queremos adorá-lo. Convido que louvemos:

CANTOS DE INVOCAÇÃO
14 - LCI– Deus está presente
Ou: Nº ____________________________________________________

CONFISSÃO DE PECADOS
Ao entrar em nossa realidade humana, Deus transformou nossa vida, que era manchada pela escuridão do pecado, em nova realidade de luz. Quem crê no Filho e segue a Ele, não voltará para a escuridão. Porém, a realidade do pecado ainda está em nós e entre nós, e precisamos lutar a fim de que a nossa natureza pecadora seja afoga, como dizia Lutero, a fim de que a nossa natureza justificada possa fazer transparecer os sinais do Reino ali onde Deus nos coloca.
Convido para que de pé, a quem puder, nos voltemos ao Senhor em oração:
Misericordioso Deus, estamos aqui perante ti para confessar as nossas culpas, os nossos erros. Sabemos Senhor que somos pecadores e não agimos conforme os teus ensinamentos. Quantas vezes deixamos de prestar auxílio às pessoas que necessitam. Quantas vezes nos desviamos do teu caminho que aponta para Cristo, nosso Salvador, nos achando autossuficientes para andar sozinhos. Quantas vezes tu esperas de nós um gesto de amor, de acolhida, respeito, e o que oferecemos é ódio, exclusão, intolerância. Por tudo isso Senhor, queremos neste momento te pedir perdão, cantando:
Nº 31 – LCI – Tem misericórdia de mim

Ou: Nº ____________________________________________________

ANÚNCIO DO PERDÃO
“Cristo veio e anunciou a todos a boa notícia de paz” (Efésios 2.17) À nós pessoas pecadoras é anunciado a boa notícia de paz: O pecado, a culpa não precisam ser carregados. Temos possibilidade de buscar um recomeço em Jesus. Basta crer. À quem, em sinceridade, se reconhece pessoa pecadora e busca perdão e se dispõe à uma mudança de vida, lhe é anunciado que em Deus encontras perdão. Portanto, anuncio o perdão em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!

KYRIE
Comunidade reconciliada com Deus e entre si, é chamada a orar, clamar pelas situações de sofrimento (aqui pode ser incluído situações locais, bem concretas de sofrimento). Queremos assim,clamar:
60 - LCI– Tem piedade, Senhor
Ou: Nº ____________________________________________________

GLÓRIA IN EXCELSIS
Deus em sua infinita misericórdia nos dá o seu o perdão através Jesus Cristo, e ouve o clamor de seu povo e responde em seu tempo, sarando, consolando e animando. À este Deus redamos nos louvor:
69 - LCI– Povos da terra, louvai ao Senhor (letra e melodia se encontra em: https://www.luteranos.com.br/conteudo/povos-da-terra-louvai-ao-senhor)
Ou: Nº ____________________________________________________

ORAÇÃO DO DIA
Bondoso Deus, agradecemos-te pelo dom da vida, por este momento em culto. Em especial queremos te pedir que abra as nossas mentes, ouvidos e corações para ouvirmos a tua palavra e que teu Santo Espírito nos envolva fortalecendo a nossa fé para poder praticar teus ensinamentos no dia-a-dia. Isto te pedimos por teu Filho Jesus Cristo que vive contigo e com o Espírito Santo de eternidade a eternidade. Amém

LITURGIA DA PALAVRA

“Feliz aquele que teme a Deus, o SENHOR, que tem prazer em obedecer aos seus mandamentos!” Salmo 112.2
Ouçamos a Leitura do Evangelho de Jesus Cristo, conforme o evangelista Mateus:
Aclamemos o Evangelho cantando aleluia:
188 - LCI– Ale, ale, aleluia
Ou: Nº ____________________________________________________

LEITURAS BÍBLICAS
1ª Leitura Bíblica: Mateus 5. 13-20
2ª Leitura Bíblica 1 Coríntios 2. 1-12

CÂNTICO INTERMEDIÁRIO
149 - LCI– É como a chuva que lava

PREGAÇÃO

Isaías 58. 1-9a
Meu irmão, minha irmã.
Certo dia li um artigo que trazia como título: “Evangélicos crescem no Brasil, mas a fé cristã diminui”. que este título causa em você? Que reflexões podemos fazer a partir do texto de Isaías que ouvimos e o título do artigo: Evangélicos crescem no Brasil, mas a fé cristã diminui?
É sabido que nos últimos anos a presença de denominações evangélicas, conhecidas como pentecostais ou neopentecostais tem crescido no Brasil nos últimos anos: Templos grandiosos, programas de rádio, TV, minisséries, etc. Ampliando um pouco vamos ver a quantidade significativa de igrejas e locais de culto dos mais variados credos. Cabe, então a pergunta: Se em nossas cidades há uma presença religiosa tão grande, porque ainda vemos tantos sinais de morte?
Voltando para o ambiente cristão: como explicar as tantas expressões anticristãs e até mesmo de ódio por parte de grupos evangélicos pentecostais, católicos, luteranos e assim por diante? Os exemplos não são poucos: violência verbal, farto uso das mídias digitais para propagação do ódio, mentiras, desqualificação de opiniões divergentes, deboche com temas que dizem respeito à vida e à morte de seres humanos, descaso com as questões em torno da vida de todos os seres. É preciso reconhecer que evangélicos (e outras denominações) também sofrem os tipos de violência listados acima. Há muito preconceito, desqualificação, tratamento pejorativo, generalização das críticas relacionadas a um grupo evangélico específico.
Esse comportamento raivoso vem sendo gestado a algum tempo e ganha terreno principalmente onde há um discurso proclamado pelas lideranças religiosas típico do mundo capitalista: do individualismo, do sucesso e da felicidade pessoal nas finanças, na saúde e na família, discurso típico na conhecida teologia da prosperidade. Outra, mas que não é tão conhecida é a Teologia da Confissão Positiva (em que os fiéis afirmam que tudo podem realizar e que são “imbatíveis”, vitoriosos, a partir da fé que declaram ter em Deus). Esse discurso que reforça o “EU” acima de tudo, alimenta a intolerância e muito rapidamente vamos ver até mesmo nos círculos familiares os embates ideológicos onde a “minha opinião” é a única que vale e o outro precisa ser derrotado. E quando o outro se cala, logo comemoro, pois, EU venci o debate. Como diz o título do artigo, cresce o número de evangélicos no Brasil, mas o Evangelho como boa nova que prega justiça social, um ambiente mais fraterno, sensível, solidário e amoroso tem diminuído. Precisamos desse Evangelho e não do evangelho do ego.
A realidade dos tempos modernos nos lembra muito o que aconteceu por volta do ano 530 a.C. Após o retorno do povo judeu do Exílio Babilônico para Judá, em especial Jerusalém onde o Templo é reconstruído e a muralhas da cidade estavam sendo reerguidas no tempo de Neemias, a vida parecia estar entrando novamente no prumo. Os costumes religiosos e de ordem de culto estavam sendo retomados. Mas, o povo sentia que a relação deles com Deus não estava legal. O profeta, portanto, é convocado para gritar como se fosse um trombeta (v.1) apontando os pecados do povo. Mas, o que eles haviam feito? Eles não estavam jejuando, não estavam louvando? Não estavam tendo uma vida religiosa ativa? A Resposta que Deus dá é a seguinte: “A verdade é que nos dias de jejum vocês cuidam dos seus próprios negócios e exploram os seus empregados. Vocês passam dias de jejum discutindo e brigando e chegam até a bater uns nos outros.” (v.3-4a)
O tema central do texto caminha entorno da prática do jejum. A prática do jejum é conhecida como um momento onde o ser humano busca, ao abster de alguns alimentos ou de todos, uma forma de restaurar a saúde física, mental e espiritual. É um tempo de penitência, de olhar para dentro de si e avaliar a caminhada. Em nosso texto, porém, a prática do jejum vai um pouco mais além. Ela está ligada com o terceiro mandamento: santifique o dia de descanso. Por isso o profeta denuncia: “A verdade é que nos dias de jejum vocês cuidam dos seus negócios e exploram os seus empregados.” (v.3b) Ou seja, a práticas religiosas precisam estar ligadas com o cotidiano. Do contrário se torna hipocrisia. “Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço.” Jesus é crítico de uma lei que escraviza: “O Sábado foi feito para servir as pessoas e não as pessoas ao sábado” Marcos 2.27. Rituais apenas para cumprir uma regra, não serve de nada. Ir para a igreja apenas por ir. Levar os filhos ao Ensino Confirmatório. Batizar apenas por que todos fazem, não serve de nada e não é o que Deus espera. A nossos ritos religiosos precisam estar acompanhados da fé que é ativa no amor e que portanto, olha para o outro e serve a ele com alegria. O apóstolo Tiago afirma: “Portanto, a fé é assim: Se não vier acompanhada de ações, é coisa morta.” (Tiago 2.17)
Após duras críticas, Deus responde o que Ele espera de seu povo: “Eu quero que soltem aqueles que foram presos injustamente, que tirem de cima deles o peso que os faz sofrer, que ponham em liberdade os que estão sendo oprimidos. [...] O jejum que me agrada é que vocês repartam sua comida com os famintos, que recebam em casa os pobres que estão desabrigados, que deem roupas aos que não têm e que nunca deixe de socorrer os seus parentes.” (v.6-7)
O convite que Deus faz é que demonstremos sinais de amor em meio a este mundo tão marcado pelo pecado e por seus sinais. Um dos maiores sinais do pecado em nossos tempos é a indiferença. A sociedade atual tem se tornado indiferente a dor do outro, indiferente às causas ambientais, indiferente aos problemas sociais. Muito rapidamente se consegue uma justificativa para legitimar os mais diferentes tipos de violência. Isso é lamentável!
O que Deus deseja, é que nos importemos com o outro e coloquemos a fé que recebemos mediante a ação do Espírito Santo em nosso Batismo em prática. Fomos chamados e chamadas, incumbidos de uma ordem: “Amem uns aos outros assim como eu amo vocês. Ninguém tem mais amor pelos seus amigos do que aquele que dá a vida por eles.” (João 15.12-13)
Neste tempo de Epifania Deus quer ser visto em nosso meio. Não com religiosidade vazia. Mas com uma fé que nos leva em direção ao outro. Somos chamados e chamadas para sermos sal que dá bom sabor ali onde Deus tem te colocado. Tens temperado Somos chamados e chamadas a ser luz. Iluminar esse mundo com o Evangelho que perdoa, salva, fala do amor e da justiça de Deus em meio ao sofrimento. Que nós possamos diminuir o nosso ego para que o Filho cresça e irradie esse mundo com a sua Graça. Amém!

HINO
609 – LCI – Palavra não foi feita para dividir

CONFISSÃO DE FÉ
Confiantes na Palavra de Deus, que transforma, afasta o medo e anima para o servir, queremos confessar a nossa fé com as palavras do Credo Apostólico.
Creio em Deus Pai, ...

CANTO PÓS CONFISSÃO (proceder motivação e o recolhimento das ofertas)
476 – LCI – Como dar graças?

ORAÇÃO DE INTERCESSÃO

Motivos de Oração:
1. Aniversariantes
2._______________________________________________________
3._______________________________________________________
4._______________________________________________________
5._______________________________________________________
6._______________________________________________________

PAI NOSSO
Pai nosso ...

LITURGIA DE DESPEDIDA

AVISOS
Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Oferta último Culto: R$ _________ - destinada para ...
______________ _________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

BÊNÇÃO
Que Deus te abençoe te guarde, que Deus faça resplandecer o seu rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti, que o Senhor sobre ti levante o seu rosto e te de a paz. Amém.

ENVIO
Sigamos em paz e sirvamos ao Senhor com gratidão e alegria. Amém!

CANTO FINAL
299 – LCI – Diante dos teus pés.
 


Autor(a): P. Augusto Klug
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo do Natal
Natureza do Domingo: Epifania
Perfil do Domingo: 5º Domingo após Epifania
Testamento: Antigo / Livro: Isaías / Capitulo: 58 / Versículo Inicial: 1 / Versículo Final: 9
Título da publicação: Caderno de Cultos - Sínodo Mato Grosso / Ano: 2020
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 54845
REDE DE RECURSOS
+
Cristo nos libertou para que nós sejamos realmente livres.
Gálatas 5.1
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br