Lucas 23.33-43 - Domingo Cristo Rei - 24/11/2019

Caderno de Cultos 2019 - Sínodo Mato Grosso

06/09/2019

24/11/2019 – Domingo Cristo Rei
Pregação: Lucas 23.33-43;
Leituras: Jeremias 23.1-6, Salmo 46, Colossenses 1.11-20
Pa. Christa S. B. de Arruda – Lucas do Rio Verde – MT

LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA
“Jesus Cristo diz: Eu sou o Alfa e o Ômega, o Primeiro e o Último, o principio e o fim”. (Apocalipse 22.13)
Acolhemos a todos/as com esta palavra Bíblica, no fim do ano eclesiástico. E não termina sem perspectiva, mas com uma promessa. O visionário João, que escreve o livro do Apocalipse, fala da vinda do Cristo vivo e Ressurreto. Ele fala de um novo céu e uma nova terra. Tudo será novo. Todos os problemas irão acabar. Deus vai eliminar tudo o que causa medo, faz sofrer e morrer. Pois Jesus mesmo é o Alfa e o ômega, o Primeiro e o Último.
Bem vindo/a você da comunidade! Bem vindos/as você que nos visita, é bom saber que estás em nosso meio. Iniciamos cantando:

CANTO DE ENTRADA
Nº 476 – HPD 2 – Saudai ao Senhor.

Ou: Nº ____________________________________________________

SAUDAÇÃO
Celebramos este culto em nome e na presença do Pai, Deus criador; em nome do Filho, Jesus Cristo nosso Salvador, e em nome do Espírito Santo, o verdadeiro Consolador. Amém.

CANTOS DE INVOCAÇÃO
Nº 367 – HPD 2 – Envia Teu Espírito Senhor.

Ou: Nº ____________________________________________________

CONFISSÃO DE PECADOS
Querido Deus e Pai! Te agradecemos pela tua fidelidade e amor para conosco.
Queremos humildemente pedindo o teu perdão, pois pecamos contra ti, contra o nosso próximo e contra nós mesmos. E, sem ti nada somos e nada podemos fazer. Tem misericórdia de nós e nos perdoa. Perdoa nossa falta de amor para com o próximo. Nossa falta de comunhão contigo sozinhos, na leitura da Palavra, na oração. Que este tempo que adentramos nos leve para mais perto de ti. Oramos em nome de Jesus. Amém.

ANÚNCIO DO PERDÃO
Nosso Deus é justo e misericordioso. Ele conhece a intimidade da nossa vida. Somos perdoados por causa da bondade de Deus, da presença de Jesus Cristo e da ação do Espírito Santo. Amém.

KYRIE
Reunidos/as em culto, não podemos isolar-nos do mundo que está a nossa volta. No tempo que passou, no tempo presente e no tempo que está diante de nós houve, há e, se nada mudar não haverá choro nem morte. Mas há vida verdadeira em Cristo Jesus. Que pode mudar nossa situação. Creiamos nisto.
Cantamos: Tem Senhor piedade!

GLÓRIA IN EXCELSIS
Deus vem a nós através da Palavra e dos Sacramentos. Ali encontramos ânimo, orientação, luz para nosso caminho, esperança para o encontro definitivo com o Senhor.
Por isso glorificamos o seu nome, cantando:

Nº 253 – HPD 1 – Saudai ao Senhor.

ORAÇÃO DO DIA
Querido Senhor Deus e Pai! Te agradecemos por este dia! Obrigada pela Tua fidelidade e amor por nós. Abençoa-nos neste culto. Abençoa cada pessoa aqui presente e não nos deixes sair daqui como entramos. Em nome de Jesus. Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

LEITURAS BÍBLICAS
1ª Leitura Bíblica: Jeremias 23.1-6

2ª Leitura Bíblica: Salmo 46

3ª Leitura Bíblica: Colossenses 1.11-20

CÂNTICO INTERMEDIÁRIO
Nº 519 – LC – Jesus Cristo é Rei e Senhor

PREGAÇÃO

Que a graça do Senhor Jesus, o amor de Deus o Pai e a comunhão do Espírito Santo esteja com você! Será que houve um engano na escolha deste texto para o domingo de hoje? Ainda não estamos na quaresma, quando iremos contemplar a crucificação de Jesus e sua morte. Mas, é exatamente disto que o texto fala. Trata-se de uma típica história da paixão. Jesus está sendo levado ao lugar chamado Calvário ou então Caveira. Que nome horrível! Ali é pregado na cruz juntamente com dois outros que são bandidos, criminosos, gente má. É em tal companhia que Jesus vai morrer. E os soldados romanos lançam os dados para ver quem fica com a roupa de Jesus. Outros derramam cinismo em cima dele, dizendo: Se você é o rei dos judeus, salve-se a si mesmo (v.45). Diziam isto porque no topo da cruz havia um letreiro no qual estava escrito: Este é o rei dos judeus. Será Jesus mesmo um rei? É sobre isto que no fundo se trava também a discussão entre os dois crucificados ao lado dele. Um creu, o outro não. Um blasfemou, enquanto o outro pediu que Jesus se lembrasse dele ao chegar em seu reino. E Jesus lhe promete: Ainda hoje você estará comigo no paraíso.

Não, hoje nós não estamos na sexta-feira santa. Nós estamos, isto sim, no último domingo do ano eclesiástico. Também conhecido como: Domingo Cristo Rei. Na próxima semana vamos celebrar o Advento e com ele o início de um novo ano litúrgico. O ano da igreja não coincide com o ano do nosso calendário que termina no dia 31 de dezembro e inicia no dia 1º de janeiro. O ano da igreja começa com o Advento para então comemorar as principais estações da trajetória de Jesus, passando pelo Natal, pela Paixão de nosso Senhor, pela Páscoa, pelo Pentecostes e assim por diante. Mesmo assim, este texto não está fora de lugar. Pois o último domingo do ano eclesiástico é chamado tradicionalmente de Domingo Cristo Rei. E é este o tema do texto. O letreiro o indica. E nós sintonizamos com ele, quando cantamos e confessamos: Jesus Cristo é Rei e Senhor, seu é o reino e o louvor, é Senhor potente hoje e eternamente.

Na crucificação as pessoas eram fixadas a uma cruz com cordas ou pregos. Elas eram em formato de um T, X ou Y ou até mesmo um I. Sabemos que as mãos de Jesus foram pregadas (Jo 20.25) provavelmente seus pés também (Jo 24.39). A crucificação era uma morte lenta e dolorosa, mas nenhum dos evangelhos dá ênfase ao tormento que Jesus suportou. O Novo Testamento concentra na importância da morte de Jesus, e não em atormentar nossos sentimentos.
Vemos em Lucas 23:32,33 que Jesus foi crucificado fora do portão da cidade, no monte Calvário. Havia com ele dois homens também crucificados naquele momento. Lucas diz que eram malfeitores, criminosos, Mateus e Marcos dizem que eram ladrões. Jesus foi crucificado no meio de dois criminosos.
– O povo estava somente olhando. E quem zombava eram as autoridades (v.36).
– Jesus foi zombado pelos soldados que o usaram. Convocaram a Jesus, se fosse o Rei dos Judeus, a salvar-Se a Si mesmo (v.36-37).
– A inscrição na cruz mostrava por causa de que crime a pessoa fora executada, mas em todos os quatro evangelhos a inscrição sobre a cabeça de Jesus esta relatada diferente e como a inscrição tinha várias línguas não se sabe qual está correta. Mas uma coisa é certa, Pilatos crucificou a Jesus como o Rei dos Judeus (v.38).
Depois de o primeiro criminoso zombar de Jesus, o outro o reprova (v.40,41). A situação dele numa “cruz tremendamente dura” talvez tenha sido a causa de sua atitude transformada, pois a “conversão raramente ocorre num sofá macio e confortável”. Sua pergunta: “Nem ao menos temes a Deus”? Eles mereciam estar ali, mas não Jesus.

Agora Jesus está completamente só. Os evangelistas descrevem as horas terríveis que Ele passou na cruz sujeito a dores físicas, psíquicas e espirituais inimagináveis, sofridas “por nós” como declara o Novo Testamento inteiro. Com a sua morte ele pagou a dívida do nosso pecado, libertou-nos da sentença de morte e nos colocou na condição de receber o dom gratuito da vida eterna.
Nos versos 42 e 43 Vemos que disse à Jesus: Lembra-te de mim quando entrares no teu reino. E Jesus responde: Hoje estarás comigo no paraíso. Jesus assegura a este homem que terá felicidade no futuro imediato, felicidade esta que seria estreitamente associada com Ele. A conversão deste ladrão relatada por Lucas mostra que a salvação está sempre aberta a todos.

A escolha do que fazemos hoje interfere em todo o nosso futuro.
Nós encerramos hoje mais um ano de pregação do Evangelho. Nós olhamos para trás. Todos os domingos e em muitas outras oportunidades temos dado testemunho de Jesus Cristo. Nós o temos invocado como Rei e Senhor. Isto para nós se tornou quase uma rotina. Por isto é bom sermos lembrados da provocação que a fé em Jesus significa. Nosso Rei é alguém que foi crucificado. Cremos em alguém crucificado, morto e sepultado. Assim o confessamos no Credo Apostólico. No mundo de então, dominado pelos romanos, isto soou como um deboche e ainda hoje pode causar estranheza. Jesus não corresponde à imagem de um rei. Ele não é rico, não é chefe de um exército, não tem palácio onde mora, ele não exibe luxo, e nem mesmo povo ele tem. Onde é que está o seu reino? Ele morre sozinho, na cruz, abandonado por todo o mundo. Ele não consegue salvar-se a si mesmo. Os líderes da época, o sumo sacerdote, o rei Herodes, o procurador Pôncio Pilatos, todos eles se comprovaram como mais poderosos do que o mestre Jesus de Nazaré que pregou o amor ao próximo e sucumbiu vitimado pelo pecado humano.

A confissão Jesus Cristo é Rei e Senhor certamente é uma provocação. Mas ela é extremamente medicinal. A cruz de Jesus Cristo documenta o amor que Deus tem a este mundo. Ela questiona o tradicional culto ao poder e quer motivar para a ação reconciliadora. Em vez de destruir vida, Jesus a constrói, salva e resgata. É esta a sua obra real.

Por isso, quem é Jesus para você? Podes cantar: “Jesus Tu és a pessoa mais importante neste lugar”? Inclusive na sua vida?
Jesus morreu em teu e meu lugar, carregando todos os nossos pecados. Por isso ele é Rei e Senhor. É e quer ser Senhor sobre as nossas vidas. Pois morreu para nos Perdoar e Salvar. Creia hoje e viva esta fé confessando, crendo e vivendo: “Jesus Cristo é Rei e Senhor”! Amém.

HINO
Nº 620 – LC – Meu tempo

CONFISSÃO DE FÉ
Na comunhão com as pessoas que creem no trino Deus, confessemos a nossa fé com as palavras do Credo Apostólico:

Creio em Deus Pai, ...

CANTO PÓS CONFISSÃO (proceder motivação e o recolhimento das ofertas)
Nº 526 – LC – Glória pra sempre


ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Obrigado Pai querido, por tua Obra em Jesus Cristo. Que podemos saber da importância da Crucificação de Jesus. E que Ele é o crucificado ressurreto e o ressurreto crucificado, podendo crer para a salvação. Ajuda-nos a obedecer e a andar retamente conforme a tua Palavra e a reconhecer a nossa condição de pecadores e pecadoras diante de ti. Por isso pedimos por (...)
Motivos de Oração: (pedir antes quem tem motivos para a oração)
1. Aniversariantes
2._______________________________________________________
3._______________________________________________________
4._______________________________________________________
5._______________________________________________________
6._______________________________________________________

Senhor Deus, tudo mais o que estiver dentro do nosso coração, nós te entregamos quando juntos oramos a oração que Jesus Cristo nos ensinou dizendo:

PAI NOSSO
Pai nosso...

LITURGIA DE DESPEDIDA

AVISOS
Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Oferta último Culto: R$ _________ – destinada para ...
______________ _________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

BÊNÇÃO
O Senhor te abençoe e te guarde;
O Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti;
O Senhor sobre ti levante o seu rosto e te dê a paz.
Que assim te abençoe o Trino Deus: Pai, Filho, e Espírito Santo (+). Amém.

ENVIO
Vá na Paz que Cristo dá e não te esqueças da Salvação em Jesus que custou a sua morte na cruz!

CANTO FINAL
Nº 614 – LC – Em nada Ponho a minha fé


 


Autor(a): Pa. Christa Starosky
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo do Tempo Comum
Natureza do Domingo: Último Domingo do Ano Eclesiástico - Cristo Rei

Testamento: Novo / Livro: Lucas / Capitulo: 23 / Versículo Inicial: 33 / Versículo Final: 43
Título da publicação: Caderno de Cultos - Sínodo Mato Grosso / Ano: 2019
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 53091
REDE DE RECURSOS
+
Ajuda-nos, Senhor, nosso Deus, porque em ti confiamos.
2Crônicas 14.11
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br