Ó Jesus Cordeiro, tiras o pecado e o mal

Comentário e reflexão

29/06/2012

HPD 49 e 55 Agnus Dei (Cordeiro de Deus)

Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo (Ev. João 1:29).

Uma oração fervorosa, baseada nesta passagem da Escritura, fazia parte do serviço do altar na liturgia grega, na igreja antiga. Na igreja Ocidental também foi usada desde cedo como parte da liturgia da eucaristia. O Papa Gregor o Grande incluiu isto no Liber Sacramentorum dele do sexto século. No sétimo século tornou-se habitual que o padre cantasse esta oração. O Papa Sergius (687-701) ordenou que deveria ser cantado pelo padre e a congregação e que deveria ser usado na eucaristia. Mais tarde foi decretado que deveria ser cantado somente pelo coro, depois da consagração dos elementos e imediatamente antes da distribuição. No décimo segundo século ficou habitual repetir a oração três vezes, mas com palavras de conclusão diferentes, como segue:

Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, parce nobis!
Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, miserere nobis!
Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, da pacem nobis!

O Bispo Durandus (+1207) diz a esse respeito: Ninguém manifestou maior paciência debaixo do mais intenso sofrimento, tentação, e angústia que nosso querido Salvador, portanto a Igreja se maravilha disto e canta três vezes o ' Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, ' etc. Ao repetir isso, consideraremos nós como nosso Senhor Jesus (1) carregou nossos pecados, (2) levou sobre si o castigo, (3) pela pregação do Evangelho e pela distribuição do sacramento Ele trouxe os méritos dele em nossos corações (Skaar).

Martim Lutero, na sua primeira ordem para o culto com Santa Ceia, reteve o Agnus Dei para ser cantado em latim, e ele acrescenta que, de todas as várias partes do serviço do altar, esta especialmente é própria para uso com o sacramento santo. Mas na Deutsche Messe dele de 1526 ele prefere também ter o Agnus Dei cantado no alemão. Sem dúvida ele se referiu então à versão seguinte: Christe, du Lamm Gottes, der du trägst die Sünde der Welt, erbarme dich unser! Christe, du Lamm Gottes, etc., erbarme dich unser! Christe, du Lamm Gottes, etc., gieb uns deinen Frieden! No HPD nº 49 foi traduzido por: Ó Jesus, Cordeiro, tiras o pecado e o mal – (1) tem piedade; ...(2) tem piedade; ...(3) tua paz concede! Amém.

O cântico Agnus Dei em sua forma extensa (HPD nº 55) foi escrito por Nikolaus Decius no dialeto Baixo-alemão. Consiste em sete linhas que são cantadas três vezes. A única mudança acontece na última linha da terceira estrofe, como segue:

1. O Lamm Gades vnschüldlich / am stam des crützes geslachtet, / all tydt gevunden düldich, / wo wol du wordest vorachtet; / all sünd heffstu gedragen / syst moste wy vortzagen. / Erbarm dy vnser, o Jesu!
2. O Lamm Gades vnschüldlich am stam des, u. s. w. Erbarm dy vnser, o Jesu!
3. O Lamm Gades vnschüldlich am stam des, u. s. w. Giff uns dynen frede, o Jesu.

Esta versão, intitulada por Dat Agnus Dei, apareceu primeiro em 1531 em Rostock no Geystlycke Leder de Dietz. Mas ela deve ter sido escrita mais cedo, como mostra uma tradução dinamarquesa, editada por Klaus Mortensøn1 em 1528. A versão em alto-alemã do hino de Decius achou lugar logo nos diversos hinários da Alemanha, p.ex. em 1539 no Gesang Buch de Valentin Schumann, em Leipzig. Era geralmente usado como um hino de Santa Ceia. Também foi cantado na Sexta-feira-Santa. Em Württemberg repicaram os sinos de igreja enquanto o Agnus Dei foi cantado como o hino final. Porém, o hino de Decius não eliminou o antigo Agnus Dei. Mesmo nas traduções do nosso HPD ainda permanecem as duas versões. (HPD nº 49 e 55).

Fonte: Dahle, Library of Christian Hymns (Biblioteca de Hinos Cristãos)

Nota: 1No livro de cânticos de Klaus Mortensøn, impresso em 1528, há a seguinte versão dinamarquêsa:
O Guds lam, som borttager alle verdzens synder, forbarme teg offver oss!
O Guds lam, … forbarme teg offver oss!
O Guds lam, … giv oss tin fred !



 


Autor(a): Leonhard Creutzberg
Âmbito: IECLB
Hino: 49. Ó Jesus, cordeiro
Título da publicação: Hinos do Povo de Deus Comentados / Ano: 2012
Natureza do Texto: Música
Perfil do Texto: Comentário ou reflexão sobre hino
ID: 15374
MÍDIATECA
REDE DE RECURSOS
+
A Comunidade cristã deve ser reconhecida, sem sombra de dúvida, na pregação do Evangelho puro
Martim Lutero
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br