Jesus o caminho a percorrer - João 14.1-6

Autoria P. Me. Alexander Busch

10/05/2020

 

Prezada comunidade em Cristo, meus irmãos, minhas irmãs

A nossa leitura de hoje do evangelho é uma história em que Jesus está se despedindo de seus discípulos. Reunidos para celebrar a páscoa judaica, Jesus sabe que em breve ele terá de caminhar rumo à cruz. Ao se despedir de seus amigos, Jesus lhes promete que, apesar de seu distanciamento físico, não há motivo para aflição ou angústia. “Não fiquem aflitos”, diz Jesus, “Na casa do meu Pai há muitos quartos, e eu vou preparar um lugar para vocês”. E Jesus ainda acrescenta, “vocês conhecem o caminho para o lugar aonde eu vou”. Tomé, um dos doze, reage em nome do grupo, dizendo: “Senhor, nós não sabemos aonde é que o senhor vai. Como podemos saber o caminho?”.

Esta pergunta de Tomé vale também para nós, “Como nós podemos saber o caminho?”. A pergunta pelo caminho também faz parte de nossa vida. Queremos saber por onde andar. Queremos saber qual é o rumo que devemos dar à nossa vida. E não só isto! Queremos saber para onde a vida nos leva. A vida nos conduz por camihos não planejados. E estamos sempre a caminho. Mas o percurso que devemos e queremos percorrer, qual será? O destino que queremos alcançar, qual será? O dia de amanhã, como será? Como melhor nos preparar para os acontecimentos no percurso?

O futuro, entretanto, nos é desconhecido, um mistério, cheio de segredos. É como uma estrada. Enquanto viajamos numa reta podemos ver adiante. Mas quando alcançamos um trecho cheio de curvas, nós não sabemos o que nos aguarda depois da próxima curva. Confiamos que a estrada estará livre para continuarmos viagem. Embora nós saibamos que, às vezes, por imprudência, um carro na direção contrária pode estar fazendo uma ultrapassagem proibida e causar um grave acidente. Por isto, o caminho exige de nós prudência e cautela para cuidar de nós mesmos e cuidar também das outras que viajam na estrada.

Neste sentido, tomamos, o quanto possível, os cuidados necessários para que a jornada da vida transcorra da melhor maneira. E como hoje no calendário civil se celebra o Dia das Mães, destaco o exemplo das mães que ensinam a criança o caminho em que devem andar – lembrando que os pais também têm a responsabilidade de conduzir as crianças no caminho. Fato é que aprendemos de nossas mães as primeiras letras. Elas nos ensinam e falar e muitas dão um passo além, ao ler para as crianças as histórias da Bíblia ou lhe ensinar as primeiras orações como o Pai nosso ou, para quem fala em alemão, aquela oração que muita gente aprendeu quando pequena, “Ich bin Klein, mein Herz ist rein, darf niemand drin wohnen als Jesus allein”. As mães que se preocupam com o caminho que sua criança ou crianças vão percorrer desde cedo insistem no aprender e estudar. Isto porque as mães sabem um segredo que nem sempre a criança reconhece: estudar e aprender é se se preparar para o caminho. Quem investe nos estudos tem melhores garantias no mercado de trabalho, mais conhecimento para desempenhar bem sua profissão seja na agricultura ou outro ramo, para prover um sustento confortável para sua família e se realizar como pessoa.

As pessoas que querem realizar seus objetivos precisam traçar um plano e se preparar para percorrer o caminho. Quem cruza os braços, se perde no caminho. Como disse antes, a pergunta sobre o caminho faz parte de nossa vida. Seja a pessoa jovem, seja a pessoa idosa, todas as pessoas têm um caminho a percorrer.

Porém, importante lembrar que muitas vezes o caminho que nós escolhemos e o caminho pelo qual nós somos conduzidos são duas coisas diferentes. Existe o futuro planejado para o qual nos preparamos, o caminho que nós queremos percorrer. Existe o futuro inesperado, o futuro cujo caminho não está sob nosso controle. Pode acontecer algo que nos obriga a mudar radicalmente o rumo: uma porta que se fecha diante de nós, oportunidades que nos são removidas independente de nossa vontade, decisões imaturas cujas consequências somente mais tarde iremos perceber. Muitos e tantas são as surpresas ao longo do caminho que podem nos desviar do caminho que planejamos percorrer. Alguns destes desvios são surpresas agradáveis. Outros desvios não trazem boas surpresas. Não temos como prever o que nos aguarda na próxima curva da estrada.

Há pessoas bem que tentam consultar cartomantes e videntes para, de uma ou de outra forma, desvendar o futuro. Estas são tentativas humanas de descobrir o futuro. À luz da palavra de Deus nunca vão ter êxito porque o caminho que Deus nos chama para percorrer com Jesus é o caminho da fé, a confiança de que Jesus está nos acompanhando no caminho.

Neste caminho da fé a nossa visão do amanhã continua sendo parcial. Sim, nosso olhar se estende ao horizonte, mas não além deste. Caminhamos rumo ao futuro, mas a estrada tem curvas que nos impedem de ver o que está adiante. Não sabemos por quais caminhos teremos de trilhar na vida. É como caminhar em direção ao horizonte. Temos a ilusão de estar se aproximando do horizonte, mas o horizonte sempre se move além do que podemos enxergar.

Por isto as palavras de Jesus nos são conforto e esperança, “Não fiquem aflitos, eu sou o caminho”. Em outras palavras, Jesus se coloca ao nosso lado como companheiro na jornada. No caminho da fé Jesus pede para nele confiar. Confiar que Jesus é a presença de Deus que vence as ameaças do caminho. Até mesmo a morte não tem poder sobre Jesus. O crucificado subjugou a morte. O Cristo vivo é a presença de Deus que supera o distanciamento físico e social. Jesus é o companheiro de jornada no tempo presente, no tempo futuro e no tempo além do futuro.

Neste caminho da fé, Jesus caminha conosco, sustentando nossos passos e, caso venhamos a tropeçar, nos ajuda a levantar e seguir adiante. Sob o seu amparo, as aflições que cruzam nosso caminho – e não há como evitá-las – são obstáculos às vezes difíceis de percorrer, mas não são obstáculos intransponíveis. Até mesmo a morte perdeu o seu horror. Pois o futuro de Deus, que não está sob controle humano, pela graça e bondade de Deus, inclui uma casa com muitas moradas.

Por fim, uma ilustração sobre ter a companhia de Jesus no caminho. Conta-se a história de um pastor que estava visitando um grupo de aldeias indígenas. No dia seguinte o pastor queria visitar a tribo vizinha. Como o caminho passava pela mata fechada, lhe deram como guia um índio que conhecia bem a mata. De início, ainda antes de alcançarem a mata, o caminho estava bem tranquilo. Andaram numa trilha a pé. O índio ia à frente e o pastor lhe seguia por trás. Por um tempo dava para perceber a trilha na floresta, mas a mata foi ficando cada vez mais fechada.
De repente, não havia mais trilha. Mas o índio continuava andando. O pastor aflito, então perguntou, “Mas aqui não tem caminho! Será que não estamos perdidos na floresta?” E o índio respondeu, apontando o dedo para o próprio peito: “O caminho daqui para frente SOU EU!”.
Depois de ouvir isto, o pastor não tirou mais os olhos do índio. Quando o índio pulava para cima de uma pedra – ele também pulava. Quando o índio se abaixava para quase ajoelhado caminhar por baixo dos arbustos – o pastor também se abaixava. Quando o índio corria – ele também corria. Quando o índio ia devagar – os dois viajantes caminhavam no mesmo passo. O que o índio fazia – o pastor também fazia. E juntos, seguros, chegaram ao seu destino.

É isto o que Jesus quer dizer quando fala de si mesmo, “eu sou o caminho”. Ao caminhar com Jesus precisamos ter nosso olhar fixo nele. Quando lemos sua Palavra, quando oramos com Jesus, quando invocamos seu nome, ele é fiel para iluminar nosso caminhar, nosso pensar, nosso sentir e nosso agir. Sua palavra e presença é o caminho que devemos seguir mesmo quando não conseguimos enxergar a trilha no meio da mata densa, mesmo quando o futuro nos é incerto e escuro. Seguindo e confiando em Jesus no caminho, nós saberemos por onde e como caminhar. Amém.
 


Autor(a): P. Me. Alexander R. Busch
Âmbito: IECLB / Sinodo: Rio Paraná / Paróquia: Maripá (PR)
Área: Confessionalidade / Nível: Confessionalidade - Prédicas e Meditações
Testamento: Novo / Livro: João / Capitulo: 14 / Versículo Inicial: 1 / Versículo Final: 6
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 56541
REDE DE RECURSOS
+
Deus é maior do que o nosso coração e conhece todas as coisas.
1João 3.20
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br