João 20.26-31 - 2º Domingo da Páscoa - 28/04/2019

Caderno de Cultos 2019

28/04/2019

28/04/2019 – 2º Domingo da Páscoa
João 20.26-31; Salmo 150; Atos 5.27-32
Diogo Rengel – Paróquia de Alta Floresta - MT

ACOLHIDA
Diz Jesus: Eis que estou a porta e bato, se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa, cearei com ele e ele comigo (Ap. 3.20). Que este seja momento especial de ouvir a Palavra de Deus. Que nada nos impeça e que, a partir desta Palavra, possamos desenvolver e impulsionar a comunhão com Deus e com nossos irmãos. Um bom dia a todos!
Saudamos, de maneira especial, também aos nossos visitantes e desejamos que possam se sentir bem entre nós!
OBS: ONDE NÃO TIVER O HINÁRIO ANUNCIADO PODERÁ SER UTILIZADO OUTRO DA IECLB.

CANTO DE ENTRADA
14 – Livro de Canto- Deus está presente

SAUDAÇÃO
Que a graça do Senhor Jesus, o amor de Deus, O Pai, e a comunhão do Espírito Santo seja com todos nós nesta noite. Amém.

CANTOS DE INVOCAÇÃO
462 – Livro de Canto- Vem, Espírito Divino.

CONFISSÃO DE PECADOS
(É possível, aqui, oportunizar a oração individual com um momento em silêncio).
Senhor Deus e Pai, a tua Palavra é para nós um espelho. Ali nos enxergamos e percebemos como estamos distantes da Tua Vontade para cada um de nós. Senhor, reconhecemos que somos gananciosos, não pensando nas consequências disso para nossos irmãos e para a tua criação. Reconhecemos que em nós há o ceticismo que nos afasta de Ti, acreditando apenas em nós mesmos, que é o nosso grande perigo. Perdoa que julgamos uns aos outros e esquecemos de olhar para dentro de nós. Que a Tua graça, Senhor, mais uma vez, nos alcance e nos traga o teu perdão. Perdoa cada um que, de todo coração, se arrepende de seus pecados. Por teu nome, Jesus, amém.

ANÚNCIO DO PERDÃO
O Senhor, nosso Deus, é bondoso e misericordioso e os aceitará se vocês voltarem para ele (2 Crônicas 30.9). Todo aquele que, de todo coração, se volta para o Senhor, Ele os recebe, assim como o filho pródigo é recebido de braços abertos pelo Pai amoroso na parábola do filho pródigo. Alicerçados nesta palavra, podemos ter a certeza que, sim, Ele nos concede o seu perdão.

GLÓRIA IN EXCELSIS

CANTO: 526 – Livro de Canto – Glória pra sempre.

ORAÇÃO DO DIA
Senhor Deus te louvamos e agradecemos por este dia e por este tempo de culto. Obrigado por termos a liberdade para estar aqui uns com os outros sendo instruídos pela Tua Palavra quando tantos outros já não podem mais fazê-lo. Dá a nós a disposição e o desejo de estar com pessoas na Tua casa, Senhor. Obrigado por nos chamares, hoje, de nossos lares para congregar com o Teu povo. Certamente, tens para nós uma Palavra para os nossos corações. Cria em nós a comunhão e o amor para que este lugar sempre seja o local onde a Tua igreja está, congrega e coloca os dons a serviço. Que reconheçamos sempre em Ti, o único Deus, eterno e imutável que se fez carne e morreu na cruz pra nos dar salvação e plenitude de vida. Que Teu Santo Espírito nos abra o coração para receber teu Evangelho, amém.

LITURGIA DA PALAVRA

LEITURA BÍBLICA
Salmo 150; Atos 5.27-32

CÂNTICO INTERMEDIÁRIO
171 – Livro de Canto – Ontem, hoje e sempre

PREGAÇÃO

Início com a leitura de João 20.26-31
26 - Uma semana depois, os discípulos de Jesus estavam outra vez reunidos ali com as portas trancadas, e Tomé estava com eles. Jesus chegou, ficou no meio deles e disse:
— Que a paz esteja com vocês!
27 - Em seguida disse a Tomé:
— Veja as minhas mãos e ponha o seu dedo nelas. Estenda a mão e ponha no meu lado. Pare de duvidar e creia!
28 - Então Tomé exclamou:
— Meu Senhor e meu Deus!
29 — Você creu porque me viu? — disse Jesus. — Felizes são os que não viram, mas assim mesmo creram!
30 - Jesus fez diante dos discípulos muitos outros milagres que não estão escritos neste livro. 31 - Mas estes foram escritos para que vocês creiam que Jesus é o Messias, o Filho de Deus. E para que, crendo, tenham vida por meio dele. (Jo 20.26-31 NTLH)
A história de Tomé é muito conhecida. Parece que ouvir sobre este texto é “chover no molhado”. Mas sabemos, ao mesmo tempo, que com a Palavra de Deus não é assim. Como diria Lutero: “A Bíblia é uma erva, quanto mais se manuseia, mais perfume ela exala.”. Esta é nossa certeza de que também nos textos que já conhecemos, ainda há “aromas” que podem ser descobertos.
Para entender melhor este texto, é preciso saber que há uma aparição de Jesus que é anterior a esta. Esta já é a segunda vez que Jesus aparece aos discípulos após a ressurreição. Uma semana antes, o encontro é bastante parecido! Os discípulos estão reunidos, Jesus aparece no meio deles e saúda os discípulos dizendo: Paz esteja convosco!
Mas atenção! Interessantemente, o nosso personagem, Tomé, não está ali com eles. O versículo 24, do capítulo 20, explica: Ora, Tomé, um dos doze, chamado Dídimo, não estava com eles quando veio Jesus. Porque não estava lá? Todos os demais estavam. Só ele não? Podemos supor algumas coisas. Provavelmente havia se isolado, tentando entender os acontecimentos daqueles dias. Talvez, sua profunda tristeza (frustração, de repente?) só seria bem recebida no silêncio o no isolamento pessoal. Conosco é assim! Quando experimentamos tragédias e frustrações também gostamos, até preferimos, o silêncio e a solidão. E na quantidade certa, faz bem. Fato é que Tomé não estava com os outros discípulos.
Esta situação nos ajuda a entender porque, em nosso texto, Tomé é apresentado de forma especial: Tomé estava com eles. É a primeira aparição de Jesus diante de Tomé, que já havia ouvido dos discípulos sobre a aparição de Jesus quando ele não estava, mas não acreditou.
Mas quem é esse Tomé? Personagem quase oculto até estes relatos, agora, é enfatizado por João. Ele é, certamente, mais importante dentro do círculo dos discípulos do que imaginamos. Geralmente, associado apenas com a incredulidade, a descrença, a racionalidade, a dúvida e a crítica. Não dá para negar esses aspectos, mas só isso? Nós também temos momentos de incredulidade, não é mesmo? Mas isso não significa que a nossa vida toda seja de descrença.
Ao olhar para a Bíblia, percebemos relatos marcantes na história de Tomé! Em primeiro lugar, parece que era alguém bastante próximo de Mateus, o publicano. Lá e cá ambos são mencionados um após o outro nos textos.
Tomé, também chamado Dídimo, que significa gêmeo, tinha, muito provavelmente, um irmão ou uma irmã gêmea.
Ele aparece também no contexto de João 14, quando Jesus está fazendo discursos de despedida e diz que os discípulos conhecem o caminho e sabem pra onde Ele vai! Logo Tomé responde: Senhor, não sabemos para onde vais; como poderemos saber o caminho? (Jo 14.5). Com atenção, percebemos aqui, mais uma vez, palavras que transparecem incredulidade e dúvidas!
E ainda, o mesmo Tomé é mencionado no contexto de João 11. Algo que não esperaríamos acontece. Jesus recebe a notícia de que Lázaro havia morrido e diz que eles precisam voltar em direção a Jerusalém para ir até a casa de Marta e Maria, onde estava Lázaro. Os discípulos logo dizem: Mestre, ainda agora os judeus procuravam apedrejar-te, e voltas para lá?(Jo 11.8). Neste momento, diante do perigo que representaria um retorno, Tomé diz: Vamos também nós para morrermos com ele! (Jo 11.16). Que fidelidade! O mesmo Tomé que tem dificuldade de crer em Jesus é o Tomé que coloca a vida em jogo para estar com Jesus. E não somente isso: É o Tomé que, segundo a tradição histórica, foi missionário na índia, onde morreu como mártir do Evangelho. É o Tomé que está com os discípulos no relato do texto de Atos defendendo o Evangelho diante do Sinédrio.
Se a Bíblia nos é um espelho, a história e a personalidade de Tomé também. Assim somos nós! Oscilantes na vida de fé! Ora fiéis, prontos para o que der e vier, ora derrapantes, fugindo de tudo, duvidando de tudo e prontos para desistir. Tomé é mais um discípulo com os traços da maioria dos discípulos de Jesus! Nós também somos céticos, gostamos de ver para crer, damos de ombros para as experiências bonitas que as pessoas têm com Deus (como Tomé faz quando os discípulos vêm lhe dizer que viram a Jesus). Questionamos rapidamente àquilo que nos soa extraordinário demais na vida de fé de outras pessoas.
Apesar de sermos assim, Jesus faz questão de vir ao nosso encontro. Como com Tomé. Ele não precisaria, necessariamente, estar com os discípulos novamente uma semana depois. Mas o cético Tomé ainda não havia estado com ele. Era necessário, apesar de toda a incredulidade. Querida comunidade, apesar dos nossos ceticismos, dúvidas, críticas e incredulidades, Jesus ainda vem ao nosso encontro. Não merecemos, mas Ele vem por ser expressão total do amor de Deus.
Mas atenção! O ceticismo tem duas faces! Ele pode ser honesto, ou desonesto. Tomé era um cético honesto. Champlin, um estudioso da Bíblia, diz que há diferenças. Eis alguns pontos:
- O cético honesto não se satisfaz com o que aprendeu e quer saber mais, por isso questiona.
- O cético desonesto tem o desejo de não crer. Nada é capaz de impressioná-lo.
- O cético honesto está aberto ao aprendizado por meio de diversos meios e fontes.
- O cético desonesto vive nas trevas, e as confunde com luz. Praticamente, nenhuma revelação é capaz de iluminá-lo.
Quem somos nós no mundo ceticista? O ceticismo de Tomé era honesto e cessa ao colocar as mãos nos ferimentos de Cristo. Ele viu que tudo era real. Brincamos dizendo que brasileiro vê com a mão, não é verdade? Judeu também! Tomé precisa tocar para enxergar e ali sua descrença cai. O racional Tomé se curva diante do mestre e expressa: Senhor meu e Deus meu!
A experiência de Tomé dá ainda mais credibilidade para o fato pascal da ressurreição. Se alguém tão cético como Tomé se curva e dá a vida pelo Senhor é porque aquilo não era lenda. A experiência das mulheres que vão ao túmulo no domingo pela manhã, dos outros discípulos e dos discípulos de Emaús, agora, é a experiência libertadora de Tomé.
O desafio a nós é sermos menos racionais, críticos e incrédulos. Deus fala conosco em todo o tempo. Que nossos momentos de fidelidade e zelo pelo Senhor sejam muito mais numerosos do que os tempo de dúvidas e crises. Dúvidas vêm, mas precisamos saber o que fazer com elas. Que no fim de cada uma dessas dúvidas, possamos confessar com Tomé: Senhor meu e Deus meu! Que possamos, apesar das nossas fragilidades, reconhecer o senhorio de Cristo. Ao mesmo tempo, somos gratos ao Deus que não nos abandona nesses momentos e que, hoje, mais uma vez, como uma ervinha, sua Palavra exalou doce perfume. Que Deus nos abençoe, amém.

HINO
620 – Livro de Canto – Meu tempo
(Pode-se anunciar o próprio hino como confissão de fé, substituindo o Credo Apostólico)

CONFISSÃO DE FÉ

Confessemos a nossa fé com as palavras do Credo apostólico: Creio em Deus Pai...

CANTO PÓS CONFISSÃO (Motivação e recolhimento de ofertas)

84 – Livro de Canto – Te agradeço.

AVISOS
Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Destino da oferta: _________________________________________
Oferta último Culto: R$________ destinada ____________________ ________________________________________________________
________________________________________________________

ANIVERSARIANTES
________________________________________________________
________________________________________________________

ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Motivos de Oração
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
Senhor Deus, ouve o clamor da Tua Igreja. Ouve quando colocamos cada um destes motivos de oração sob os Teus cuidados e proteção. Os colocamos diante de Ti, pois só tu és fiel, Senhor. Tu conheces cada um destes motivos que foram colocados aqui nesta noite e, ao mesmo tempo, conhece também aquilo que não externamos. Pedimos humildemente que, onde necessita consolo, console. Onde perdão, perdoe. Onde saúde, dê saúde. Entretanto, nos colocamos embaixo de Tua vontade em cada um destes motivos. É a Tua vontade que buscamos aqui. Entregamos, integralmente, tudo em tuas mãos quando oramos, juntos, a oração comunitária que Jesus nos ensinou ao orar dizendo:

PAI NOSSO
Pai nosso ...

LITURGIA DE DESPEDIDA
BÊNÇÃO
Que o Senhor te abençoe e te guarde, que o Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti, que o senhor levante o seu rosto sobre ti, e te dê a paz. Amém.

ENVIO
Ide na paz do Senhor e servi ao Senhor com alegria! Uma ótima semana a todos. Que Deus nos permita estarmos juntos no próximo culto. Bom domingo a todos.

CANTO FINAL
377 – HPD II – A paz do Senhor...
 


Autor(a): Pastor Diogo Rengel
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo da Páscoa
Natureza do Domingo: Páscoa
Perfil do Domingo: 2º Domingo da Páscoa
Testamento: Novo / Livro: João / Capitulo: 20 / Versículo Inicial: 26 / Versículo Final: 31
Título da publicação: Caderno de Cultos - Sínodo Mato Grosso / Ano: 2019
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 50520
REDE DE RECURSOS
+
Ao deixar de orar por um único dia sequer, perco grande parte da minha fé.
Martim Lutero
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br