Jubiloso, venturoso tempo santo de Natal

Comentário e Reflexão

29/06/2012

HPD nº 29 Jubiloso, venturoso tempo santo de Natal

Entre os órfãos atendidos por Johann Daniel Falk havia um jovem italiano. Provavelmente as ondas turbulentas das guerras napoleônicas o haviam arrastado até Weimar. Por não conhecermos seu nome, vamos chamá-lo de Giuseppe. Ele era magro, franzino, acanhado e sempre tristonho. Prof. Falk o tratava igual aos outros órfãos e fazia tudo para alegrá-lo. Mas não era fácil, pois havia certa dificuldade de se comunicar com ele, devido a diferença das línguas. Certo dia Falk observou como o menino, às sós, escondido na sombra de um muro, assobiava uma melodia que para o professor ainda era desconhecida. Parecia uma canção de ninar, calma, tranqüila, profunda, terminando com sons jubilosos.

Ele dirigiu-se ao menino:

- Que melodia bonita, Giuseppe!

- E´, sim, senhor.

- Você gosta desta música?

- Gosto, sim, senhor.

- Ela é lá da tua terra? Prof. Falk queria saber.

- E´, sim, senhor. Respondeu ele.

Como de costume, o menino não era de muita conversa. Mas Falk gravou a melodia no seu coração. E, sempre com o intuito de preparar uma alegria para seu jovem protegido, ele se pôs a procurar. E finalmente, na época do Advento, encontrou a mesma melodia na coleção de canções folclóricas do poeta Herder. Logo inventou um texto em alemão, usando a melodia italiana, e reuniu as outras crianças para ensaiar às escondidas.

Chegou o dia de Natal. Falk leu para os órfãos a história do nascimento de Jesus, como Lucas a relatou no Evangelho. Todos cantaram os antigos hinos de Natal. Depois cada um recebeu um pacotinho com alguns doces. E em seguida Falk disse:

- E agora mais um presentinho para nosso amigo italiano.

Ele chamou o Giuseppe para perto de si, colocou a mão esquerda sobre seus ombros, e com a direita fez o sinal para os outros órfãos formarem um semi-círculo. Deu o tom inicial. E, com vozes claras e alegres soou o seu hino:

“Jubiloso, venturoso tempo santo de Natal!
Mundo perdido: Cristo é nascido!
Rejubila, cristandade, no Senhor!”

Um ligeiro sorriso iluminou o rosto do menino. Seu corpinho tremeu de emoção. Com ambos os braços segurou-se no corpo do seu protetor. E, quando o coro de meninos repetiu o hino, ele os acompanhou, assobiando a sua tão amada melodia.

L.C.

Jubiloso, venturoso tempo santo de Natal

Este alegre cântico natalino é de origem italiana. Em 1788 o filósofo alemão, teólogo, e poeta Johann Gottfried von Herder (1744-1803) trouxe a melodia para a Alemanha depois de uma viagem para a Itália. Originalmente uma canção de pescadores Sicilianos, a melodia era usada para o hino latino O Sanctissima. No final do ano de 18161 o educador Johannes Daniel Falk (1768-1826) escreveu um texto em alemão, para o que logo se tornou um dos mais populares Cânticos de Natal.

Nota:

1 Zunächst ging man in Fachkreisen davon aus, dass dieses Lied erstmalig in den 1819 erschienenen „Auserlesenen Werken“ Falks veröffentlicht worden ist. Der Hymnologe Günter Balders entdeckte jedoch in der Bibliothek der Freikirchlichen Fachhochschule Elstal durch Zufall eine Broschüre, die belegt, dass das Falk'sche Allerdreifesttagslied bereits nach dem Weihnachtsfest 1816 an die Öffentlichkeit gelangte. Der Erstdruck befindet sich demnach in dem am 30. Januar 1817 abgeschlossenen Zweiten Bericht von Falks sozialdiakonischem Förderverein Gesellschaft der Freunde in der Noth. Hier findet sich eine Liste von Liedern, die jeder Zögling der Sonntagsschule auswendig wissen und singen muss. (Wikipedia)
 


Autor(a): Leonhard Creutzberg
Âmbito: IECLB
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo do Natal
Hino: 29. Jubiloso, venturoso tempo
Título da publicação: Hinos do Povo de Deus Comentados / Ano: 2012
Natureza do Texto: Música
Perfil do Texto: Comentário ou reflexão sobre hino
ID: 15414
REDE DE RECURSOS
+
Consulta, primeiro, a palavra do Senhor.
2Crônicas 18.4
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br