Lançamento do livro "Magnificat - O louvor de Maria" de Martim Lutero em Aparecida/SP

11/09/2015

Magnificat - O louvor de Maria
Lançamento do livro Magnificat - O louvor de Maria - Aparecida/SP
Magnificat - O louvor de Maria
1 | 1
Ampliar

Foi lançado no dia 11 de setembro, durante o IX Congresso Mariológico em Aparecida/SP o livro “Magnificat – O louvor de Maria” de Martim Lutero. O lançamento contou com presença de Dom Raymundo Damasceno Assis, Cardeal de Aparecida, do Pastor Rolf Schünemann, representando a Presidência da IECLB, do artista plástico Cláudio Pastro, autor da capa, e Pe. Fábio Evaristo Resende Silva, da Editora Santuário.

A nova edição, fruto da parceria entre Editora Sinodal e Editora Santuário, foi impulsionada pela Comissão Bilateral Católico-Luterana e se insere nos eventos comemorativos dos 500 anos da Reforma.

Em sua carta ao leitor, Dom Raymundo Damasceno afirma que quem ler o comentário de Martim Lutero sobre o Magnificat “...saberá relevar as marcas que o tempo inevitavelmente deixa em qualquer teologia, e irá apreciar as intuições perenes, bem como as marcas da profunda e piedosa religiosidade cristã do autor.”

O Pastor Presidente Dr. Nestor Paulo Friedrich ao apresentar esta nova edição afirma que a graça que Maria conheceu e a fé que ela viveu foram redescobertos por Martim Lutero. “Hoje, continuam como desafios enormes e cotidianos o ensino e o testemunho cristãos ancorados no Deus que nos justifica por sua graça, a qual nós em verdade não merecemos, mas acolhemos pela fé. Isso porque, infelizmente, reina em nosso contexto de vida a pregação, supostamente fundamentada no Evangelho, de um deus que amedronta, castiga, julga e, inclusive, cobra caro para aceitar e agraciar. Ou seja, as indulgências continuam em alta, apenas sob outra roupagem! Portanto, imperioso é, para quem crê no Deus revelado em Jesus, o Filho de Maria, anunciar e cantar, como a Virgem, que “a sua misericórdia vai de geração em geração” (Lucas 1.50); que sua graça nos declara justos, o que nós acolhemos pela fé.”

O artista plástico Cláudio Pastro apontou Maria como modelo de fé na medida em que ela não chama atenção para si, mas para a graça de Deus presente na sua incarnação em Jesus. A capa apresenta Maria como um vaso aberto para a acolhida da graça de Deus.

Esta coedição é uma versão atualizada do original “O Magnificat “, que se encontra nas “Obras Selecionadas de Martinho Lutero (1996). A primeira edição do Magnificat de Martim Lutero em língua portuguesa aconteceu em 1968 (Editora Vozes, Petrópolis/RJ).
 

COMUNICAÇÃO
+
ECUMENE
+
Se cada um servisse a seu próximo, o mundo inteiro estaria repleto de culto a Deus.
Martim Lutero
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br