Liturgia para o Domingo de Pentecostes

20/05/2015

Domingo de Pentecostes

24 de maio 2015

 

Prelúdio

Boas-vindas

“Não será com o poder nem com a força, será com o meu espírito, diz Javé dos exércitos” Zacarias 4,6

Saudação

Uma parte….
Mesmo que seja uma pequena porção…
Derrama sobre nós…
Derrama sobre nós o teu Espírito…
Vento agitado, brisa suave,
sopro portando palavra, comunicação.
Vem Espírito Santo! Respiração cósmica, vento primordial!
Vem construindo memórias,
articulando palavras,
gestando comunidade,
conectando povos, pessoas, culturas,
fazendo do mundo o espaço do teu movimento
até que estejas em nós,
dentro de nós,
pronunciando amores, interações inusitadas.
Vem Espírito Santo! Pousa sobre nós.

Canção: Vem, Espírito Divino (HPD 85)

Chamado à confissão

Por vezes vivemos como pessoas a quem o Espírito de Deus não foi dado. Pensamos em unidade, mas agimos de modo a dividir; intencionamos aproximação, mas o que conseguimos é afastamento; miramos na comunhão, mas o que atingimos é rompimento. Por isso, nos colocamos diante de Deus em reflexão e confissão. Oremos:

Respiração cósmica, vento primordial,
Nos colocamos diante de ti reconhecendo a nossa incapacidade para entrar no teu movimento.
Quando o teu sopro nos conduz à unidade e nós insistimos na divisão, perdoa-nos.
Quando nos afastamos da possibilidade de aproximação, perdoa-nos.
Quando não acolhemos a complexidade da experiência das outras pessoas e nos recusamos a aceitar a diversidade da tua criação, perdoa-nos.

Kyrie (HPD 339)

Respiração cósmica, vento primordial,
Quando julgamos a nossa cultura, etnia e religião superior à das outras pessoas, perdoa-nos.
Quando as nossas ações de solidariedade se constituem num empecilho para a auto-sustentabilidade e a auto-afirmação de quem precisa da nossa ajuda, perdoa-nos.
Quando as fronteiras da nossa comunidade se colocam no limite do conhecido e do semelhante a nós, perdoa-nos.

Kyrie (HPD 339)

Sopra sobre nós o teu vento animador e conduze-nos para as amplidões do teu Espírito.
Em nome de Jesus Cristo. Amém.

Proclamação da Graça de Deus

“Se confessarmos os nossos pecados, Jesus é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a injustiça” (1 João 1,9).
Irmãs e irmãos, em Cristo os nossos pecados estão perdoados e as nossas injustiças redimidas. Louvemos a Deus!

Glória (HPD 346)

Leitura do Salmo 118, 24-29

Este é o dia em que Javé agiu: exultemos e alegremo-nos com ele.
Javé, dá-nos a salvação! Dá-nos a prosperidade, Javé!
Bendito o que vem em nome de Javé! Desde a casa de Javé nós abençoamos vocês.
Javé é Deus: ele nos ilumina! - Formem procissão com ramos até os ângulos do altar.
Tu és o meu Deus, eu te agradeço. Meu Deus, eu te exalto!
Agradeçam a Javé, porque ele é bom, porque o seu amor é para sempre!


Leitura do Antigo Testamento -  Números 11. 11-12, 14-17, 24-25

11 Moisés disse a Javé: «Por que tratas tão mal o teu servo? Por que gozo tão pouco do teu favor, a ponto de me impores o peso de todo este povo? 12 Por acaso, fui eu que concebi ou dei à luz este povo, para que me digas: ‘Tome este povo nos braços, da maneira que a ama carrega a criança no colo, e leve-o para a terra que eu jurei dar aos pais deles’? 14 Eu sozinho não consigo carregar este povo, pois supera as minhas forças! 15 Se é assim que me pretendes tratar, prefiro a morte! Concede-me esse favor, e eu não terei que passar por essa desgraça!» 16 Javé respondeu a Moisés: «Reúna setenta anciãos de Israel, que você sabe que são anciãos e magistrados do povo. Leve-os à tenda da reunião, para que se apresentem aí com você. 17 Eu descerei aí e falarei com você. Separarei uma parte do espírito que você possui e passarei para eles, a fim de que repartam com você o peso do povo, e você não tenha mais que o carregar sozinho. 24 Moisés saiu e comunicou as palavras de Javé ao povo. Depois reuniu setenta anciãos do povo e os colocou ao redor da tenda da reunião. 25 Então Javé desceu na nuvem, falou com Moisés, separou uma parte do espírito que Moisés possuía, e a colocou nos setenta anciãos. Quando o espírito pousou sobre eles, puseram-se a profetizar; mas, depois, nunca mais o fizeram.


Oração do Dia

Oremos:
O vento que bate nas folhas dos coqueiros, os faz cantar.
O vento que sopra sobre as montanhas agora já verdes, as faz vibrar.
O vento forte que desarruma tudo, propicia a oportunidade para a invenção de modos novos para a vida, para os relacionamentos, sacudindo as estruturas empoeiradas e enrijecidas da nossa prática e do nosso pensar e colocando-nos na esteira do movimento de quem sabe acolher o mover da vida e do seu pulsar.
Que o teu vento desarrume as nossas vidas, as nossas Igrejas e instituições, de modo que movidas pelo teu Espírito, avancemos para visões mais dinâmicas e ações mais acolhedoras da complexidade da tua criação.
Amém.


Leitura da Epístola - Atos 2. 1-18

1 Quando chegou o dia de Pentecostes, todos eles estavam reunidos no mesmo lugar. 2 De repente, veio do céu um barulho como o sopro de um forte vendaval, e encheu a casa onde eles se encontravam. 3 Apareceram então umas como línguas de fogo, que se espalharam e foram pousar sobre cada um deles. 4 Todos ficaram repletos do Espírito Santo, e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito lhes concedia que falassem.

5 Acontece que em Jerusalém moravam judeus devotos de todas as nações do mundo. 6 Quando ouviram o barulho, todos se reuniram e ficaram confusos, pois cada um ouvia, na sua própria língua, os discípulos falarem. 7 Espantados e surpresos, diziam: «Esses homens que estão falando, não são todos galileus? 8 Como é que cada um de nós os ouve em sua própria língua materna? 9 Entre nós há partos, medos e elamitas; gente da Mesopotâmia, da Judéia e da Capadócia, do Ponto e da Ásia, 10 da Frígia e da Panfília, do Egito e da região da Líbia vizinha de Cirene; alguns de nós vieram de Roma, 11 outros são judeus ou pagãos convertidos; também há cretenses e árabes. E cada um de nós em sua própria língua os ouve anunciar as maravilhas de Deus!» 12 Todos estavam admirados e perplexos, e cada um perguntava a outro: «O que quer dizer isso?» 13 Outros caçoavam e diziam: «Eles estão embriagados com vinho doce.»

14 Então Pedro, que aí estava com os outros onze apóstolos, levantou-se e falou em voz alta: «Homens da Judéia e todos vocês que se encontram em Jerusalém! Compreendam o que está acontecendo e prestem atenção nas minhas palavras: 15 estes homens não estão embriagados como vocês pensam, pois são apenas nove horas da manhã. 16 Pelo contrário, está acontecendo aquilo que o profeta Joel anunciou: 17 ‘Nos últimos dias, diz o Senhor, eu derramarei o meu Espírito sobre todas as pessoas. Os filhos e filhas de vocês vão profetizar, os jovens terão visões e os anciãos terão sonhos. 18 E, naqueles dias, derramarei o meu Espírito também sobre meus servos e servas, e eles profetizarão.


Canção de Aclamação do Evangelho: HPD 437 – 1° e 2° estrofes


Leitura do Evangelho - João 14.23-27

23 Jesus respondeu: «Se alguém me ama, guarda a minha palavra, e meu Pai o amará. Eu e meu Pai viremos e faremos nele a nossa morada. 24 Quem não me ama, não guarda as minhas palavras. E a palavra que vocês ouvem não é minha, mas é a palavra do Pai que me enviou. 25 Essas são as coisas que eu tinha para dizer estando com vocês. 26 Mas o Advogado, o Espírito Santo, que o Pai vai enviar em meu nome, ele ensinará a vocês todas as coisas e fará vocês lembrarem tudo o que eu lhes disse.»

A paz que só Jesus pode dar -* 27 «Eu deixo para vocês a paz, eu lhes dou a minha paz. A paz que eu dou para vocês não é a paz que o mundo dá. Não fiquem perturbados, nem tenham medo.

Canção de Aclamação do Evangelho:

Sermão

Canção de Aclamação do Evangelho: HPD 437 – 3° e 4° estrofes


Afirmação de Fé

Cremos em Deus, Pai e Mãe de toda a humanidade,
que por amor gerou, a partir de si mesmo,
mulheres e homens à sua imagem e semelhança
e todas as coisa visíveis, invisíveis, conhecidas e por conhecer.
Cremos em Jesus Cristo, nosso irmão,
que de maneira terna e irresistível, ofereceu seu corpo
para redimir-nos de todo o pecado e mal;
ele, que a fim de operar salvação em favor da criação inteira,
convocou discípulas e discípulos, fez-se amigo das mulheres
e deixou-se interpelar por elas;
rompeu conceitos e pré-conceitos para estabelecer uma ética de amor
que valoriza a diferença e não se cala frente à injustiça.
Cremos no Espírito santo, que revelou-se como pomba, chocadeira de vida,
que sopra livre no meio das estruturas corrompidas da nossa sociedade,
para transformá-las,
que consola as pessoas enfraquecidas, sós, marginalizadas e doentes,
que ora é vento forte, ora brisa suave; aroma inebriante que faz viver.
Na vida, na morte e na vida depois da morte, nós cremos em ti, Senhor.


Orações de Intercessão


Respiração cósmica, vento primordial,
Nos colocamos diante de ti a fim de pedir pelo mundo que criaste e do qual somos parte. Os ecossistemas têm sido alterados, o ar poluído e as águas contaminadas. Mudanças climáticas como consequência do aquecimento global se evidenciam no planeta inteiro. As metas de redução de emissão de CO2 não são alcançadas com a velocidade necessária. O estilo de vida consumista propiciado pelo sistema capitalista neo-desenvolvimentista produz lixo e materiais não bio-degradáveis em excesso. Que compromissos mais fortes sejam feitos pelas indústrias, produtores agrários, governos e por cada um e cada uma de nós.

Paracleto ajudador, vem em nosso socorro.

Pedimos por todas as pessoas que são vítimas de intolerância religiosa e cultural. Temos testemunhado o crescimento de conflitos por motivo religioso em diversas partes do mundo. No Brasil, terreiros de candomblé são queimados; na Nigéria, cristãos são assassinados; em inúmeros países, muçulmanos são discriminados e hostilizados.

Paracleto ajudador, vem em nosso socorro.

Pedimos discernimento para enfrentar a instrumentalização que o grande capital faz das religiões a fim de alcançar os seus propósitos. Contemporaneamente, a indústria da guerra busca associar o Islã ao terrorismo a fim de construir justificativas para a invasão de territórios produtores de petróleo. Deste modo, assistimos as religiões se tornando a fachada para um conflito que é verdadeiramente econômico.

Paracleto ajudador, vem em nosso socorro.

Pedimos pelas pessoas que estão doentes, por aquelas que perderam entes queridos, por quem sente-se angustiado, frustrado, desesperançado. Que o sopro do teu Espírito anime, dê coragem e força, e restaure as fontes de alegria e amor que muitas vezes, parecem ter secado.

Paracleto ajudador, vem em nosso socorro.

Pedimos por nossa Igreja, por nossa paróquia, por nossa cidade, por nossos vizinhos e por nós para que que, no exercício de viver a palavra de Jesus Cristo, aprendamos a ser comunidade em solidariedade e amor.

Paracleto ajudador, vem em nosso socorro.


Compartilhando a Paz

Que a paz de Cristo esteja com todos vocês.
E com você também.
Compartilhemos a paz uns com os outros.

Ofertório

Sile zigeberelna kulu

Oração de Graças

O Senhor esteja contigo.
E contigo também.
Elevem os corações ao alto.
Ao Senhor os elevamos.
Demos graças ao Senhor nosso Deus.
É digno e justo dar louvor ao nosso Deus.

Prefácio

Respiração cósmica, vento primordial,
É digno e justo render-lhe o nosso louvor.
Com o teu sopro organizaste o caos criando o universo repleto de galáxias, estrelas, planetas e matéria de densidades diversas.
Da tua boca saíram mares, rios, desertos, plantas, pessoas e tudo o que a tua palavra quis moldar.
No movimento do teu sopro promoves encontros, conexões; formas comunidades e fazes de nós um povo que se reconhece no teu amor.
Por isso, com a Igreja de toda a terra, com os anjos e santos de todos os tempos e de todos os lugares, nós louvamos o teu nome e cantamos a todo pulmão: santo, santo, santo é o Senhor; toda a terra está cheia da tua glória.
Hosana nas alturas! Bendito o que vem em nome do Senhor!


Sanctus:

Oração Eucarística

Bendito o vento que sopra trazendo compreensão,
estabelecendo a comunicação e promovendo a unidade
numa criação complexa e diversificada.
Bendita a respiração que faz viver e faz lembrar de quem teve coragem de entregar-se a fim de garantir que a criação inteira aprenda a palavra traduzida em amor.
Ele, que na noite em que foi traído, tomou o pão, e havendo dado graças, partiu-o, deu-o aos seus discípulos e às suas discípulas dizendo:
Tomai e comei; este é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim.
De modo semelhante, tomou também o cálice, deu graças, deu-o a todos dizendo: este cálice é a nova aliança no meu sangue que é derramado por vós em favor dos nossos pecados. Fazei isto todas as vezes que o beberdes, em memória de mim.

Ao comermos deste pão e bebermos deste cálice, anunciamos a morte e a vida do Senhor até que ele venha.
Cristo morreu. Cristo ressuscitou. Cristo virá outra vez.

Vem Espírito Santo; ensina-nos todas as coisas.
Entra em nós de modo que nos tornemos corpo e sangue de Cristo para o mundo a quem ele tanto amou.
Que o alimento desta mesa nos anime para os movimentos da Graça.
Por Cristo, com Cristo e em Cristo,
Na unidade do Espírito Santo,
Toda honra e glória são tuas, agora e sempre. Amem.
Amém.


Oração do Pai Nosso

Canção: Agnus Dei

Comunhão

Canções durante a comunhão:

Oração depois da Comunhão

Oremos:
Sopro suave,
Que o teu Espírito desça sobre nós,
mesmo que seja uma pequena porção,
e nos anime para vivenciar as alegria encontradas
e nos ajude nos enfrentamentos diários
de modo que sejamos palavra tornada amor
para os nossos vizinhos, os nossos familiares
e para o mundo
sobre o qual sopraste a vida.
Em nome de Jesus. Amém.
Amém.

Bênção Final

(A pastora ou o pastor convida a comunidade a fazer um gesto como parte da bênção final. Cada pessoa coloca as mãos na posição de receber algo, ou seja, as palmas da mão para cima. A pessoa do lado sopra nas mãos do seu vizinho, gentilmente. Uma vez)

Abençoe-nos Deus, respiração cósmica, vento primordial.
Que na gentileza do seu sopro encontremos a força e a vontade,
o compromisso e a disposição
para movimentos ousados,
para novas visões, novos modos de comunicar,
novas memórias construídas por uma comunidade que busca amar e cuidar.

(A pastora ou pastor diz: e agora eu convido vocês a soprarem na palma da mão da pessoa que está ao seu lado como uma afirmação de que o sopro de Deus que está dentro nós, nos acompanha a todos na medida em que nós nos acompanhamos e o partilhamos).

Amém.

Canção de Encerramento: Vento que anima e faz viver (HPD 321)

Avisos

Poslúdio


Liturgia escrita pela Pastora Lusmarina Campos Garcia, Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil
 

REDE DE RECURSOS
+
Tu és o meu Senhor. Outro bem não possuo, senão a ti somente.
Salmo 16.2
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br