Lucas 1.57-66

24/06/1999

Prédica: Lucas 1.57-66
Leituras: Mateus 3.1-4 e Atos 13.13-16
Autor: Erní Walter Seibert
Data Litúrgica: Dia de São João Batista
Data da Pregação: 24/06/1999
Proclamar Libertação - Volume: XXIV
Tema:

Introdução

A festa de São João é uma das mais populares no Brasil. Muitos a festejam sem ao menos ligar aqueles fatos com a história de São João Batista. Dependendo da região, o Dia de São João é lembrado por queima de fogos, fogueiras, comidas e bebidas típicas, danças folclóricas. Muitos destes acontecimentos baseiam-se em tradições ligadas à história do nascimento de São João Batista.

A Bíblia conta que Isabel, a mãe de João, e Maria, a mãe de Jesus, eram parentes (Lc 1.36). Isabel ficou grávida, esperando João, alguns meses antes de Maria ficar grávida, esperando Jesus. Neste período em que ambas estavam grávidas, Maria foi visitar Isabel na região montanhosa de Judá (Lc 1.39-45). Até aí vai a história bíblica. Daí vem uma lenda que diz que quando nasceu o menino João, teria sido feita uma fogueira para informar Maria que o menino havia nascido. Seguiu-se o costume de, no Dia de São João, acender fogueiras. Além disso, o nascimento de São João passou a ser comemorado seis meses antes da data do nascimento de Jesus.

História e tradição fazem com que o Natal e a festa de São João tenham muitas coisas em comum. Além disso, há outro fator que liga as duas festas. O ministério de São João Batista foi de preparação para o ministério salvador de Jesus Cristo. Em outras palavras, o sentido do ministério de São João era preparar o caminho para a vinda de Cristo. Por isso, nesta festa de junho, já temos os olhos voltados para o Natal.

Estudo do texto bíblico

O texto bíblico é simples e narrativo. Conta a história do nascimento de João Batista. A intenção do texto é mostrar como o nascimento de João se deu dentro de circunstâncias especiais e como esses acontecimentos provocaram reações de admiração, temor e reverência em quem tomava conhecimento deles. Os acontecimentos estão dentro do que era típico de uma família hebréia daquele tempo que tinha um bebê: a circuncisão, o nome da criança, a expectativa de parentes e vizinhos. O evangelista, ao narrar a história, traz ao leitor a perspectiva da vida de João: aquele que iria preparar o caminho para a vinda de Jesus Cristo, o Salvador. O nome do menino João, em grego Ioannes, vem do hebraico Yohanan, que significa Javé tem sido gracioso.

As outras leituras do dia

As demais leituras do dia são Mt 3.1-4 e At 13.13-26. A leitura de Mateus nos traz informações sobre o início do ministério de João Batista. A leitura de Atos nos traz informações sobre uma pregação da era apostólica e como João era visto dentro da história da salvação. Há uma constância na apresentação de João Batista como o precursor de Cristo.

O tratamento litúrgico-homilético de uma data especial

Os dias especiais do calendário litúrgico, especialmente os dias dedicados a santos, dão especial oportunidade para falar à congregação da vida e obra da pessoa em foco. Assim também é com o Dia de São João Batista. Do autor de Hebreus (12.1-2) aprendemos que os exemplos de personagens bíblicos são testemunhos que nos inspiram a olhar para Cristo. João Batista fez exatamente isso em sua vida. Apontou para Cristo. Ele nos inspira a olhar para Cristo.

Sugerimos que neste dia a biografia de João Batista seja lembrada. Um grupo de pessoas (crianças, jovens ou adultos) poderia encenar passagens narradas pelo evangelista Lucas (1.5-25,39-45,57-80). Dessa forma a vida de João Batista seria lembrada para a congregação.

A pregação propriamente dita

O objetivo da pregação deste dia poderá ser incentivar os ouvintes a serem discípulos fiéis do Salvador Jesus. Em outras palavras, que os ouvintes, após esta pregação, consagrem sua vida ao Salvador como o fizeram Zacarias, Isabel e João. O efeito de uma vida consagrada é benéfico não só para quem assim vive, mas também para as pessoas que vivem ao redor. Foi assim que a firmeza de Zacarias e Isabel provocou reação positiva em seus parentes e vizinhos.

O exemplo de vida vacilante de muitos cristãos dificulta a aceitação do testemunho do evangelho. Mas a vacilação nem sempre é fruto de uma atitude deliberada da pessoa. As pessoas vacilam porque a vida traz dificuldades e tentações, porque sua fé é fraca, porque não há perfeição nesta vida. Na verdade, todos vacilam. Se a expansão do cristianismo dependesse apenas de pessoas que não vacilam, a causa já estaria perdida. Zacarias também vacilou. Não acreditou que ele e sua mulher, sendo velhos, ainda pudesse ter um filho. Zacarias parou de vacilar quando confiou em Deus.

Confiança em Jesus Cristo é a base da vida consagrada. As boas obras são fruto da fé. O processo que se deu com Zacarias e Isabel é o processo que ocorre com todas as pessoas de vida consagrada. Confia-se na graça de Deus em Cristo Jesus e vive-se sob a inspiração da palavra de Deus. Foi exatamente esta a mensagem de João Batista: que os obstáculos fossem tirados (arrependimento) e que se confiasse naquele que estava vindo para ser o Salvador: Jesus Cristo.

A introdução da mensagem poderá ser feita verificando que aspecto da comemoração folclórica regional do Dia de São João tem ligação com a narrativa bíblica. A partir daí, pode-se falar sobre o sentido cristão de lembrar esta festividade.

Tentativa de esboço

Tema: Vivamos uma vida consagrada a Deus

1. Confiando na graça de Deus oferecida em Cristo Jesus.

Quando não confiamos em Deus, vacilamos. Quando voltamos os olhos para Deus e confiamos em sua graça, temos firmeza. Zacarias e Isabel aprenderam esta lição. Seu filho recebeu o nome de João (Deus foi gracioso). A base, o fundamento da vida consagrada a Deus é a confiança em Jesus Cristo. Deus é gracioso conosco. Apesar de nossas fraquezas e vacilações, ele sempre nos dá novas oportunidades.

2. Seguindo a orientação da palavra de Deus.

A vida consagrada é benéfica tanto para quem a vive como para o seu semelhante. A vida consagrada dedica-se a cumprir os mandamentos de Deus, que, em resumo, ensinam a amar a Deus e ao próximo. O ensinamento de João foi que as pessoas se arrependessem de seus maus caminhos e seguissem a Cristo. Esta é a mensagem do Dia de São João.

Proclamar Libertação 24
Editora Sinodal e Escola Superior de Teologia


Autor(a): Erní Walter Seibert
Âmbito: IECLB
Testamento: Novo / Livro: Lucas / Capitulo: 1 / Versículo Inicial: 57 / Versículo Final: 66
Título da publicação: Proclamar Libertação / Editora: Editora Sinodal / Ano: 1998 / Volume: 24
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Auxílio homilético
ID: 7126
REDE DE RECURSOS
+
Toda obra que não tenha por objetivo servir aos demais não é uma boa obra cristã.
Martim Lutero
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br