Lucas 6.27-38 - 7° Domingo Após Epifania - 24/02/2019

Caderno de Cultos 2019

24/02/2019

24/02/2019 – 7° Domingo após Epifania
Gênesis 45.3-11,15 Salmo 37.1-11,39-40 - 1 Coríntios 15.35-38,42-50
Pregação: Lucas 6.27-38
P. Elisandro Rheinheimer – Tangará da Serra


LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA
Acolho a vocês nesta manhã (noite) com o lema bíblico para esta semana, que vem a ser a passagem de João 17.17, onde está escrito: “Jesus pede a Deus em oração: Santifica meus discípulos na verdade; a tua palavra é verdade”. Sim! Nós, como discípulos de Jesus desde o batismo, queremos receber e acolher a palavra de Deus em nossos corações e mentes, queremos ser santificados na palavra da verdade. Portanto, seja bem-vindo, sejam bem-vinda, você, membro da comunidade, você, visitante que veio congregar conosco neste dia. Certamente o nosso encontro vai ser abençoado. Convido, inicialmente, a cantarmos o hino que assim fala:

CANTO DE ENTRADA
18 – LCI: O nosso encontro vai ser abençoado

Ou: Nº ____________________________________________________

SAUDAÇÃO
É com gratidão a Deus e alegria que aqui nos reunimos em seu nome; Ele que é Pai, Filho e Espírito Santo. Amém!

CANTOS DE INVOCAÇÃO
Invoquemos a presença e a ação do Espírito Santo de Deus cantando:
462- LCI– Vem Espírito Divino

Ou: Nº ____________________________________________________

CONFISSÃO DE PECADOS
Convido a lermos em conjunto o salmo desta semana, Salmo 37.1-11,39-40:
1Não se aborreça por causa dos maus, nem tenha inveja dos que praticam o mal. 2Pois eles vão desaparecer logo como a erva, que seca; eles morrerão como as plantas, que murcham. 3Confie em Deus, o Senhor, e faça o bem e assim more com toda a segurança na Terra Prometida. 4Que a sua felicidade esteja no Senhor! Ele lhe dará o que o seu coração deseja. 5Ponha a sua vida nas mãos do Senhor, confie nele, e ele o ajudará. 6Ele fará com que a sua honestidade seja como a luz e com que a justiça da sua causa brilhe como o sol do meio-dia. 7Não se irrite por causa dos que vencem na vida, nem tenha inveja dos que conseguem realizar os seus planos de maldade. Tenha paciência, pois o Senhor Deus cuidará disso. 8Não fique com raiva, não fique furioso. Não se aborreça, pois isso será pior para você. 9Aqueles que confiam em Deus, o Senhor, viverão em segurança na Terra Prometida, porém os maus serão destruídos. 10Dentro de pouco tempo, os maus desaparecerão; você poderá procurá-los, porém não os encontrará. 11Mas os humildes viverão em segurança na Terra Prometida e terão alegria, prosperidade e paz. 39- O Senhor Deus salva do perigo os que são bons e os protege em tempos de aflição. 40-O Senhor os ajuda e livra; e, porque eles procuram a sua proteção, ele os salva dos maus.

Pai querido, o Salmo desta semana nos chama para confiar nossas vidas a ti, colocar nossas vidas em tuas mãos, pois tu queres nos ajudar, salvar do perigo, proteger dos maus, proteger em tempos de aflição. Obrigado Senhor! Adoramos e louvamos o teu santo nome! Ao mesmo tempo, Pai querido, precisamos reconhecer que nosso comportamento é mau. Nosso comportamento não é digno de um filho, uma filha de Deus; de um discípulo de Cristo. Muitas vezes somos orgulhosos e não queremos saber do teu caminho e de tua vontade. Tu estás conosco, mas nós muitas vezes não estamos contigo; não nos importamos contigo, com o que tu pensas, com o que te agrada. E a consequência de tudo isso vem a ser violência em pensamentos, em palavras e em ações bem concretas que nos envergonham, mas, que, principalmente, machucam outras pessoas. Tudo isso gera aflição em nossa vida. Tudo isso nos incomoda. Mas, Pai querido, nós não queremos isso. Nós queremos paz. Nós queremos orientação para nossas vidas. É por isso que pedimos por renovação, por transformação de nossos corações. Queremos pedir que tu abras a porta, aclare-nos com a luz do teu Santo Espírito pois nós queremos entregar nossa vida a ti. Isso pedimos, cantando o hino 40 do LCI:
1. Deus, dá-me um puro coração! / impede entrada à transgressão!
Detém-na, que não possa entrar / e no meu coração morar.
2. Eu abro a porta, Cristo, a ti, / ó entra e fica sempre aqui,
e expulsa deste templo teu, / Senhor, todo o pecado meu.
3. Aclare-me com sua luz / o teu Espírito, Jesus;
Que venha na alma penetrar, / com sua graça me guiar.
4. Deus, agracia o coração/com santidade e retidão;
Sabedoria, fé, vigor / concede-me por teu amor!
1. Teu nome eu quero propagar, / em teu caminho sempre andar.
Que eu compreenda o teu amor / e entregue a vida a ti, Senhor!

ANÚNCIO DO PERDÃO
Se o desejo do nosso coração for assim como cantamos, então é para nós o perdão que vem pela palavra do Senhor em Colossenses: “Pois ele nos resgatou do domínio das trevas e nos transportou para o Reino do seu Filho amado, em quem temos a redenção, a saber, o perdão dos pecados”. (Colossenses: 1.13-14).

KYRIE
E da mesma maneira como Deus tem misericórdia de nós, queremos entregar a ele o sofrimento do mundo cantando hino 56 do LCI:
Pelas dores deste mundo, ó Senhor, imploramos piedade!
A um só tempo geme a criação!
Teus ouvidos se inclinem ao clamor desta gente oprimida.
Apressa-te com tua salvação!
A tua paz bendita, irmanada com a justiça.
Abrace o mundo inteiro, tem compaixão!
O teu poder sustente o testemunho do teu povo. Teu Reino venha a nós!
Kyrie eleison!

GESTO DA PAZ
Receber perdão de Deus é receber paz. Esta paz não queremos segurar para nós mesmos, mas passá-la adiante com um aperto de mão, um abraço ou como você desejar.

GLÓRIA IN EXCELSIS
Motivados pelo amor e pela bondade de Deus, vamos louvá-lo cantando juntos:
83 – LCI: Quero louvar-te sempre mais e mais

ORAÇÃO DO DIA
Senhor Deus, Pai amado, obrigado pelo teu convite em nos chamar a este culto. Nós te louvamos porque permites estudar a tua Palavra e, a partir dos teus ensinamentos podemos compreender o quanto precisamos de ti e quanto é bom andar na Tua presença. Queremos servir-te sempre mais e mais, por gratidão. Na certeza de que o Espírito Santo transforma nosso viver é que queremos ouvir-te falar. Abra a nossa mente e coração para acolher a tua palavra, a pregação, bem como colocá-la em prática. Conduz-nos na força do teu Espírito Santo. Em nome de Jesus que contigo e o Espírito Santo vive e reina de eternidade a eternidade. Amém!

LITURGIA DA PALAVRA

1ª Leitura Bíblica: Gênesis 45.3-11,15
Convido a cantarmos a 1ª estrofe do hino 150 do LCI ou n___________________
1. Buscai primeiro o reino de Deus e a sua justiça,
e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Aleluia, aleluia.
Aleluia, aleluia,
Aleluia, aleluia, aleluia.
2ª Leitura Bíblica: 1 Coríntios 15.35-38,42-50
Convido a cantarmos a 1ª estrofe do hino 150 do LCI Ou ___________________
2. Não só de pão o homem viverá, mas de toda palavra
Que procede da boca de Deus. Aleluia, aleluia
Aleluia, aleluia,
Aleluia, aleluia, aleluia.

PREGAÇÃO

Nesta pregação queremos falar sobre a ética cristã, ou seja, a conduta cristã, a conduta dos discípulos de Jesus. Todos nós, batizados e batizadas, somos discípulos de Jesus. Aqui pressupomos que a graça da salvação, o perdão que recebemos, as bênçãos que diariamente são derramadas sobre nós, as janelas de oportunidade que Deus abre para nós, nos comprometem para uma conduta diferenciada, uma vida de testemunho. Como deve ser esta vida? Jesus ensina em Lucas 6.26-38. Acompanhemos a leitura:
(Leitura de Lucas 6.26-38)
1. A conduta de uma pessoa cristã
O ensinamento deste texto bíblico é simples, porém não é fácil. Talvez nenhum outro mandamento de Jesus tenha causado tanta discussão e debate. Jesus lança aos seus discípulos um desafio radical: amem os seus inimigos. Jesus não somente diz que devemos amar nossos inimigos, como também ensina de maneira bem prática como fazer, a saber:
- faça o bem àquele que te odeia;
- fale bem daquele que fala mal de ti;
- ore por aquele que te maltrata;
- se te derem um tapa, vire o outro lado para ele bater também;
- se alguém tomar a tua capa, deixe que leve a túnica também;
- dê a qualquer um que te pedir alguma coisa;
- quando alguém tirar o que é seu, não peça de volta;
E aí, o que achou? Tudo muito simples, mas nada fácil de fazer, não é mesmo?

2. Como entender esta conduta cristã?
O que Jesus quer com este ensinamento? Por acaso ele quer que sejamos cordeiros na mão dos lobos deste mundo? Por acaso Jesus espera que eu seja tolerante com a violência? Será que é isso? Não é! Há duas formas diferentes de entender este texto.
A primeira delas é fazer uma diferenciação entre tolerância passiva e tolerância ativa (Karnal). A passiva seria aquela na qual eu aceito a violência que está sendo feita comigo sem reagir. Se Jesus pensasse nessa tolerância passiva em vez de dizer: “se te derem um tapa, vire o outro lado para ele bater também”, ele teria dito: “se te derem um tapa, deixa dar até ele te matar”; em vez de dizer “fale bem daquele que fala mal de ti”, ele teria dito: “se falarem mal de ti, deixa falar, falem mal, mas falem de mim”; em vez de Jesus dizer “ore por aquele que te maltrata”, ele teria dito: “deixe que te maltratem, você merece”. Na verdade, Jesus não falou isso, ele não falou de uma tolerância passiva. Jesus falou de uma tolerância ativa, ou seja, quando há uma intencionalidade de mudança e transformação na reação proposta. Isso é assim de tal maneira que poderíamos completar as frases de Jesus da seguinte maneira:
- “faça o bem àquele te odeia”, a fim de que ele se envergonhe e pare de te odiar;
- “fale bem daquele que fala mal de ti”, a fim de que ele não tenha motivo de falar mal de ti;
- “ore por aquele que te maltrata”, a fim de que ele possa ter o coração transformado;
- “se te derem um tapa, vire o outro lado para ele bater também”, a fim de que a pessoa não se ache superiora e dona de tua vida.
- “se alguém tomar a tua capa, deixe que leve a túnica também”, a fim de que seja percebida a injustiça feita;
- “dê a qualquer um que te pedir alguma coisa”, a fim de que perceba que todas as coisas vêm de Deus e ele dá por graça;
- “quando alguém tirar o que é seu, não peça de volta”, a fim de que percebam que Deus é o verdadeiro proprietário de tudo o que vemos e o que não vemos.
Ou seja, a intencionalidade das palavras de Jesus não é transformar as pessoas em simples cordeirinhos ou coitadinhos. Não! A intenção de Jesus é ajudar as vítimas a serem senhores e senhoras de suas vidas e sobre seus instintos naturais de retribuição de ódio e vingança. Jesus na cruz foi testemunho concreto ao dizer: “Pai, perdoa, eles não sabem o que fazem”.
Há ainda uma segunda forma de entender as palavras de Jesus neste texto: o que Jesus queria era romper com o círculo vicioso do mal. A seguinte historinha ajuda a esclarecer:
1- O dono de uma empresa gritou com o administrador, porque estava aborrecido naquele momento.
2- O administrador chegou em casa e gritou com sua esposa, acusando-a de gastar muito, ao vê-la com um vestido novo.
3- A esposa gritou com a empregada porque ela quebrou um prato.
4- A empregada deu um pontapé no cachorro porque ele a fez tropeçar.
5- O cachorro saiu correndo e mordeu uma senhora que passava pela alameda, porque ela estava em frente a porta da saída.
6- Essa senhora foi ao hospital para vacinar-se contra raiva e gritou com o médico, porque doeu quando ele aplicou a vacina.
7- O jovem médico chegou em casa e gritou com a sua mãe, porque a comida não era de seu agrado.
8- A mãe acariciou seus cabelos dizendo-lhe: - Filho querido, amanhã farei tua comida favorita. “Tu trabalhas muito, estás cansado e necessitas de uma boa noite de sono. Vou trocar as roupas de tua cama por outras bem limpas e perfumadas, para que descanses com tranquilidade. Amanhã te sentirás melhor”. Em seguida lhe abençoou e saiu do quarto, deixando-o sozinho com seus pensamentos...

Neste momento, interrompeu-se o círculo do ódio, porque chocou-se com a tolerância, o perdão, e o amor.
A postura desta mãe é uma boa atualização das palavras de Jesus para os nossos dias. Amar precisa ter um sentido que vai além da atração entre um homem e uma mulher. Amar precisa ir além do amor filial entre pais e filhos, ou amor fraternal entre irmãos ou amigos. Amar precisa ir além daquele amor que devolve aquilo que recebeu. Amar precisa ter o sentido de um amor incondicional e abnegado, desinteressado.
Esse amor é muito difícil de praticar, pois pressupõe que, independentemente do que a outra pessoa fizer ou deixar de fazer, se me insultar, maltratar ou ofender, nunca deixarei que o meu coração seja dominado por outro sentimento que a melhor e mais elevada boa vontade e misericórdia. Isso é o amor ágape ensinado por Jesus nesta passagem. Veja bem, eu disse que o “coração não seja dominado” por tais sentimentos. É óbvio que nosso coração humano pensa muitas vezes em vingança, em pagar o mal com um mal maior. Isso faz parte da nossa natureza humana, da imagem do que é terreno, como afirmou o apóstolo Paulo no texto lido de 1Corintios. O fato é que tais pensamentos não devem criar raízes em nosso coração. José, do qual lemos na passagem de Gênesis, retratou muito bem o que é esse amor ágape que rompe o círculo do mal e que não deixa os sentimentos de ódio e vingança dominarem o coração: depois de ter sido até mesmo vendido como escravo, depois de ter sofrido como sofreu, José ainda conseguiu perdoar seus irmãos e ver nessa história a mão benevolente e misericordiosa de Deus. Só pela graça de Deus!
3. Qual a razão para esta conduta cristã proposta por Jesus?
A razão para viver uma conduta cristã dessa forma, amando nossos inimigos do jeito propositivo que Jesus fez, é nos tornar mais parecidos com Deus o Pai, que é bom também para os ingratos e maus (v.35) e que tem misericórdia dos outros, assim como tem misericórdia de nós. (v.36). Ou seja, o amor de Deus abraça tanto aquele que chamamos de santo, quanto aquele que chamamos de pecador. Deus ama tanto aquela pessoa que adora o seu nome e segue em seus caminhos como também aquele que tem uma vida torta. Deus ama tanto aquele que lhe dá alegria, quanto aquele que entristece seu coração.
Portanto, a orientação da palavra de Deus para esta semana é a de que permitamos aparecer em nós não somente a imagem de nossa natureza humana pecadora, mas que permitamos aparecer também a nossa “imagem celestial” (1Coríntios 15.49), seguindo o ensinamento de Jesus. Um Jesus que ensinou a ir além do amor aos amigos. Um Jesus que ensinou um amor abnegado e desinteressado que ama até mesmo os seus inimigos. Isso não é uma questão de sentimento, mas de decisão. Não é uma questão de força própria, mas força que vem dos céus, de um “homem do céu”, Jesus. Esta é a nossa conduta cristã.
Pensemos nisso. Amém!

CONFISSÃO DE FÉ
Como expressão de nossa fé, recitemos de coração as palavras do Credo Apostólico:
Creio em Deus, Pai todo-poderoso, Criador do céu e da terra.
E em Jesus Cristo, seu Filho unigênito, nosso Senhor,
o qual foi concebido pelo Espírito Santo,
nasceu da virgem Maria,
padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos,
foi crucificado, morto e sepultado,
desceu ao mundo dos mortos,
ressuscitou no terceiro dia,
subiu ao céu, e está sentado à direita de Deus Pai, todo-poderoso,
de onde virá para julgar os vivos e os mortos.
Creio no Espírito Santo,
na santa Igreja cristã, a comunhão dos santos,
na remissão dos pecados,
na ressurreição do corpo e na vida eterna. Amém

AVISOS
Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Oferta último Culto: R$ _________ - destinada para ...
______________ _________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

HINO:
Durante o momento do recolhimento das ofertas nós queremos pedir e agradecer a Deus por suas bênçãos. Por isso cantemos:
564 - LCI– Abre nossos olhos para ver o irmão

ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Motivos de Oração:
1. Aniversariantes
2._______________________________________________________
3._______________________________________________________
4._______________________________________________________
5._______________________________________________________
6._______________________________________________________

Querido e amado Deus! Hoje fomos lembrados de nossa conduta cristã. Fomos lembrados a ter uma tolerância ativa, uma ação consequente que rompa o círculo vicioso do mal. Fomo chamados não apenas a cruzar os braços, mas promover a vida, orando por aqueles que nos perseguem, falando bem daqueles que falam mal de nós, abençoando os que nos amaldiçoam, virando a outra face, emprestando a quem pede. Romper a corrente do mal não é fácil. Por isso pedimos pela tua intercessão, pela tua força, pela tua ajuda. Sabemos que o máximo que podemos fazer neste mundo é colocar sinais do teu reino. Ainda que só possamos colocar estes sinais, sinais como estes queremos colocar. Ajuda-nos a viver dessa maneira. Afinal o que tu esperas não é o simples cumprimento de regras e leis, mas a transformação do coração, do nosso interior, que se traduz em ações de boa vontade para com todas as pessoas independentemente do que façam ou deixem de fazer. Mas também, Pai amado, diante de ti queremos ainda trazer nossos pedidos comunitários. Pedimos-te por tua igreja no mundo. Que tu nos guies a termos fé nas tuas promessas. Que insistamos a viver em comunidade e sair do nosso cantinho, do nosso conforto, que nos arrisquemos a dar o passo em direção ao próximo. Que sejamos “sal fora do saleiro”. Abençoa e conduze todas as pessoas que pregam a tua palavra, que a testemunham com fé e coragem promovendo mudança em suas próprias vidas e nas dos que os cercam. Pedimos-te também pelas autoridades que conduzem a nação, o estado, o município e as repartições públicas. Livra-as do mal e da corrupção. Ilumina-as na hora da tomada de decisões, para que trabalhem para o bem dos cidadãos, a justiça e a misericórdia. Pedimos-te, enfim, por nossa comunidade local e por todas as nossas famílias. Abençoa, guarda e protege do mal. Cria entre nós uma atmosfera de filhos e filhas, ovelhas tuas dispostas à caminhada conjunta em louvor e adoração ao teu nome. Por Jesus Cristo, teu Filho, nosso Senhor e Salvador, que te pedimos, orando conforme ele ensinou:

PAI NOSSO
Pai Nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome. Venha o teu reino. Seja feita a tua vontade assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dá hoje e perdoa-nos as nossas dívidas assim como nós perdoamos aos nossos devedores e não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal. Pois teu é o Reino, o poder e a glória, para sempre. Amém!


LITURGIA DE DESPEDIDA

BÊNÇÃO
Que Deus,
Toque nossos olhos para que possamos enxergar;
Toque nossos ouvidos, para que possamos ouvir;
Toque nossa boca, para que possamos levar adiante a sua mensagem;
Toque nossas mãos, para que possamos ofertar com disposição;
Toque nossa vida, para que o Espírito Santo possa nos envolver;
Toque nosso coração e nos permita sentir o seu amor.

ENVIO
Ide na paz do Senhor, na esperança de sua volta e na certeza de sua presença entre nós!

CANTO FINAL
300 - LCI – Deus vos guarde pelo seu poder
 


Autor(a): Pastor Elisandro Rheinheimer
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo do Natal
Natureza do Domingo: Epifania
Perfil do Domingo: 7º Domingo após Epifania
Testamento: Novo / Livro: Lucas / Capitulo: 6 / Versículo Inicial: 27 / Versículo Final: 38
Título da publicação: Caderno de Cultos - Sínodo Mato Grosso / Ano: 2019
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 50511
REDE DE RECURSOS
+
O Senhor guardará você. Ele está sempre ao seu lado para protegê-lo. Ele o guardará quando você for e quando voltar, agora e sempre.
Salmo 121.5 e 8
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br