Marcos 10.2-12 - 19º Domingo Após Pentecostes - 03/10/2021

Caderno de Cultos 2021 - Sínodo Mato Grosso

27/09/2021

03/10/2021 - 19º Domingo Após Pentecostes

Deus, eu falarei a respeito de ti aos meus irmãos e te louvarei na reunião do povo. Hebreus 2.12

Prédica: Marcos 10.2-12
Leituras bíblicas: Gênesis 2.18-24 * Salmo 8 * Hebreus 1.1-4; 2.5-12
Cor litúrgica: verde
Miss. Sérgio Rocha – Comunidade Chapadão do Céu- GO

LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA
Bom dia queridos irmãos e irmãs! Sejam todos bem vindos neste dia tão especial que o Senhor nos deu para buscarmos Ele de todo coração e ouvir a sua Palavra. Que bom que podemos deixar nossas tarefas para ser servido pelo Senhor por meio da sua palavra e celebrar culto a Ele, neste dia do Senhor

ACOLHIDA AO VISITANTES: Nos alegramos com a presença das pessoas que nos visitam, que todos se sintam bem e possam expressar a sua fé no Senhor Jesus conosco neste culto.
Canto de entrada
Nº 473 HPD1 Jesus em Tua presença.
Ou: Nº ____________________________________________________

SAUDAÇÃO
Nos reunimos em culto em Nome e na presença do Deus Pai criador e sustentador de tudo, Deus Filho nosso Senhor e Salvador e Deus Espirito Santo aquele que nos congrega em comunidade neste dia.

CANTO DE INVOCAÇÃO
421 – HPD I – Eu quero ser
Ou: Nº ____________________________________________________

CONFISSÃO DE PECADOS
Bondoso e amado Senhor! Somos gratos a ti por nós acolher como filhos e filhas amados e amadas. Mesmo não merecendo tamanha graça. O Senhor nos acolhe quando nós cometemos o delito de pecados e nós sabemos muito bem que nosso pecado nos separa da presença gloriosa do Senhor. Pedimos perdão pela nossa desobediência, quando não levamos a Tua Palavra Senhor a sério. Que o ato Redentor possa nos limpar e purificar dos nossos pecados que aqui confessamos ouça Senhor nosso Deus a nossa oração que por seu amor possamos receber o Perdão e misericórdia.

ANUNCIO DO PERDÃO
Deus o nosso Pai é a fonte esgotável de amor e misericórdia pois se confessarmos os nossos pecados Ele Jesus fiel e Justo para perdoar e nos purificar de todos os nossos pecados. Vinde a mim todos vocês que estão cansado e sobre carregado eu vos darei alivio (Mt 11.28).
Oração do dia.
O Senhor Deus todo poderoso, grande é seu amor e sua misericórdia. Obrigado Senhor Deus pela tua fidelidade e grande compaixão, obrigado porque entregaste teu amado Filho por nós. Acompanha a caminhada do teu povo para que estes não se esqueçam do teu agir em seu favor. Fortalece-nos com tua forte mão ajuda nós a ouvir a tua Palavra e as coloca-las em prática. Fortaleça no amor e nos oriente nos caminhos a seguir. Isso te pedimos em nome de Jesus Cristo, que contigo e com o Espírito Santo vive e reina de eternidade a eternidade. Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

LEITURAS BIBLICAS
Leituras bíblicas: Gênesis 2.18-24 * Salmo 8 * Hebreus 1.1-4; 2.5-12


1ª Leitura Bíblica: Gênesis 2.18-24
2ª Leitura Bíblica: * Salmo 8 Ou Hebreus 1.1-4; 2.5-12
CÂNTICO INTERMEDIÁRIO
N° 380 HPD – A tua Palavra

PRÉDICA: Marcos 10.2-12
CASAMENTO X DIVÓRCIO
Aqui em Marcos 10.1, o que é enfatizado não são as curas, mas o ensino de Jesus. A cura e o ensino caminham juntos em sua atividade. Os fariseus, como sempre de plantão, mais uma vez, estão maquinando contra Jesus, para apanhá-lo em alguma falha. Desta vez, eles trouxeram uma questão sobre o divórcio. Em vez de cair na armadilha deles, Jesus aproveita a oportunidade o para ensinar sobre o casamento e o divórcio.

I. UMA PERGUNTA TENDENCIOSA – (vs2)
Os fariseus já tinham uma opinião formada sobre a questão do divórcio. Eles não buscavam uma resposta, mas queria pegar Jesus no contra pé armavam uma cilada para Jesus. Diz Marcos: “E, aproximando-se alguns fariseus, o experimentaram, perguntando-lhe: É lícito ao marido repudiar sua mulher”? (10.2). Os fariseus não estavam focados nos princípios de Deus sobre o casamento, mas nas coisas insignificantes da concessão mosaica para o divórcio. O que os fariseus pretendiam com essa pergunta?
Em primeiro lugar, colocar Jesus contra Herodes. Foi nessa mesma região que João Batista foi preso e decapitado por denunciar o divórcio que estava fora dos preceito legais, e o casamento ilícito de Herodes com sua cunhada Herodias. Os fariseus incentiva Jesus a ter a mesma atitude de João, sendo assim poderia ter, mesmo destino de João. O que os fariseus queriam era que Jesus se tornasse intolerável em termos políticos e religiosos.
Em segundo lugar, colocar Jesus contra Moisés. Os fariseus queriam colocar à prova a ortodoxia (doutrina) de Jesus, para poderem acusá-lo de heresia. (4) Se Jesus dissesse que era lícito, ele afrouxaria o ensino de Moisés sobre o divórcio. Mateus registra essa mesma pergunta acrescentando um dado importante: “É lícito ao marido repudiar sua mulher por qualquer motivo”? (Mt 19.3). Moisés havia ensinado que se o homem vesse alguma coisa indecente na mulher, lavraria carta de divórcio e a despediria (Dt 24.1). Falta de castidade ou adultério.
Em terceiro lugar, colocar Jesus contra o povo. Se a resposta de Jesus fosse sim, eles acusariam Jesus de estar promovendo a separação da família e atentando contra os direitos da mulher. Se Jesus falasse não, eles culparia a Jesus de contrariar a concessão dada por Moisés e ainda o colocariam numa situação de grande perigo em relação ao inconstante rei Herodes.

JESUS UMA RESPOSTA DIRETA E CLARA. – (10.3-5)
Jesus não caiu na artimanha dos fariseus. Ele respondeu à pergunta deles! Fazendo outra pergunta, abrindo a porta para a verdadeira interpretação sobre a concessão de Moisés acerca do divórcio.
Três verdades são destacadas aqui:
O divórcio não foi instituído por Deus –
Deus instituiu o casamento, não o divórcio. O casamento demonstra vontade de Deus, não o divórcio. No princípio, quando Deus instituiu o casamento (Gn 1.27; 2.24), antes da queda humana, não existia nenhuma palavra sobre divórcio. Ele é fruto da desobediência. Ele fruto da dureza do coração (10.5). Enquanto o casamento é digno de honra entre todos (Hb 13.4), Deus odeia o divórcio (Ml 2.16).

Pela resposta dos fariseus (10.4), eles imaginavam que Jesus estivesse se referindo à orientação de Moisés sobre o divórcio em Deuteronômio 24.1-4; mas a resposta de Jesus revela que ele estava se referindo às palavras de Moisés em Gênesis sobre o estado ideal da criação e particularmente do casamento.
Portanto, vejam que Jesus perguntou o que Moisés “ordenou” e os fariseus responderam com o que Moisés “permitiu”. Moisés não ordenou o divórcio; ao contrário, ele reconheceu sua presença, o permitiu e deu instruções como ele deveria ser praticado. O que Moisés “ordenou” foi o que Deus ordenou sobre o casamento em Gênesis 1.27,28; 2.24.
2. O divórcio não é um mandamento dado por Deus –
Jesus como ilustre intérprete da Sagrada Escritura diz que Moisés não ordenou divorciar por qualquer motivo, ele permitiu por um único motivo, a dureza de coração (10.4,5; Mt 19.8). Mateus registra a pergunta dos fariseus assim: “Por que mandou, então, Moisés dar carta de divórcio e repudiar”? (Mt 19.7). Na verdade, Moisés nunca mandou. O divórcio nunca é um mandamento ou ordem, mas uma permissão e uma permissão guiada por balizas bem restrita, ou seja, a dureza da coração.
3. O divórcio não é compulsório.
O casamento foi instituído por Deus para a felicidade do ser humano, o divórcio não. O casamento é ordenança de Deus, o divórcio não. O casamento agrada a Deus, o divórcio não. Deus ama o casamento, mas odeia o divórcio. Deus permite o divórcio, mas jamais o ordena. Ele jamais foi o ideal de Deus para a família.
Os fariseus interpretavam capciosamente a lei de Moisés sobre o divórcio; eles a entendiam como um mandamento, enquanto Jesus considerou-a uma permissão, uma tolerância. Moisés não ordenou o divórcio, ele permitiu. Há uma absoluta diferença entre ordenança e permissão. Deus não é o autor do divórcio, o homem é responsável por ele. Devido a dureza de coração
O divórcio embora legítimo no caso de infidelidade conjugal (Mt 19.9) ou abandono irremediável (1Co 7.15), ele não é compulsório nem obrigatório. O divórcio só floresce no deserto inóspito da insensibilidade e da falta de perdão. Ele é uma conspiração contra os princípios de Deus.
O divórcio é consequência do pecado e não expressão da vontade de Deus. Deus odeia o divórcio (Ml 2.16). O perdão traz cura e a restauração do casamento é um caminho preferível ao divórcio. Enquanto os fariseus (mestre da lei) estavam vislumbrado no tema divórcio, Jesus estava focado no tema casamento. Se nós entendêssemos mais as bases bíblicas do casamento, teríamos menos divórcios.
Casamento é heterossexual
Deus criou o homem e a mulher, o macho e a fêmea (Gn 1.27). O relacionamento conjugal só é possível entre um homem e uma mulher, entre um macho e uma fêmea biológicos. O casamento é entre um homem e uma mulher. Um foi feito para o outro e é adequado ao outro física, emocional, psicológica e espiritualmente. Somente a relação heterossexual pode cumprir os propósitos de Deus para a família.
O casamento é monogâmico –
Diz a Sagrada Escritura: “Por isso, deixará o homem a seu pai e mãe [e unir-se-á a sua mulher]” (9.7). Não diz o texto que o homem deve unir-se às suas mulheres. Deus não criou mais de uma mulher para Adão nem mais de um homem para Eva. Tanto a poligenia como a poliandria estão em desacordo com os princípios de Deus para o casamento (Dt 28.54,56; Sl 128.3; Pv 5.15-21; Ml 2.14).
O casamento é uma aliança um pacto entre um homem e uma mulher e Deus é a testemunha dessa aliança (Ml 2.14). O adultério é a quebra da aliança conjugal (Pv 2.16,17). O divórcio é a quebra do nono mandamento da lei de Deus, ou seja, um falso testemunho, a quebra de um juramento feito na presença de Deus.
O casamento é monossomático
O propósito de Deus é que no casamento, o homem e a mulher se tornem uma só carne, numa intimidade tal que não pode ser separada. A união entre marido e mulher não é apenas emocional e espiritual, mas também e, sobretudo, física. O sexo que antes e fora do casamento é uma proibição divina (1 Ts 4.3-8), no casamento é uma ordenança (1 Co 7.5). (Hb 13.4). Deus nos criou sexuados.
O casamento é indissolúvel
Jesus termina o assunto com os fariseus, afirmando que o casamento não é apenas heterossexual, monogâmico e monossomático, mas também indissolúvel. O evangelista Marcos registra: “Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem” (10.9). O casamento deve ser para toda a vida. É uma união permanente. No plano de Deus o casamento é indissolúvel, não pode ser desfeito. O divórcio é uma afronta contra Deus e contra o cônjuge. O divórcio é atentado contra a família. Quem mais sofre com ele são os filhos. Os resultados amargos do divórcio perpassam gerações.
Não existem famílias fortes, sem casamentos bem alicerçado. Não existem igrejas sadias sem famílias fortes. Não existe sociedade bem-estruturada onde as famílias que a compõem estão se desintegrando.
Portanto, Nenhum sucesso compensa o fracasso do casamento. A família é o nosso bem maior invista na sua família tire tempo de qualidade com ela.
Não fomos chamados para imitar o mundo, mas para ser testemunho de Deus no mundo.
Que o Nosso Deus possa abençoar nossa família! Busque a Deus Ele tem benção para você e sua família. Amém.

CONFISSÃO DE FÉ
Como resposta a palavra que acabamos de ouvir e movidos pelo Deus de amor queremos agora confessar a nossa fé.
Creio em Deus, Pai todo-poderoso,
Criador do céu e da terra.
E em Jesus Cristo, seu Filho unigênito, nosso Senhor,
o qual foi concebido pelo Espírito Santo,
nasceu da virgem Maria,
padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos,
foi crucificado, morto e sepultado,
desceu ao mundo dos mortos,
ressuscitou no terceiro dia,
subiu ao céu, e está sentado à direita de Deus Pai, todo-poderoso,
de onde virá para julgar os vivos e os mortos.
Creio no Espírito Santo,
na santa Igreja cristã, a comunhão dos santos,
na remissão dos pecados,
na ressurreição do corpo e na vida eterna. Amém.

CANTO PÓS CONFISSÃO (proceder motivação e o recolhimento das ofertas)
Nº 229 – HPD1 – Os que confiam no Senhor

ORAÇÃO DE INTERCESSÃO

Motivos de Oração:
1. Aniversariantes
2._______________________________________________________
3._______________________________________________________
4._______________________________________________________

Amado Deus todo poderoso te agradecemos pelo culto que celebramos te damos graça pela sua manifestação. Somos gratos por tua palavra que é uma palavra viva e que tem falado a nossos corações. Senhor Deus que possamos aquietar-nos diante do Senhor Jesus para que possamos ouvir a tua voz e assim obedecer os teus mandamentos.
Não permita querido Deus que a inquietação possa nos impedir de termos um momento para ouvir a tua voz. Que sejamos lembrados constantemente do teu imenso amor e através Jesus de Cristo nos trouxe vida nova e salvação para que tenhamos vida abundante. Que tenhamos um coração grato pela benção que recebemos por meio da tua imensa e misericórdia graça.
Assim também Senhor ouve os nossos pedidos: e nos assista com sua forte mão. Deus obrigado por ser tão fiel para com seus filhos obrigado Senhor Jesus. E os demais pedidos que tenhamos colocamos na oração que teu Filho Jesus nos ensinou.
Pai nosso ...

LITURGIA DE DESPEDIDA

AVISOS
Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Oferta último Culto: R$ _________ - destinada para ...
______________ _________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

BÊNÇÃO
Que o Senhor esteja a tua frente para mostrar o caminho certo.
Que o Senhor esteja atrás de ti, para te livrar da falsidade das pessoas má.
Que o Senhor esteja ao teu lado para te abraçar enquanto estiveres triste.
Que o Senhor esteja abaixo de ti para te levantar quando caíres.
Que o Senhor esteja sobre ti para de abençoar. Assim abençoa o Deus todo poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém

ENVIO
uma semana abençoada vão na Paz do Nosso Deus e o sirva com alegria nesta nova semana.

CANTO FINAL
165 – HPD II – Há sinais de paz e de graça.


Autor(a): Missionário Sérgio Rocha
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Área: Confessionalidade / Nível: Confessionalidade - Prédicas e Meditações
Natureza do Domingo: Pentecostes
Perfil do Domingo: 19º Domingo após Pentecostes
Testamento: Novo / Livro: Marcos / Capitulo: 10 / Versículo Inicial: 2 / Versículo Final: 12
Título da publicação: Caderno de Cultos - Sínodo Mato Grosso / Ano: 2021
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 63507
REDE DE RECURSOS
+
Tenham entre vocês o mesmo modo de pensar que Cristo Jesus tinha.
Filipenses 2.5
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br