Marcos 16.12-18 - 2º Domingo da Páscoa - 12.04.2015

Caderno de Cultos 2015

12/04/2015

12/04/2015 – 2º Domingo de Páscoa
Mc 16.12-18; Sl 133; I Jo 1.1-2.2
P. Elisângela Borchardt Röwer – Cuiabá

LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA
Com grande poder os apóstolos continuavam a testemunhar a ressurreição do Senhor Jesus, e grandiosa graça estava sobre todos eles.( At 4.33).

Bom dia! Sejam bem-vindos a este culto! Sintam-se todos acolhidos na paz do Senhor! Sintam-se acolhidos pelo Senhor que ressuscitou para dar a cada um de nós a salvação – a vida! Deus teve misericórdia de nós e nos abençoou com a ressurreição de seu filho.

Neste culto, neste 2º domingo da Páscoa, também chamado de Domingo da Misericórdia, somos convidados pelos textos bíblicos previstos para este final de semana a refletir sobre a vida, a vida na luz e em comunhão que Jesus Cristo nos proporciona com a sua ressurreição. Infelizmente, por vezes, a dureza de nosso coração nos torna incrédulos, como os próprios discípulos de Jesus ao receberem o anúncio de sua ressurreição. Mas com a força do Espírito Santo, os discípulos creram, entenderam a sua missão e proclamaram a graça da salvação por onde andaram.

Tal qual os discípulos, nós também fazemos parte da missão de Deus. Somos agraciados com a maravilha da vida nova oferecida por Cristo com a sua ressurreição. Nesta alegria estamos aqui reunidos para louvá-lo, para pedir perdão e agradecer. E assim pedimos neste momento: Senhor, aquieta agora o nosso ser, para que ouçamos a tua boa-nova e saiamos daqui renovados para te servir e anunciar as tuas maravilhas a toda criatura. Amém!

Acolher os/as visitantes

CANTO DE ENTRADA
Nº 349 – HPD – Reunidos aqui

Ou: Nº ____________________________________________________

SAUDAÇÃO
Celebramos em nome de Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Em nome do Deus triuno que revelou o seu amor por nós na cruz, libertando-nos de todos os nossos pecados por graça através da morte e ressurreição de Jesus Cristo e nos mantém como cristãos unidos em sua fé e pela força do Espírito Santo nos conduz ao perdão entre irmãos e irmãs. Amém!

CANTOS DE INVOCAÇÃO
Nº 85 – HPD – Vem, Espírito Divino

Ou: Nº ____________________________________________________

CONFISSÃO DE PECADOS
Bondoso Deus, novamente estamos diante de ti para confessar que temos pecado contra ti em pensamentos, palavras e ações. Confessamos que nem sempre conseguimos viver sob a graça da tua ressurreição. Tantas vezes permanecemos nas trevas do pecado, da vida egoísta que destoa do salmista que diz com alegria: Como é bom e agradável quando os irmãos convivem em união. Falta união entre nós cristãos, falta união em família, falta amor fraterno em nosso coração. Perdoa-nos, Senhor!

Da mesma forma pedimos perdão pela nossa incredulidade. Perdoa-nos quando o nosso coração não deposita plena confiança em tua ressurreição e duvida, assim como os discípulos, do teu poder sobre a morte e as trevas. Perdoa-nos quando não andamos em tua luz, quando tua justiça não prevalece em nosso agir diário, mas somos levados pelas tentações.

Senhor, em outros momentos, chegamos ao ponto de pensar que estamos sem pecado. Perdoa-nos e ajude-nos a reconhecer nosso agir incorreto para andarmos no teu caminho da salvação, no caminho que a Páscoa nos trouxe.

Perdoa-nos! E tem piedade de nós, Senhor! Amém!

ANÚNCIO DO PERDÃO
Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça. (1Jo 1.9). Nessa certeza que Deus em sua fidelidade nos purifica e perdoa diariamente, anuncio-lhes o perdão dos pecados em nome de Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Amém!

KYRIE
Deus de misericórdia! O mundo é feroz! Sem a tua compaixão, sem o teu amor, as angústias que batem às portas de nossas casas tornar-se-iam insuportáveis, por isso clamamos, Senhor: Acolhe as nossas súplicas pelo nosso mundo! Desavenças, guerras, fome trazem dor a tantas pessoas. Injustiças e opressão comprometem as relações sociais. Os fortes não têm coração para os miseráveis. Falta união, compaixão entre as pessoas. As diferenças culturais e raciais, as diferenças entre ricos e pobres, têm trazido discórdia ao nosso convívio social. Por tudo isso, Senhor, clamamos: Tem piedade de nós!

Nº - Hinário – Pelas dores deste mundo

GLÓRIA IN EXCELSIS
E damos glória Senhor pela benção da tua salvação. Rendemos-te louvor porque no domingo da Páscoa deste-nos a certeza de que o teu amor prevalece sobre tudo e que tu és a certeza de nossa maior vitória. Glorificamos-te, cantando:

Nº 249 – HPD – Graças, Senhor eu rendo

ORAÇÃO DO DIA
Todo-poderoso, eterno Deus, nós te pedimos, sê com teu Espírito Santo entre nós. Desperta nossos corações para que recebamos tua palavra. Desperta nossas consciências para que ouçamos tua vontade. Renova em nós diariamente a fé em ti. Faze de nós discípulos dispostos a anunciar tua grandeza e levar a tua salvação ao mundo. Permite que o teu amor nos conduza àquelas pessoas que ainda não abriram o seu coração para a tua salvação. Amém!

LITURGIA DA PALAVRA

LEITURAS BÍBLICAS
1ª Leitura Bíblica: Sl 133

2ª Leitura Bíblica: I Jo 1.1-2.2

CÂNTICO INTERMEDIÁRIO
Nº 159 – HPD – Creia sempre

3ª Leitura Bíblica: Mc 16.12-18

PREGAÇÃO

Querida comunidade!

Misericórdia. Domingo da Misericórdia assim também é chamado o domingo de hoje – o 2º domingo da Páscoa. Misericórdia! É o grito de alguém que pede compaixão. É o grito de alguém que se encontra numa situação de desespero, de sofrimento.

Certamente era esse o grito dos discípulos ao se defrontarem com a morte na cruz de seu mestre. O Domingo da Misericórdia nos lembra de que Deus teve misericórdia, Deus compadeceu-se da desgraça, da miséria de seus discípulos e também de toda humanidade ao vencer a morte no domingo da Páscoa com a ressurreição.

Assim como nós, quando estamos no fundo do poço, quando uma morte nos abala, quando uma doença nos traz muita dor, quando um desentendimento nos desequilibra, quando uma frustração no trabalho, numa amizade nos deixa descrentes, assim estavam os discípulos, desanimados e incrédulos. Tão incrédulos que não acreditaram naqueles que já haviam visto o ressuscitado.

E Deus teve misericórdia! Jesus novamente aparece. Primeiro para os dois que estavam a caminho do campo e, depois, aos 11 discípulos quando estavam reunidos em casa ao redor da mesa numa refeição. Observem como são significativos esses dois momentos de aparição: ao estar a caminho e na mesa de refeição. Isso nos lembra de dois aspectos importantes da comunidade cristã: 1) Como Igreja, como cristãos também estamos a caminho. Seguimos o nosso caminho nesse mundo ao lado de Deus. Deus caminho conosco e o nosso caminhar não é individual é em comunhão com outros irmãos e irmãs, assim como os discípulos que não caminhavam sozinhos. E o outro aspecto: 2) A comunhão – o partir do pão. Jesus aparece aos discípulos enquanto repartiam os alimentos numa mesa de refeição. Nos dois momentos, Deus revela-se no coletivo. Ou poderíamos ainda dizer: Deus revela-se em comunidade.

E a primeira atitude de Jesus ao aparecer aos 11 me lembra de uma cena típica de nossa infância: Os pais saem, deixam as recomendações aos filhos, mas voltam de surpresa mais cedo e os filhos não haviam cumprido nenhuma das tarefas solicitadas. O que acontece? Aquela bronca! Jesus aparece aos discípulos e logo precisa dar aquela bronca, aquele puxão de orelhas. Diz o texto: Censurou-lhes a incredulidade e a dureza de coração, porque não acreditaram nos que tinham visto depois de ressurreto.

Penso que essa censura de Jesus dada a seus discípulos também alcança a cada um de nós. Jesus estivera tanto tempo com os discípulos, havia anunciado que deveria morrer e que ressuscitaria, já havia aparecido a alguns e eles ainda não acreditavam em sua ressurreição! Puxão de orelha neles! E nós, temos a sua Palavra, os relatos bíblicos, temos os Sacramentos, fomos batizados, caminhamos na Igreja, temos o agir de Deus em nossa vida e a incredulidade ainda nos alcança? Ficamos trancados em nossos lares sem acreditar e com medo do que pode nos acontecer lá fora?

Jesus chama a atenção dos discípulos e lhes repete a tarefa: Vão pelo mundo todo e preguem o Evangelho a todas as pessoas. Chega de moleza! O mundo precisa de vocês! Vão anunciar a boa nova a todas as criaturas do mundo. Todos precisam saber e conhecer a misericórdia de Deus. A misericórdia de Deus que te liberta da opressão do teu pecado. Jesus Cristo carregou esse peso por ti na cruz e te concedeu vida nova. Vai segue no caminho que ele te acompanhará e você não está sozinho: outras pessoas estão caminhando contigo. Deus cria comunhão entre as pessoas. A misericórdia de Deus ocorre no encontro entre as pessoas.

Aliás, a comunhão, a união entre os filhos de Deus é o que também encontramos no Salmo e no texto de 1ª João que ouvimos hoje. No Salmo ouvimos: Como é bom e agradável quando os irmãos convivem em união! Ali o Senhor concede a bênção da vida para sempre! E no texto de 1ª João: Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo o pecado.

Quer dizer, onde Deus alcança as pessoas também ocorre a comunhão, a convivência fraterna entre irmãos e irmãs na fé. Essa comunhão, esse amor nada mais é que a nossa vivência diária de nosso batismo. A pregação de Jesus tinha como objetivo levar as pessoas à fé. O anúncio da Palavra de Deus pelos discípulos igualmente almejava provocar a fé nas pessoas, conduzir à salvação, pois a fé vem pelo ouvir da Palavra de Deus.

Assim, os discípulos foram enviados ao mundo para anunciar as maravilhas do Senhor, a sua misericórdia, a sua salvação. E na sequência da vida da Igreja formada pela comunhão dos cristãos, das pessoas que creram na Palavra de Deus, a tarefa do anúncio chegou também a cada um de nós. Pois Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado. Portanto, a responsabilidade pelo anúncio da Palavra de Deus, pela salvação de todas as pessoas, também é tarefa de cada um de nós. E nos cabe a pergunta: Estou cumprindo essa missão deixada por Jesus Cristo para mim? Ou permaneço incrédulo trancado em casa?

Somos discípulas e discípulos de Jesus Cristo nesse mundo. Mas o que é ser um discípulo? Nas palavras do pastor Carlos Luiz Ulrich, ser discípulo e discípula de Jesus é deixar-se transformar. Assim como ocorre com o grão de pipoca ao ser transformado de um duro grão de milho na macia pipoca. É saber-se embalado pela fé na ressurreição, na vida transformada, na vida que vence a morte. É vencer todo dia a incredulidade, a dureza de coração... Quem experimentou a presença do Ressuscitado, quem vive diariamente seu Batismo, anuncia, em palavras e ações, essa experiência transformadora a todo o mundo. O Ressuscitado revela-se em nosso caminhar coletivo, comunitário, solidário... Na Palavra e nos sacramentos. É o que também vamos vivenciar, hoje, na celebração da Ceia.

Querida comunidade, que a misericórdia de Deus alcance o nosso coração duro, por vezes, insistentemente incrédulo, transforme-o em alegria, em fé na tua ressurreição, sedento por vida em comunhão, em paz e em amor com as pessoas que convivem conosco. Mas também que Deus não permita que o meu coração permaneça quieto, que ele tenha sede de levar, de anunciar a misericórdia de Deus a cada pessoa que encontrarmos pelo caminho de nossa vida para que cada vez mais pessoas possam crer, possam alcançar a salvação. E que assim Deus também permita que o nosso viver diário seja em harmonia com a sua Palavra, em harmonia com a sua misericórdia recebida em nosso Batismo. Amém!

HINO
Nº 413 – HPD – Senhor, se tu me chamas

CONFISSÃO DE FÉ
Como cristãos e cristãs sabedores que somos salvos por Deus através da fé em Jesus Cristo, morto na cruz, mas que venceu as trevas através de sua ressurreição, confessemos a nossa fé com as palavras do Credo Apostólico.

Creio em Deus Pai, ...

CANTO PÓS CONFISSÃO (proceder motivação e o recolhimento das ofertas)
Nº 423 - HPD – Ao orarmos, Senhor


ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Motivos de Oração:
1. Aniversariantes
2._______________________________________________________
3._______________________________________________________
4._______________________________________________________
5._______________________________________________________
6._______________________________________________________

Bondoso Deus! Da tua Palavra ouvimos como é agradável a vida em união. Mas infelizmente essa vida de ajuda mútua não está presente em todos os lugares de nossa sociedade. Pedimos ilumina mentes e corações no caminho da comunhão, no caminho da paz em nossas cidades.

Também ouvimos de tua Palavra a graça da tua misericórdia e a tarefa de anunciá-la a todas as pessoas. Senhor, fortalece a nossa fé, bem como faça de cada um de nós um discípulo teu para que possamos com amor e coragem cumprir o teu IDE a toda mundo para anunciar a tua Palavra.

Neste momento também queremos interceder pelos nossos governantes. Que aquelas pessoas escolhidas pelo voto nas últimas eleições possam ser dignas da confiança que receberam de cada eleitor. Que esses políticos possam permanecer comprometidos com a verdade, envolvidos na busca por melhorias em nossas cidades, estados e nação.

Assim também intercedemos por tua Igreja, intercedemos por nossa comunidade, intercedemos por cada pessoa envolvida em tua missão. Que o teu amor seja o nosso guia diário no relacionamento com nossos irmãos e irmãs. Que preço pago pelo nosso pecado na cruz não tenha sido em vão.

Senhor, também queremos interceder por (incluir os motivos de intercessão).

Senhor, tudo mais que está em nossos corações levamos diante de ti quando oramos...

PAI NOSSO
Pai nosso ...

LITURGIA DE DESPEDIDA

AVISOS
Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Oferta último Culto: R$ _________ - destinada para ...
______________ _________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

BÊNÇÃO
Nº 350 – HPD – (cantado ou lido)
O Senhor te abençoe e te guarde;
O Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti
E te conceda graça;
O Senhor volte para ti o seu rosto
E te dê a paz! Amém!

ENVIO
Ide na fé em Cristo e vivam a graça da salvação de Deus em suas vidas, testemunhando a toda criatura essa maravilha. Amém!

CANTO FINAL
Nº 400 – HPD – Bem-aventurados


Autor(a): Elisângela Borchardt Röwer
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo da Páscoa
Natureza do Domingo: Páscoa
Perfil do Domingo: 2º Domingo da Páscoa
Testamento: Novo / Livro: Marcos / Capitulo: 16 / Versículo Inicial: 12 / Versículo Final: 18
Título da publicação: Caderno de Cultos - Sínodo Mato Grosso / Ano: 2015
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 32391
REDE DE RECURSOS
+
A fé não pode aderir ou agarrar-se a qualquer coisa que tem valor nesta vida, mas rompe os seus limites e se agarra ao que se encontra acima e fora desta vida, ao próprio Deus.
Martim Lutero
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br