Martin Rinkart (1586-1649)

Obra e Biografia

29/06/2012

Martin Rinkart (1586-1649) HPD nº 242 - Dai graças ao Senhor

Nasceu: 24 de abril de 1586 em Eilenburg, Saxônia, (Alemanha) . Faleceu: 8 de dezembro de 1649, na mesma cidade. . Sepultado: na Stadtkirche em Eilenburg.

Martin Rinckart [Rinkart] era um desses clérigos provincianos a quem a Igreja tem muito a agradecer. O filho de um caldeireiro (Kupferschmied) pobre nasceu em 1586 em Leipzig, Saxônia, Alemanha. Depois de ter freqüentado a Escola de Latim na sua cidade natal, Martin Rinckart recebeu em 1601 uma bolsa de estudos como aluno e corista na Escola São Tomé em Leipzig. Sob a instrução do chantre de São Tomé, Seth Calvisius (1556-1615), recebeu sólida formação musical e humanística, a qual o capacitou para entrar na Universidade de Leipzig, onde ele se registrou no verão de 1602 como estudante de teologia. Depois de completar os estudos, ele ficou durante algum tempo em Leipzig.

Em março de 1610 ele se ofereceu como candidato para o cargo de diaconus (auxiliar de pastor) em Eilenburg, e foi apresentado ao Conselho de Cidade, mas o Superintendente o recusou, alegando que ele seria um bom músico e não tão bom pregador. Rinckart ocupou então, em junho de 1610, o cargo de professor de música no Ginásio de Eisleben, e ao mesmo tempo serviu como precentor e organista na Igreja São Nicolau. Depois de alguns meses, ele se tornou diaconus na Igreja de Sant'Anna na Vila Nova de Eisleben. E em 1613 ele assumiu o pastorado em Erdeborn e Lütjendorf, perto de Eisleben.

Com 31 anos de idade foi lhe oferecido o lugar de Arquidiácono (Pastor) na sua cidade natal de Eilenburg, na Saxônia. Ele foi para lá em 1618, quando a guerra dos 30 anos começou, e morreu em 8 de dezembro de 1649, logo após a paz (firmada em1648). E ao longo destes anos todos ele pastoreava o seu rebanho, e o ajudou com toda a dedicação, mesmo debaixo de todo tipo de angústias. Claro que ele teve que suportar o aquartelamento de soldados na sua casa, e saques freqüentes do seu pequeno estoque de grãos e outros bens de casa. Mas estes eram coisas pequenas.

Em 1637 Eilenburg experimentou a pestilência com severidade extraordinária; a cidade estava lotada com fugitivos dos distritos rurais onde os soldados suecos estiveram esparramando devastação, e neste ano 8.000 pessoas morreram da peste. Um número terrível de crianças escolares, e os clérigos das paróquias da vizinhança eram levados; e Rinckart teve que fazer o trabalho de três homens, e fez isto virilmente às camas dos doentes e agonizantes. Ele enterrou mais de 4.000 pessoas, mas ele pessoalmente permaneceu com perfeita saúde. A pestilência foi seguida por uma escassez tão extrema que poderiam ser vistas trinta ou quarenta pessoas lutando nas ruas para um gato morto ou corvo. Rinckart, apoiado pelo burgomestre e mais um outro cidadão, fez o que poderia ser feito para organizar ajuda, de forma que a porta de sua casa foi sitiada por uma multidão de miseráveis famintos pobres que acharam ali o único refúgio deles.

Além deste sofrimento vieram os suecos mais uma vez, e exigiram da cidade infeliz um tributo de 30.000 dólares. Rinckart aventurou-se a ir ao acampamento para falar com o general e pedir por clemência, e quando foi recusado, virou aos cidadãos que o seguiram e disse Vem, minhas crianças, nós podemos achar nenhuma audiência, nenhuma clemência com homens, mas vamos buscar refúgio com Deus . Ele caiu de joelhos e rezou com tal seriedade comovedora que o general sueco cedeu, e no fim abaixou a demanda dele para 2,000 florins. Tão grandes eram as próprias perdas de Rinckart e as despesas com obras de caridade, que ele teve dificuldade extrema para achar pão e roupas para seus próprios filhos; ele se viu forçado a hipotecar a sua renda futura durante vários anos.

A atuação de Rinckart é marcada inteiramente pela inclinação a história confessional. Ele é um representante excelente dos poetas cristãos da época do Confessionalismo. No Luteranismo ele viu a perfeição do plano de Deus. Para Rinckart, Martim Lutero era o vencedor heróico sobre o papa, Calvino e anticristos de qualquer tipo. Os anos que Rinckart vivia em Eisleben, a cidade onde Lutero nasceu e faleceu, sem dúvida, colaboraram a amar o Reformador. Rinckart prestou sua homenagem a este herói escrevendo um ciclo de sete peças teatrais sobre certas passagens da vida de Lutero e sobre a história da Reforma, para, com elas, fortalecer a fé dos seus contemporâneos.

A obra mais conhecida de Rinckart é o coral “Dai graças ao Senhor, louvai seu nome santo” (HPD nº 242), no original Nun danket alle Gott mit Herzen, Mund und Händen” (EG nº 245), baseado quase que literalmente no texto de Siraque 50,24-26, (um livro apócrifo do Antigo Testamento). Rinckart é autor da letra e também da melodia deste hino. O músico Johann Crüger fez em 1647 pequenas modificações da melodia. E Johann Sebastian Bach, no ano de 1730 em Leipzig, compôs uma Cantata com o título Nun danket alle Gott (BWV 192).

Fontes:

Rudolf Keller, em “Feste-Burg-Kalender” 1949. e
Lieselotte von Eltz-Hoffmann “Lob Gott getrost mit Singen”. Quell-Verlag, Stuttgart, 1989, pág. 48.
www.cyberhymnal.org/
www.bach-cantatas.com/Lib/Rinckart.htm


Autor(a): Leonhard Creutzberg
Âmbito: IECLB
Natureza do Texto: Música
Perfil do Texto: Autor Letra
ID: 15648
REDE DE RECURSOS
+
Ajuda-nos, Senhor, nosso Deus, porque em ti confiamos.
2Crônicas 14.11
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br