Mateus 21.1-11 - Domingo de Ramos - Domingo da Paixão - 05/04/2020

Caderno de Cultos 2020 - Sínodo Mato Grosso

12/02/2020

05/04/2020 - DOMINGO DE RAMOS- DOMINGO DA PAIXÃO
Pregação: Mt 21.1-11; Sl 118.1-2, 19-29; Is 50.4-9a; Fl 2.5-11
Autor – P. Dr. Teobaldo Witter – Cuiabá, MT


LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA
O convite de Deus: Jesus respondeu aos discípulos: É chegada a hora de ser glorificado o Filho do Homem. João 12.23.

Cumprimento todos e todas vocês, comunidade de Jesus, na graça e na misericórdia de Deus. Hoje é Domingo de Ramos. A semana tem significados importantes, pois, entramos na semana da paixão de Jesus Cristo. É o tempo da Igreja em que nos lembramos, na liturgia, de forma muito intensa, das dores do mundo, sendo que Jesus as assumiu para nos libertar delas. Queremos, aqui, ouvir o que Deus quer nos ensinar, como devemos reagir e interagir entre nós. Amados e consolados por Deus queremos viver na comunhão de fé, de esperança e de amor.

A comunidade acolhe os/as visitantes:...

Que bom é estarmos juntos e unidos na casa de Deus. Rendemos graças a Deus, porque ele é bom; e sua misericórdia dura para sempre (Sl. 118.1).


CANTO DE ENTRADA
Nº 421 – LCI – Hosana hei!

SAUDAÇÃO
Iniciamos em nome de Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Amém. Nosso socorro vem de Deus criador e libertador, fonte da vida e da misericórdia.

Abri-me as portas da justiça. E entrarei por elas e renderei graças a Deus. Esta é a porta da justiça do Senhor (Sl. 118.19-20).

CANTOS DE INVOCAÇÃO

Nº 416- LCI- A ti, hosana e glória.

CONFISSÃO DE PECADOS

Não morrerei; antes viverei e cantarei as obras do Senhor. O Senhor me castigou com severidade, mas não me entregou à morte (Sl 118.17-18). O salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna por intermédio de Cristo Jesus, nosso Senhor! (Rm 6.23). Somente o arrependimento e a confissão dos nossos pecados pode nos livrar desta morte, por intermédio de Cristo Jesus.

Confessemos nossos pecados:
Deus, reconhecemos que somos indiferentes e insensíveis. Assim, pecamos em palavras, pensamentos, ações ou omissões. Todos estes pecados pesam sobre nós, ofendem pessoas, machucam quem nos ama, provocam dores humanas, causando teu desgosto temporário ou eterno. No entanto, estamos diante de ti para confessarmos os pecados. Senhor, trata-nos com misericórdia. Lava-nos por inteiro, completos. Perdoa as nossas injustiças, nossa indiferença, nossa pequena fé e aumenta-nos a fé, melhora a nossa vida e nossos relacionamentos. Inclua-nos em teus cuidados de vida e salvação, por causa do sacrifício de Nosso Senhor Jesus Cristo. Suplicamos por misericórdia, Senhor.

ANÚNCIO DO PERDÃO

Salva-nos, Deus, nos te pedimos. Concede-nos graça e vida. [...] Na minha aflição, eu clamei ao Senhor. Ele me respondeu e me livrou da angústia (Sl 118.5, 25). Irmã, irmão, aqui na igreja, o seu clamor foi ouvido por Deus, e ele mandou dizer: Pois bem: Como você crê, assim será com você. Anuncio o perdão e a reconciliação: em nome de Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Deus mandou anunciar o seu perdão e a sua graça para você. Vai em paz. Amém.
KYRIE

Perdoados, humanizados e reconciliados por Deus, queremos, agora, lembrar e trazer diante do Senhor as dores do mundo. Pedimos a Deus pelas pessoas que vivem na escuridão, são escravizadas pelo medo, pela escuridão da ignorância, pelo poder que escraviza, por ameaças, pela fome, pelo desemprego, pelos diversos tipos de drogas, por seus problemas não resolvidos e pelas doenças, pelos seus remorsos e rancores. Pensamos, especialmente, nas mães e crianças que estão em situações de vulnerabilidade. Pelos casais e pelas famílias que vivem em confrontos, Deus, colocamo-nos à sua disposição para sermos apoio solidário das pessoas que são vítimas. Que o Senhor esteja com elas ali onde elas se encontram, quer seja em nossa família, comunidade, cidade, nosso município, estado, país e mundo. Dê-lhes, Senhor, a felicidade e vida digna.

GLÓRIA IN EXCELSIS
Bendito o que vem em nome do Senhor. O Senhor é Deus, ele é nossa luz; adornai a festa com ramos. até as portas do altar (Sl 118.26-27). Podemos e devemos nos alegrar com Deus. “Damos sempre graças a Deus, Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, quando oramos por vós, desde que ouvimos da vossa fé em Cristo Jesus e do amor que tendes para com todos os santos (Cl 1.3-4). “Melhor é buscar o refúgio no Senhor do que confiar nos humanos, do que confiar nos príncipes e nos reis” (Sl 118.8-9). Nos, certamente, estamos felizes, porque Deus escuta nossas orações, nossas súplicas e motivos de agradecimentos e louvor. Queremos reconhecer, agradecer, dar glória e louvor ao Senhor com as palavras de gratidão e alegria, cantando todos juntos:

N°70 - LCI: Glória
ORAÇÃO DO DIA
“Sim, a misericórdia de Deus é agora e para sempre” (Sl.118.2-3). Deus, suplicamos que tu sejas misericordioso conosco. Prepara nossa mente, nossos pensamentos, nosso coração, nossos sentimentos, para este momento de leituras e pregação da tua santa Palavra. Nós te agradecemos, porque o tu nos convidaste e conduziste até aqui, neste lugar, para culto, para nos perdoar e ensinar, preparando-nos para o encontro definitivo, pleno e eterno contigo e teu povo redimido. Pedimos que Deus envie para nós o seu Santo Espírito. Que ele esteja presente, pela ação do seu Espírito, no cotidiano de todas as pessoas que se encontram aqui no culto. Senhor, assiste-nos com tua bondade e criatividade, neste momento. Isso nos te pedimos em nome de Jesus Cristo que contigo e o Espírito Santo vive e governa agora e sempre. Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

N° 152 - LCI: Pela Palavra de Deus

LEITURAS BÍBLICAS

Isaías faz a narrativa da presteza e preparo que Deus faz. O “Senhor Deus me ensina o que devo dizer a fim de animar os que estão cansados”. Mas antes de dizer, Deus ensina a ouvir. “Todas as manhãs, ele faz com que eu tenha vontade de ouvir com atenção o que ele vai dizer. O Senhor Deus me deu entendimento” (v. 4-5). Sim, por amor, Deus fará brotar a justiça e a salvação como resplendor. “O Senhor Deus é quem me defende”, diz o servo. Ele é o defensor das pessoas que sofrem. Vamos ouvir o texto de Isaias:

1ª Leitura Bíblica: Is 50.4-9a

O apóstolo Paulo, no texto de Filipenses. Narra o hino cristológico em que canta a grandeza de Jesus Cristo exemplificada na sua fidelidade ao projeto de Deus Pai. Sua humildade vivida no encontro com o mundo. A sua desistência de seu direito, inclusive, de viver como um ser humano. A sua obediência que o levou à morte na cruz. Assumiu, voluntariamente, as dores da criação. Foi exaltado por Deus que lhe o nome sobre todo nome. Diante dele se dobre todo joelho, nas profundezas, na terra e no céu. E toda língua o confesse como Senhor Salvador para a glória de Deus Pai. Eis a leitura do Filipenses 2. 5.11:

2ª Leitura Bíblica: Fl 2.5-11


CÂNTICO INTERMEDIÁRIO

Nº 165- LCI – Estou pronto, Senhor.

PREGAÇÃO

Texto da Pregação: Mt 21.1-11

Oração: Deus, a tua Palavra é nossa vida e nossa salvação. Somos gratos por ela e pelos atos de Jesus pela reconciliação, perdão e salvação. Cuida de nossa atenção e criatividade, neste momento de culto e pregação. Amém,

Amada comunidade:

Domingo de Ramos é um dia que mobiliza e chama a atenção. Geralmente, as pessoas procuram por ramos de palmeiras verdes. O povo vai ao templo. Marca o início da Semana da Paixão de Jesus Cristo. E Jesus vem do bairro, da periferia, do interior. E entra na “cidade luz, Jerusalém, onde é aclamado e criticado, até ser crucificado.

1. Os nomes, os locais, ramos e gestos têm significados, Mateus 21.1-11 menciona alguns.

V. 1-3 – Betfagé pertencia aos limites territoriais de Jerusalém. Era uma espécie de bairro ou distrito e distava cerca de 1 km da cidade, que se preparava para a festa da Páscoa.
V. 5- “A filha de Sião” é Jerusalém e é para lá que o Jesus vai, acompanhado de muita gente. Mateus utiliza somente a designação humilde, omitindo os adjetivos justo e salvador, que são mencionados em Zacarias 9. No hebraico, humilde é o termo que tem o significado mais próximo de “pobre” e “aflito”. A paz está ligada à prática da justiça e à vida digna.

V. 6-7 – As vestes: Sobre os animais foram colocadas vestes, e Jesus sentou. A tradução de Almeida Revista e Atualizada explicita que Jesus sentou sobre as vestes.
V. 8 – As vestes e os ramos: O ato de espalhar vestes pelo caminho é realizado no Antigo Testamento por ocasião da aclamação de Jeú como rei (2 Rs 9.13). Não era um ritual para a entronização, mas um gesto de honraria a reis ou pessoas muito importantes. Também a ornamentação do caminho com ramos e flores era um costume conhecido. Decoração e gestos eram acompanhados de aclamações. Em alguns casos, altas personalidades eram recebidas fora dos muros e conduzidas com solenidade à cidade. Esse costume refere-se, na versão do Evangelho de João, aos peregrinos que saem para fora do muro da cidade para receber Jesus.

V. 9 – Hosana: O grupo que acompanha Jesus aclama-o com o Salmo 118.25s. O termo hosana expressava originalmente um pedido de socorro a Deus (queira ajudar; ajuda, por favor). Por ocasião das principais festas judaicas, os peregrinos que chegavam a Jerusalém eram ser saudados com esse Salmo.

V. 10-11 –Jesus é aclamado e é temido: quem é este? Mateus destaca que a entrada de Jesus em Jerusalém causou um impacto grandioso: toda a cidade se alvoroçou. Muita gritaria. Não é alvoroço de alegria, mas de dúvida e temor. O evangelista aponta para uma divisão: de um lado, um grupo que aclama Jesus; de outro, um grupo que se apavora com sua chegada. A pergunta da população – “quem é este?” – recebe uma resposta de reconhecimento: Jesus é o profeta de Nazaré. Quem saudou Jesus foram os peregrinos que entraram com ele em Jerusalém. O povo da cidade não o conhecia ou não reconheciam Jesus como profeta/messias.

2. Jesus entra na vida das pessoas pelos pés, não pela cabeça.

O costume de se fazer procissões, caminhadas em conjunto, no Domingo de Ramos, é bem antiga. No século quarto, a comunidade cristã se reunia no Monte das Oliveiras e ali passava a tarde cantando. Antes do anoitecer, às 17h, lia-se os textos da entrada de Jesus em Jerusalém. Depois da leitura, iniciava a caminhada até a cidade. O bispo da comunidade ia montado em um jumento. A comunidade seguia a pé, segurando e abanando ramos. Essa tradição se espalhou para o Ocidente, tornando-se muito popular. As caminhadas tem um significado de que a comunidade assume um papel de fé ativo. A crítica luterana à bênção dos ramos e à sua utilização como amuleto não deveria servir de empecilho para que a comunidade realize algum ato simbólico para lembrar o evento do Domingo de Ramos.

A figura do jumentinho ganhou bastante espaço na religiosidade popular, principalmente para referir-se ao tema “servir”. Assim como o jumentinho é um animal de carga e sua função é servir, Jesus também colocou sua vida a serviço. “Jesus, sou apenas teu jumentinho. Que todas as atenções estejam voltadas a ti, e não a mim”.

A compreensão de um Jesus humilde está bem arraigada. Jesus rei humilde. Aparece como atributo do rei e é acentuada na leitura de Filipenses. A grande problemática está na compreensão do termo “humilde”. Em português, os dicionários dão várias definições. Uma pessoa humilde pode ser definida como modesta, passiva, servil, submissa, carente, pobre, simples, comedida, despretensiosa, medíocre, insignificante, que tem consciência de suas limitações. Que associações nós fazemos com essa palavra? O que é uma pessoa humilde para você?
Em que sentido Jesus é apresentado como “humilde”? Seria assim: O presidente entra na cidade com piloto particular pilotando uma Mercedes. Jesus vem dirigindo um fusca. Tem muita diferença. Jesus, ao cavalgar um jumento, e não um cavalo, sinaliza o oposto da imponência, presunção e glória, normalmente associadas aos reis e poderes. A escolha foi intencional para indicar que Deus se revela nas coisas consideradas menos gloriosas. Há uma inversão de valores, que vai se manifestando desde as condições do nascimento até a morte. Numa pregação sobre esse texto, Lutero diz que quem crê em Cristo Jesus reconhece riqueza sob a pobreza, honra sob o opróbrio, alegria sob a amargura, vida sob a morte. Também podemos lembrar a afirmação do apóstolo Paulo de que Deus escolhe as coisas loucas e fracas para envergonhar os sábios e os fortes (1 Co 1.27). Reconhecer as coisas pelos seus opostos e também a ação de Deus nesses opostos pode ser um bom exercício para nos levar no caminho de Jesus, em movimento fiel de pessoa cristã. (Partes do texto tem origem no PL 38- Emílio Voigt)

No Domingo de Ramos, Jesus entra nos lugares mais importantes para o povo da época. Jerusalém é o centro do mundo, é a luz das nações para o povo judeu. Lá está o Templo, o Sinédrio, etc. É o centro do poder religioso, político, financeiro. Jesus entra nesta cidade como um rei. Mas entra de forma diferente, simples e humilde. Entra como rei, mas como rei no avesso. Entra na vida das pessoas pelos pés, não pela cabeça. Está acompanhado pelo povo peregrino. E provoca muitas reações: de apoio e de crítica. Os que o apoiam celebram; os que não o apoiam, são temerosos e duvidam. E a contradição se aprofunda. Durante a semana, Jesus é preso, julgado, condenado e crucificado. Humanamente, esta foi sua condição. Somente na outra semana, no outro domingo, Jesus foi ressuscitado por Deus. E ele nos convoca para somarmos com Ele: por graça e fé, sermos seus instrumentos de testemunho de vida e fé. Que Deus seja glorificado, louvado e amado. Amém.


HINO
N° 422 - LCI – Lava-pés

CONFISSÃO DE FÉ
Deus espera de nós: coragem e não medo. Amor e não ódio. Vida e não morte. Justiça e não injustiça. Compromisso e não indiferença. Fé e não crendice. Salvação e não perdição. Depois de ouvirmos a Palavra do Senhor, com base na mensagem de Deus expressa no Domingo de Ramos, queremos assumir nosso compromisso com Deus e sua Palavra, confessando bem alto a nossa fé. Confessemos, pois, em conjunto e junto com toda a cristandade na terra, a nossa fé com as palavras do Credo Apostólico.

Creio em Deus Pai, ...

AVISOS DA COMUNIDADE

Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Oferta último Culto: R$ _________ - destinada para ...
Destinação da oferta no culto de hoje:____________________________________________________
Outros avisos: ______________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________

CANTO: proceder com motivação e o recolhimento das ofertas

Nº 84 - LCI – Te agradeço (recolher as ofertas)
ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Motivos de Oração:
1. Aniversariantes
2._______________________________________________________
3._______________________________________________________
4._______________________________________________________
5._______________________________________________________
6._______________________________________________________


Oremos:
Querido Deus, em gratidão estamos aqui. Gratidão pelo culto, pela comunidade, pelo perdão, pela comunhão. Gratidão pelo convívio, por nossa família, pelos lixeiros que recolhem o lixo que nos produzimos, pelas pessoas que fazem a nossa comida, pelas pessoas construíram nossas casas consertam as coisas quebradas, pelas pessoas que trabalham para levar energia e água às nossas casas, pelas pessoas que trabalham para nosso alimento, nossa saúde, nosso aprendizado, nossa segurança, por nossa cidade, nosso campo, o povo, pela comida, bebida e amizade. Temos muitas coisas para agradecer. Sem elas, nossa vida não seria possível.
As famílias e os grupos de comunidade oram todos os dias. Deus, em tuas mãos nós confiamos as intercessões de tua comunidade. Pedimos em favor das pessoas necessitadas, por aquelas que estão sendo enganadas com a propaganda e de desperdício. Queremos, ainda, de forma especial interceder pelos casais em conflito, pelos pais e filhos que têm dificuldades em se entenderem, pelos conflitos entre irmãos e irmãs, pelos conflitos comunitários, pelos conflitos na rua, no trabalho e em qualquer outra parte em que pessoas se agridem, se traem, se machucam, se magoam. Ajuda-nos para que possamos sentar com elas, pegar na sua mão, ajudá-las a levantar os olhos, perguntar em que podemos ser solidários. Esteja presente, pela ação do teu Espírito, no cotidiano de todas as pessoas que exercem autoridade. Nesta semana somos lembrados da Paixão de Jesus pela vida. Que esse tempo oportuno da Paixão nos impulsione a sermos pessoas misericordiosas e solidarias. Anima, todas as manhãs, a nossa comunhão comunitária e a comunhão no amor e nas dores das pessoas, assim como Jesus Cristo nos foi e é exemplo. Dá criatividade e ânimo ao presbitério para trabalhar e enfrentar as questões de fé e vida de fé de tua igreja, em suas atividades. Capacita com teu Espírito Santo os ministros e as ministras da tua igreja. Dá coração aberto e sensibilidade para percebermos a importância da reconciliação contigo e com as pessoas e todo ambiente ao nosso redor. Tudo mais que o mundo e nós necessitamos para concretizar a reconciliação, vida e salvação, e tu bem sabes do que necessitamos, incluímos na oração que Jesus Cristo nos ensinou: Pai nosso....

PAI NOSSO
Pai nosso ...

LITURGIA DE DESPEDIDA

BÊNÇÃO
Que o Senhor os abençoe e guarde. Que ele seja a sua luz. Que o Senhor os guarde pelos caminhos. Que o Senhor os proteja de todos os danos e perigos. Em nome de Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

ENVIO
Disse Deus para Moisés: vai e reúna o povo [...] e o trarás perante toda a congregação, para que assista ali contigo (Nm 11.16ac).
Vai e reúna o povo. Deus missionário diz estas palavras para nós, hoje. Vocês são os membros convidados por Deus para serem estes mensageiros da boa notícia. Agora, caminhamos, na graça do Espírito Santo de Deus, cientes do nosso compromisso cristão de ensinar e viver na perspectiva do Reino de Deus que, em Jesus Cristo, já chegou. Enquanto caminhamos, vamos dizer ao mundo todo que o Senhor Deus é bom, justo e, através do perdão, faz acontecer vida e salvação. Amém.

CANTO FINAL

Nº 176- LCI – Dizei aos cativos: “Saí!”
 


Autor(a): Pastor Teobaldo Witter
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo da Páscoa
Natureza do Domingo: Quaresma

Testamento: Novo / Livro: Mateus / Capitulo: 21 / Versículo Inicial: 1 / Versículo Final: 11
Título da publicação: Caderno de Cultos - Sínodo Mato Grosso / Ano: 2020
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 55084
REDE DE RECURSOS
+
O Senhor é o Deus verdadeiro. Ele é o Deus vivo, o Rei eterno.
Jeremias 10.10
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br