Mateus 22.34-46 - 21º Domingo Após Pentecostes - 25/10/2020

Caderno de Cultos 2020 - Sínodo Mato Grosso

25/10/2020

25/10/2020 – 21º Domingo após Pentecostes
Pregação: Mt 22.34-46; Leituras: Lv19.1-2,15-18; Sl 1; 1 Ts 2.1-8.
P. Ricardo Brosowski – Paróquia do Parecis - MT


ACOLHIDA
Bom dia/Boa noite!
O lema para a semana que se inicia hoje vem de 2 Timóteo 4.18, e diz: “O Senhor me livrará de todo o mal e me levará em segurança para o seu reino celestial. A ele seja dada a glória para todo o sempre! Amém”.
Acolher os/as visitantes

CANTO DE ENTRADA
Nº 20 -LCI – Jesus em tua presença
Ou: Nº ____________________________________________________

LITURGIA DE ABERTURA
SAUDAÇÃO
Que a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus nosso Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam e permaneçam com todos nós. Amém.

CANTOS DE INVOCAÇÃO
Nº 3 - LCI – Deus Trino
Ou: Nº ____________________________________________________

CONFISSÃO DE PECADOS
Confessemos os nossos pecados:
Senhor, santo Deus e Pai. Confessamos diante de ti que somos falhos, pecadores e insuficientes. Confessamos que o velho homem, carnal e pecador ainda está em nossas mentes e corações. Somos pecadores, erramos em nossas palavras e ações, erramos em nossos pensamentos. Acabamos nos desviando de teus ensinamentos, desrespeitando teus mandamentos. Te pedimos que não nos trate segundo nossos pecados, mas conforme a tua misericórdia e bondade. Olha sempre para nós, Senhor, e tenha compaixão de todo o teu povo. Auxilia-nos por causa do teu amor, e perdoa-nos por causa de Cristo Jesus. Nós, teu povo, a uma só voz clamamos: Tem piedade de nós, Senhor.
Canto - Nº 32 - LCI – Tem piedade de nós

ANÚNCIO DO PERDÃO
Assim diz o Senhor: “Antes de mim deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá. Eu, eu sou o Senhor, e fora de mim não existe salvador. Não temas, porque Eu sou o teu Deus” (Is 43.10ss). Ouvindo essas palavras sabemos que Deus está perto de nós, e nos oferece seu perdão. Somente nele encontramos salvação.

KYRIE
Na obra de Cristo na cruz encontramos perdão e salvação. Mesmo assim as marcas do pecado ainda permanecem em nosso mundo: perseguições, lutas por poder disfarçadas de amor ao próximo, fome, desemprego, marginalização do diferente; nossos irmãos cristãos em muitos lugares ainda morrem apenas por manifestarem e viverem sua fé. Pelas marcas do pecado expressas nessas situações queremos pedir que Deus tenha compaixão. Cantamos: Compadece-te de teu povo:
Canto - Nº 61 - LCI – Compadece-te de teu povo.

 

GLÓRIA IN EXCELSIS
Mesmo que viremos nossas costas a Deus, ele nunca se afasta de nós. Temos acesso ao seu amor e a certeza da sua companhia. Por isso podemos cantar juntos: Glória.
Canto - Nº 65 - LCI – Glória in excelsis

ORAÇÃO DO DIA
Senhor, sabemos que teu amor por nós é imenso. Esse teu amor teve como ponto alto o envio de teu Filho Jesus Cristo ao mundo. Ele morreu na cruz para que pudéssemos ter vida. Com isso ele nos ensinou que a nossa grande tarefa é amar. Mas amar é difícil. Nosso amor próprio em muitas vezes é tão grande que nos esquecemos de amar a ti e ao nosso próximo. Ensina-nos a amar, e que esse amor seja visível em nossas atitudes. Oramos em nome de Jesus Cristo, que morreu, ressuscitou, subiu ao céu e contigo e com o Espírito Santo vive e reina desde sempre e para sempre. Amém.

LITURGIA DA PALAVRA
LEITURAS BÍBLICAS
1ª Leitura Bíblica: Salmo 1

2ª Leitura Bíblica: Levítico 19.1-2,15-18

3ª Leitura Bíblica: 1 Tessalonicenses 2.1-8

CÂNTICO INTERMEDIÁRIO
Nº 156 - LCI – 1 Coríntios 13

PREGAÇÃO
Oração: Amado Senhor, pedimos que tua santa palavra venha nos animar. Que ela nos desafie a colocar em prática o que esperas de nós. Em nome de Jesus Cristo, que é a Palavra viva. Amém.
Diálogos! Em sua caminhada Jesus teve muitos diálogos. Com os seus discípulos, com pessoas que necessitavam de auxílio, com as autoridades civis e eclesiásticas de seu tempo. Falou com multidões, e, também falou de forma especial com algumas pessoas.
Um desses diálogos encontramos em Mateus 22.34-46 – vamos ler esse texto (proceder leitura).
Nessa passagem que acabamos de ler, temos um diálogo de Jesus Cristo com os Fariseus. O texto não nos apresenta uma conversa entre amigos, uma conversa entre pessoas que dividem o mesmo ponto de vista. Pelo contrário, mostra uma conversa complicada, cheia de constrangimentos, controvérsias. Devemos ter em mente que os fariseus queriam fazer com que Jesus Cristo caísse em alguma contradição, ou então que ferisse gravemente a lei judaica (ou até mesmo a lei romana), pois se isso ocorresse, conseguiriam fazer com que Jesus fosse condenado e não mais contraditaria a hipocrisia dos fariseus.
O texto bíblico pode ser divido em duas grandes partes, cheias de perguntas e tensões. Na primeira parte os fariseus perguntam e na segunda quem pergunta é Jesus. A pergunta dos fariseus, como era de se esperar, se dá em torno de qual é a lei mais importante. Já a pergunta que Jesus faz refere-se a quem é o filho de Davi.
A pergunta dos fariseus: Qual é o maior mandamento?
A resposta que os fariseus queriam ouvir é: santifique o dia de descanso... Jesus Cristo e seus discípulos, sob a ótica farisaica, haviam desrespeitado várias vezes esse mandamento – que era, para os fariseus o mais importante. Jesus havia feito milagres no dia de sábado, colhido espigas para saciar a fome, entre outros.
A resposta de Jesus Cristo foge daquilo que os fariseus queriam: o maior mandamento é amar! Amar a Deus acima de tudo e amar ao outro como amamos a nós mesmos. Isso pode parecer muito fácil. Mas não é. É tão complexo, que nós não conseguimos fazê-lo!

Muitas são as falas sobre o amor que ouvimos hoje em dia. Inclusive com acusações do gênero: nós vivemos o amor e eles só sabem espalhar ódio. O amor se tornou discurso frequente em todos os lugares, nas escolas, na televisão, nos hospitais, até mesmo no meio político partidário. O que chega a ser engraçado, tendo em vista que quase sempre se fala apenas em amor próprio, amor a própria imagem, e quase nunca se lembra verdadeiramente do amor ao outro.
O amor pode ser demonstrado no afeto que temos nos relacionamentos que temos com tudo que nos cerca: com as pessoas – filhos, pais, cônjuges, amigos, estranhos que passam nosso caminho; conosco mesmo e com nosso bem-estar; com nossos pertences e posses; com objetos ideais – como a justiça, a glória; a algum coletivo – como a escola, a comunidade, a pátria; entre outros.
A resposta de Jesus resume três entes a serem amados: “Deus” (acima de tudo), e o “outro” como a “nós” mesmos.
- Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento:
Quem de nós não precisou memorizar a explicação do primeiro mandamento no ensino confirmatório: “Devemos temer e amar a Deus e confiram nele acima de tudo”. Martim Lutero em seu Catecismo maior escreve que o “teu deus é, na verdade, aquilo em que você confia, a que você entrega seu coração”.
As palavras desse primeiro mandamento do amor denotam a nossa incapacidade. Jesus exprime uma enorme exigência, que, somente uma pessoa não verdadeira consegue dizer que cumpre. Nós sabemos que devemos amar a Deus acima de tudo, mas o que se mostra é que temos uma capacidade enorme de colocar muitas outras coisas na frente de Deus.
Lutero, no mesmo Catecismo Maior, mostra como isso é difícil. Ele escreve: “-observe o que fazíamos antes... se alguém estava com dor de dente, jejuava em honra a Santa Apolônia; quando temia incêndio, apelava para São Lourenço; se o problema era a peste, fazia votos para São Sebastião ou São Roque, e por aí afora”. Deste modo podemos perceber o quanto é fácil colocarmos outras coisas na frente de Deus.
Hoje em dia não é diferente. Pergunta a alguma mãe qual é a coisa mais importante para ela? Os filhos. Pergunte a alguém que participou de reality show: o que vem primeiro? A aparência. Muitos colocam os carros, a saúde, o trabalho, o prazer, o dinheiro e as posses na maioria das vezes também ocupam um lugar de amor maior do que de Deus em nossas vidas.
Amar a Deus acima de tudo, é entregar tudo o que temos nas suas mãos na certeza de que ele faz o que é melhor. Ele nos dá corpo, vida, alimento, saúde e proteção. Amar a Deus nada mais é do que o exercício de deixar com que Deus seja Deus. Quando conseguimos viver esse mandamento, todos os outros também serão vividos.
Assim nos lembra o salmo 1: “Feliz o homem que não anda segundo o conselho dos mãos, que não fica no caminho dos pecadores e que não senta na roda com escarnecedores. Antes tem o seu prazer na lei do Senhor e nela pensa de dia e de noite.
- Amarás o teu próximo como a ti mesmo:
Amar aos que pensam e agem da mesma forma como nós agimos é fácil. Difícil é amar aquele que nos confronta. Amar as criancinhas da África (que devem ser amadas) é fácil; complexo é amar aqueles que convivem conosco, aqueles que conhecem as nossas fragilidades e dos quais as fragilidades nos são conhecidas – e por vezes nos causa problemas.
Amar, em muitos casos, está ligado a ideia de um sentimento que nos envolve, e que nos impele a sentirmos compaixão e misericórdia dos outros. Mas amar é muito mais do que isso. Amar é verbo, e todo verbo implica n’alguma ação prática e concreta em favor do ser amado. Assim vemos a hipocrisia humana.
Amamos aquilo e aqueles que nos engrandecem, e temos a tendência de odiar – veladamente, aquilo ou aqueles que não nos favorecem de certa forma. Nesses tempos de política partidária conturbada percebemos bem isso. Todos dizem estar de posse do amor verdadeiro, acolhedor e livre de preconceitos. Porém, o que podemos perceber é que, quando saímos dos discursos bonitos e caminhamos em direção à prática, o que se fala não se sustenta.

Devemos amar o outro incondicionalmente, mas jamais impedir que o outro viva. Amar significa estar interessado no cuidado do outro, apesar de ele ser diferente. Isso é extremamente difícil. Amar significa respeitar as decisões do outro, mas admoesta-lo quando faz algo de errado. Amar significa agir para que a vida do outro seja possível, e que essa vida não seja apenas destinada a sobrevivência, contudo vida plena.
A comparação de Jesus Cristo é muito interessante devemos amar o outro como amamos a nós mesmos. Em tempos de pessoas extremamente egoístas e ególatras, isso é bem sugestivo. Devemos olhar para outro e usar todas as nossas forças e recursos para que ele possa saber-se amado da mesma forma como nós nos amamos. Saber-se cuidado da mesma forma como nós nos cuidamos. Saber-se querido da mesma forma como queremos ser queridos.
A pergunta de Jesus: Quem é o filho de Davi?
Essa é uma pergunta onde Jesus faz os fariseus refletirem sobre as suas tradições. No fundo, a pergunta feita por Jesus Cristo tem como base a pergunta sobre a pessoa do messias; sobre a pessoa que viria para salvar o mundo e demonstrar aquilo que realmente é amor verdadeiro.
Justamente nisso se encerra a discussão. O Senhor de Davi, o Messias já estava presente. Mas os fariseus não o perceberam.
Que possamos amar a Deus acima de todas as coisas; amar o outro como amamos a nós mesmos. E que possamos saber que o Messias, que nos amou, morreu em nosso lugar, para demonstrar o tamanho do amor de Deus por nós.
Amém.

HINO
Nº 588 - LCI – Quem quer cantar do amor

CONFISSÃO DE FÉ
O amor é sempre um bom testemunho. Como comunidade de fé, amada por Deus e chamada a amar a Deus acima de todas as coisas e o outro como se fosse a gente, queremos confessar a nossa fé. Usamos as palavras do credo apostólico.

Creio em Deus Pai, ...

CANTO PÓS CONFISSÃO
Nº 601 - LCI – Alto Preço

AVISOS
Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Destino da oferta: _________________________________________
Oferta último Culto: R$________ destinada ____________________ ________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
_______________________________________________________

ANIVERSARIANTES
________________________________________________________
________________________________________________________

ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Amado Senhor, tu estás conosco sempre. Nos dás a vida e conserva-nos por causa do teu amor. Nós te louvamos por causa de teu infinito amor e compaixão. Te agradecemos, que em amor, podemos ser e viver comunidade. Nela existem problemas e dificuldades, mas também cuidado e amparo.
Preserva-nos na verdadeira doutrina e faz com que caminhemos de forma correta neste mundo. Muita coisa tenta nos enganar, falsas promessas de salvação aparecem a todo momento, permitas que possamos nos manter firmes em Jesus Cristo, que é o Caminho a Verdade e a Vida. Sabemos que nele temos acesso a ti.
Guia as autoridades em tua graça e sabedoria, para que governem conforme a tua vontade. Que a paz e a justiça verdadeira prevaleçam. Dá-nos sempre bons governantes, que se preocupem com o povo que sofre, esquecido e desamparado. Passamos por dificuldades nesse ano, uma enorme pandemia nos sobreveio, afasta esse vírus de nós, por tua compaixão.
Olha aos doentes, aos enlutados, aos perseguidos, aos que passam fome. Cuida deles! Também lembramos em oração das pessoas e motivos listados abaixo: (orar pelas situações levantadas).
Motivos de Oração
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
Conforta a todos com teu Santo Espírito e ajuda-nos a vencermos as tentações do dia-a-dia. Ouve nossas preces, Senhor. Nelas abrimos nossos corações diante de ti. Nem sempre tudo que está em nossa mente e nosso coração consegue ser expresso em palavras. Por isso, tudo que queremos dizer e não o conseguimos, incluímos na oração que Jesus Cristo, teu Filho e nosso Senhor, nos ensinou:

PAI NOSSO
Pai nosso ...

LITURGIA DE DESPEDIDA
BÊNÇÃO
Que o Senhor cuido de ti em todos os momentos!
Que o Senhor lhe dê amor e oportunidades para amar!
Abençoe-vos o Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espirito Santo (+). Amém.

ENVIO
Vamos em paz. Sirvamos a Deus e ao próximo. Que amemos o Senhor acima de todas as coisas e o próximo como também nos amamos.

CANTO FINAL
Nº 488 - LCI – Deus dos Antigos.

 

 


Autor(a): Pastor Ricardo Brosowski
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo do Tempo Comum
Natureza do Domingo: Pentecostes
Perfil do Domingo: 21º Domingo após Pentecostes
Testamento: Novo / Livro: Mateus / Capitulo: 22 / Versículo Inicial: 34 / Versículo Final: 46
Título da publicação: Caderno de Cultos - Sínodo Mato Grosso / Ano: 2020
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 58421
REDE DE RECURSOS
+
Continuem a crescer na graça e no conhecimento do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
2 Pedro 3.18
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br