Mateus 25.1-13 - Advento I

Caderno de Celebrações 2014/2015 - P. Reneu Prediger

01/12/2014

CULTO PARA DEZEMBRO 2014 – ADVENTO (I)
Tema: Advento! Vigilância e preparação!
Prédica: Mateus 25.1-13
P. Reneu Prediger – Espigão do Oeste/RO.


LITURGIA DE ABERTURA

Saudação:
Bom dia! Quero saudar e acolher a todos vocês com as palavras de Jesus: “Então vigiem, pois vocês não sabem quando o dono da casa vai voltar; se será à tarde, ou à meia-noite, ou de madrugada, ou de manhã.” (Marcos 13.35). Estamos em tempo de advento. O natal se aproxima. A chegada de Deus entre nós. E tempo de advento é tempo de preparação, de vigilância. Assim como nos preparamos para receber bem uma visita anunciada, assim somos chamados a estar vigilantes e preparados para receber o salvador. O cristão vive em comunidade e como igreja nós sabemos que Cristo já veio, continua vindo e um dia virá de maneira definitiva para unir as pessoas de fé e leva-las ao seu Reino Eterno. Então, o que está por vir é maravilhoso e nos anima a uma espera vigilante e a cuidar das coisas de Deus. Vamos louvar nosso Senhor, cantando:

Hino: Como hei de receber-te 1 (HPD) = 1 (ENE).

Invocação: Estamos reunidos em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.
O nosso socorro, nossa ajuda e salvação vêm do Senhor que fez o céu e a terra.
“Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela” (Sl 127.1).
Dependemos de Deus. Em Deus está a nossa esperança e nossa redenção. Diante dele nos acheguemos e confessemos a nossa culpa e suplicamos o seu perdão. Em pé para a oração:

Oremos: Louvado sejas tu, Senhor, por toda a eternidade. A ti pertencem a majestade, o poder, a maravilha, a vitória e o agradecimento; pois tudo o que está nos céus e na terra é teu. Teu Senhor é o Reino, e tu estás sobre tudo. Tu estás preparando a alegria sem fim, na festa da vida. Nós te agradecemos pelo tempo de advento. Tempo de preparação para a festa da alegria: a alegria de tua presença entre nós, alegria do tempo da graça e da salvação. Rogamos a Tua bênção e a tua proteção.
Ó Senhor, te pedimos também: perdoe os nossos muitos pecados, falhas e faltas, nossos desvios e fraco testemunho. Apague todo o mal de nossa vida por teu amor e por tua bondade. Só assim podemos ter um coração limpo e podemos ter comunhão contigo. Só assim somos purificados do mal e santificados na fé. Envia teu Espírito Santo para melhorar a nossa vida. Ouve, Senhor a nossa oração. Ouve-nos, quando, cantando te imploramos: Perdão, Senhor, perdão!
Com: Perdão, Senhor, perdão!

Kyrie: Senhor, Deus todo-poderoso! A ti nós trouxemos as dores e as pessoas que sofrem no mundo.
Quando ouvimos as notícias da nossa nação e do mundo, ficamos sabendo de tantas coisas ruins acontecendo: desviou de dinheiro público de um lado, falta de recursos em necessidades básicas como na saúde, e em consequência, pessoas doentes nos corredores, pessoas morrendo por não serem atendidas. Ou vemos também países ricos investindo milhões em armas e guerras, e países onde os pobres morrem de fome. Diante de tão grandes injustiças, nossa fé comunitária ainda continua sendo pequena. Junto com os profetas Habacuque (1.2); Jó (19.7), Isaías (6.11) e Jeremias (12.1) nós clamamos: até quando, Senhor, isto continuará assim? Pelas dores que existem no mundo imploramos: Tem, Senhor, piedade!
Com: Tem, Senhor, piedade! (3x)
Absolvição: Feliz aquele cujas maldades Deus perdoa e cujos pecados ele apaga!” O perdão que Deus concede faz parte da antecipação da festa eterna. Por isso, alegres podemos cantar: Glória a Deus nas alturas!
Com: Glória, glória, glória a Deus nas alturas. Glória, glória, paz entre nós, paz entre nós.

Oração: Querido e amado Deus! O tempo de advento novamente quer fazer voltar nossa atenção para a vinda do teu Filho, Jesus Cristo. Apresentamos-te assim como somos: Tu és a esperança, deixe penetrar a tua Palavra em nossa vida. Guarda-nos para que outras vozes não se colocam acima da Tua. Confiamos e queremos te render graças por todas as dádivas com as quais nos tens presenteado. Em nome da criança de Belém, que veio nos ensinar a humildade, o amor e a justiça é que oramos. Amém.
Hino: Buscai primeiro, 197 (HPD) ou 131 (ENE).

LITURGIA DA PALAVRA

1ª Leitura bíblica: Ezequiel 33.1-9.
Refrão: É como a chuva que lava, é como fogo que arrasa,
Tua palavra é assim, não passa por mim sem deixar um sinal.

2ª Leitura bíblica: Tiago 5.7-11.
“Não se enganem; não sejam apenas ouvintes dessa mensagem, mas a ponham em prática.” (Tiago 1.22). Aleluia.
Com: Aleluia!

Hino: Há sinais de paz e de graça, 165 (HPD) = 230 (ENE), ou Alerta, ó consagrados! 8 HPD.

“A graça de nosso Senhor, o amor de Deus e a comunhão o ES sejam convosco”. Amém.
Neste culto de advento, vamos ouvir a leitura de Mateus 25.1-13 e nesta palavra meditar:
“Jesus disse: - Naquele dia o Reino do Céu será como dez moças que pegaram as suas lamparinas e saíram para se encontrarem com o noivo. Cinco eram sem juízo, e cinco eram ajuizadas. As moças sem juízo pegaram as suas lamparinas, mas não levaram óleo de reserva. As ajuizadas levaram vasilhas com óleo para as suas lamparinas. Como o noivo estava demorando, as dez moças começaram a cochilar e pegaram no sono. - À meia-noite se ouviu este grito: “O noivo está chegando! Venham se encontrar com ele!”- Então as dez moças acordaram e acenderam as suas lamparinas. Aí as moças sem juízo disseram às outras: Deem um pouco de óleo para nós, pois as nossas lamparinas estão se apagando. - De jeito nenhum, responderam as moças ajuizadas. O óleo que nós temos não dá para nós e para vocês. Se vocês querem óleo, vão comprar! - Então as moças sem juízo saíram para comprar óleo, e, enquanto estavam fora, o noivo chegou. As cinco moças que estavam com as lamparinas prontas entraram com ele para a festa do casamento, e a porta foi trancada. - Mais tarde as outras chegaram e começaram a gritar: Senhor, senhor, nos deixe entrar!”- O noivo respondeu: “Eu afirmo a vocês que isto é verdade: Eu não sei quem são vocês”! E Jesus terminou, dizendo: - Portanto, fiquem vigiando porque vocês não sabem qual será o dia e a hora.
Prezada Comunidade!
a) A Festa: O Evangelho a nós anunciado é um convite para uma festa, uma grande festa do Reino do céu. Em festa há alegria. O ambiente é de encontro do noivo com os convidados. É o encontro das pessoas com o próprio Cristo ao chegar o dia final e não é ambiente triste, mas é festa.

Todos esperam esse dia e para ele se preparam. A fé não é irmã do descuido, por isso é preciso ser prudente e estar vigilante, ter óleo suficiente. Esta é a diferença entre os convidados.
b) A prudência: No RS do Sul existem os candeeiros. Candeeiro é um tipo de lamparina usado em locais onde não existe eletricidade. Podemos trazer o exemplo para perto de nós.
Os casamentos antigamente, antes da luz elétrica, eram iluminados por diversas lamparinas. Cada família convidada levava a sua e também reserva de combustível para a volta.
Tempos antigos, quando só havia picadas, muitas pessoas, de cacaio nas costas, iam mata adentro com mantimento e querosene para as lamparinas. Não se sabia quando voltaria à vila, pois com a chuva e as cheias, os rios transbordavam e não havia passagem. Era preciso ser pessoa prudente, e levar junto mais do que se necessitava para não passar apuros e necessidades.

Hoje, quando alguém sai de casa de carro para ir a algum lugar precisa estar atento com o combustível necessário para ir e voltar se não ficará no meio do caminho e terá problemas para chegar.
Ser prudente não significa exagerar as preocupações, mas ter capacidade de prever situações adversas e estar preparado para o imprevisto; não deixar ser vencido pelo inesperado.
O combustível para o cristão é ouvir a palavra de Deus, vivenciar o amor aos pequenos, que têm necessidades concretas. Isto é a forma de estar bem preparado para esperar a Jesus para a festa da vida.
Os convidados para a festa do Reino do céu hoje somos nós, comunidade cristã. Recebemos o convite e o aceitamos, pois ser convidado para uma festa é uma honra e alegria e para isso nos preparamos.
Quando Jesus falava em parábolas sobre o futuro, logo os discípulos perguntavam: Mas quando isto será? Que sinais vão preceder? (Lc 21.7; Atos 1.6). E Jesus respondeu: Cuidem para não serem enganados. Quanto ao dia e a hora ninguém sabe, somente o Pai que está no céu (Mt 24.36).
Nesta parábola o noivo tarda a chegar. É uma paráfrase da nossa espera pelo Cristo. É um apelo às atitudes que devem adotar os fiéis, na espera dessa vinda: a vigilância, e uma vigilância ativa, comprometida, responsável. Os primeiros cristãos esperavam a volta de Jesus ainda para seu tempo. E como não acontecia, desfaleceram na fé. E Pedro precisou explicar: “O Senhor não demora a fazer o que prometeu, como alguns pensam. Pelo contrário, ele tem paciência com vocês porque não quer que ninguém seja destruído, mas deseja que todos se arrependam dos seus pecados.” (2 Pedro 3.9).
Quando o noivo ou a noiva se atrasam no casamento há uma expectativa e ansiedade dos convidados que ali esperam: quando será que irão chegar? Todos procuram olhar para ver se eles já estão vindo. Quando eles finalmente chegam é bom - chegaram, que bom!

O noivo demora e as moças dormem. Tanto as sem juízo quanto as ajuizadas dormem. O sono aqui aparece como o comportamento de alguém que deve levar sua vida normal, na esperança. O importante é estar pronto. E que o faz com que se esteja pronto ou não é a reserva de azeite que se soube ou não prever. Então, mesmo que se durma, é a reserva de azeite que testemunha que se permanece à espera do futuro e, apesar de tudo, vigilante. A vigilância, para as virgens, está no fato de terem condições de acolher o noivo em sua chegada.

Poderíamos, à luz de 1 Co 7 afirmar, a partir da parábola, que os fieis são os que dormem como se não dormissem. “Eu dormia, mas meu coração estava acordado” diz a noiva do cântico dos cânticos (Ct 5.2). As pessoas de fé levam a mesma vida que os outros. Mas com a diferença de que suas reservas de azeite não são gastas inteiramente no tempo da espera, suas energias não se esgotam no presente. Sua vida, enquanto não se distingue em nada aparentemente da vida dos outros, permanece aberta para um horizonte que ultrapassa. Se permanece à espera do que “ninguém nunca viu nem ouviu, o que jamais alguém pensou que podia acontecer, foi isso o que deus preparou para aqueles que o amam” (1 Co 2.9). A vida de quem crê permanece perpassada pela vigilância. O importante é se as pessoas estão preparadas ou não para acolher o noivo quando ele chega.
c) A luz: Antigamente, quando não existia luz elétrica também aconteciam festas e encontros, visitas durante a noite e o pessoal se preocupava em ter combustível para as lamparinas porque afinal não se sabe bem quando os convidados vão se retirar e é vergonhoso não estar bem preparado.

Em lugar público há sempre lâmpadas de emergência que se acionam quando falta energia. Assim não é preciso ter medo, pois não ficará tudo na escuridão.

Quando se está bem preparado pode-se dormir tranquilo, porque quando chega a hora nada irá faltar. A luz de nossa fé não pode apagar.

Das 10, 5 levaram azeite de reserva. E é por causa de terem feito isso ou não que a parábola as qualifica como ajuizadas ou sem juízo (prudentes ou loucas). Aquelas que não pegaram o azeite de reserva são “loucas” não no sentido de que perderam a razão, mas, como alguém que constrói sua casa na areia, por agirem de maneira insensata, impensadamente, fazendo o que não se faz. Poderíamos dizer que são desorientadas, agindo com uma visão muito estreita, sem reflexão ou previdência! As ajuizadas são aquelas que, como o bom servo que cumpre sua obrigação (Mt 24.25), agem de maneira inteligente, sensata, adotando a conduta que convém.

Sem luz não se entra na festa do noivo Jesus. Jesus diz: “Eu sou a luz do mundo, quem me segue não andará na escuridão” e ele diz também: “Vocês são a luz do mundo”. O banquete acontece na luz de Deus, na sala iluminada, ao passo que fora reina a escuridão e a porta já está fechada. Na última hora o noivo não conhecerá quem ficou para trás. É uma enorme diferença estar dentro e estar fora.
d) Vigiar: Para a vinda de Cristo é preciso estar preparado, ter óleo suficiente e estar vigilante. Isto cabe aos discípulos fazerem.

O noivo chegou, entrou na sala das núpcias e fechou a porta e as virgens sem juízo chegaram tarde demais! Elas se viram diante de uma porta fechada e suplicaram ao noivo para deixa-las entrar. Em vão fizeram isso.

O acolhimento do reino de Deus não pode se contentar com boas intenções nem com consentimento teórico, mas reclama um compromisso efetivo e consequente.

A espera pelo Reino do céu e a entrada nele se decidem aqui. Não é a fé que espera somente pelo futuro e tudo se decidirá lá. Mas é fé atuante neste mundo que vive vigilante, que transforma em ação a vontade de Deus.

Tudo na parábola se organiza em função da vinda do noivo. E para esta vinda é necessário se preparar e não apenas ter boas intenções.

Que possamos, em nossa vida, não apenas viver com a luz das palavras bonitas, mas que esta luz seja alimentada pelo fogo, azeite da vida de fé, da palavra de Deus, da prática da verdade e do amor. Confissão de fé somada à vivência da fé é luz que brilha para iluminar a escuridão. E que a Palavra de Cristo possa abastecer nossa luz. Amém.

Confissão de fé: Em resposta à palavra ouvida, vamos juntos, em pé, confessar a nossa fé, com as palavras do Credo Apostólico:
Com: Creio em Deus Pai, Todo-Poderoso...

Comunicações:
- Presença do último culto foi de _____ pessoas.
- A coleta do último culto foi de R$ _____ destinada para ________.
- O próximo culto será dia _________ às ___ horas.
- Alegrias/ Preocupações: (Aniversariantes/doentes).
- A coleta do culto de hoje destina-se para ______.

Enquanto cantamos o próximo hino elas serão recolhidas. Que Deus abençoe dádivas e doadores.
Hino da coleta: Um barco carregado 4 HPD = 5 ENE!

Vamos nos colocar em pé para a oração de intercessão!
Oração de intercessão: Senhor, te agradecemos porque nos reúne em comunidade para nos orientar. Ajuda a tua Igreja no testemunho do Evangelho, para que muitas pessoas tenham fé, dão testemunho dela e alcancem a vida eterna por Tua graça e amor. Protege o nosso país. Abençoe todos os pobres, os que não têm teto que os abrigue. Faz-nos, Senhor, sermos “camarada” deles. Compadece-te de todos os povos da terra, para que haja paz no mundo. Ajude a cada um de nós a viver uma vida santa como nos ensina nosso Senhor Jesus Cristo. Abençoa a esta comunidade para que possa ser testemunha da tua vontade. Olha Senhor a todas aquelas pessoas que estão sofrendo com o luto; esteja com todas as pessoas que estão doentes dando a força que precisam para suportar este tempo de dificuldades. Senhor, todos os demais pedidos que temos colocamos diante de Ti através da oração que teu Filho Jesus Cristo, nos tem ensinado: Pai Nosso...

LITURGIA DE DESPEDIDA

Bênção: Como estiveres, Deus te guarde; Como pensas, Deus te use; Onde te encontrares, Deus te ilumine; Com quem estejas, Deus te guie; No que fizeres, Deus te ampare; Em todos os teus passos, Deus te abençoe.

Envio: Vivam em paz e sirvam ao Senhor com alegria!
Cantamos o último hino:

Hino final: Erguei os arcos triunfais 5 HPD = 3 ENE.


Autor(a): P. Reneu Prediger
Âmbito: IECLB / Sinodo: Amazônia
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo do Natal
Natureza do Domingo: Advento

Testamento: Novo / Livro: Mateus / Capitulo: 25 / Versículo Inicial: 1 / Versículo Final: 13
Título da publicação: Caderno de Celebrações - Sínodo da Amazônia / Ano: 2014
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 26480
REDE DE RECURSOS
+
Portanto, a fé é assim: se não vier acompanhada de ações, é coisa morta.
Tiago 2.17
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br