Mensagem da Presidência - Natal 2011

20/12/2011

Mensagem de Natal da Presidência - 2011

Luz que afasta a aflição
 

Há dois mil e setecentos anos, o profeta Isaías atuou em uma região onde as condições de vida eram precárias. O livro do profeta está recheado de palavras que apontam para essa realidade: invasão por soldados de outros povos, dominação, exílio, suborno, órfãos, leis injustas, lideranças corruptas e hipocrisia religiosa. Aquela terra estava tomada pela escuridão e o povo vivia uma grande aflição.

Setecentos anos antes de Jesus, foi assim: vida difícil, muito difícil, para milhares de seres humanos. Poderíamos dizer: É, naquele tempo... Tanto tempo atrás, a vida era difícil mesmo. Não podia ser diferente. Mesmo que essa afirmação fosse verdadeira, embora não seja, o que dizer diante da realidade, no Brasil, onde pessoas definham por causa da seca, ainda que este território seja rico em água no seu subsolo. Quando não falta chuva, a vida está constantemente sofrendo outros tipos de ameaças. Pensemos na violência do trânsito, nas grades diante das nossas casas, na oferta das drogas aos nossos filhos, nas filas nos hospitais, nos abusos em nome da religião, etc. Quanta atrocidade pelo mundo afora!

A verdade é que a vida não precisa e, pela vontade do Criador e mantenedor da vida, não deve ser assim, nem no Brasil nem em nenhum lugar. Isaías – há tanto tempo atrás! – foi enfático: Mas para a terra que estava [e está] aflita não continuará a obscuridade (Isaías 9.1). O profeta chega ao ponto alto dessa boa notícia: Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz (Isaías 9.6).

Uma criança! Mais uma apenas? De certo modo, sim. Viveu e experimentou todo tipo de ameaças. Nos braços da mãe, carregada por um burrico, conseguiu fugir e alcançar um local seguro. Mesmo assim, não foi simplesmente mais uma criança. Nessa criança Deus se fez gente e mostrou o seu rosto para a humanidade. Nela, Deus nos permite sentir a sua presença frágil, próxima, amorosa e, simultaneamente, poderosa, inconformada, transformadora e promotora de vida.

Ao acender essa luz no horizonte do povo aflito, Isaías canalizou o vigor da esperança dessa gente e deu-lhe uma clara perspectiva de futuro bom. As palavras do profeta foram impulso para esperança renovada. No lugar da escuridão e da aflição, sinalizaram para condições de vida marcada e determinada pelo que expressam as palavras paz e justiça. Com a vinda do Príncipe da Paz, a paz reinará plena, soberana.

Justiça e paz. Hoje, talvez o termo cuidado seja apropriado para resumir o que o menino, filho de Deus, quis com justiça e paz: cuidado com as palavras que pronunciamos, cuidado com nossos gestos e ações, cuidado com a natureza, cuidado nas relações familiares e entre povos, cuidado com o uso da religião, cuidado com o bem público... Cuidado.

Concretamente, esse prenúncio de Isaías significou – lá, naquele tempo – e significa, hoje, que a convivência no mundo criado por Deus pode ser diferente.

Com o nascimento do menino-príncipe-da-paz, Deus interferiu na nossa história e afastou a aflição com a Sua luz. Por isso é que celebramos o Natal! Feliz Natal!

Pastor Nestor Paulo Friedrich
Pastor Presidente
Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil

P. Dr. Nestor Paulo Friedrich
Pastor Presidente da IECLB


Autor(a): Nestor Paulo Friedrich
Âmbito: IECLB / Instância Nacional: Presidência
ID: 26394
MÍDIATECA
REDE DE RECURSOS
+
Continuem a crescer na graça e no conhecimento do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
2 Pedro 3.18
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br