Nossa Fé - Nossa Vida - O Culto

Reunião da comunidade Cristã

26/12/2010

Por que nos reunimos em culto?
Confiamos na promessa de Jesus Cristo de estar presente onde duas ou três pessoas estão reunidas em seu nome.

O Espírito Santo faz-nos reconhecer que Deus é nosso Pai e doador de todas as coisas. Faz-nos saber que Deus veio ao nosso encontroe nos serviu em Jesus Cristo. Faz-nos agradecer a Deus por este serviço, adorando-o e louvando-o.

O Espírito Santo fortalece a comunhão no encontro com outras pessoas. Faz-nos sair do isolamento. Confronta-nos com a palavra de Deus, fazendo-nos conhecer sua vontade. Pelo sacramento do santo Batismo certifica-nos de sua aliança. Pelo sacramento da Ceia do Senhor une-nos no mistério do corpo de Cristo, fortalecendo-nos para a missão de servir a Deus e ao próximo.

Onde se realiza o culto?
O culto acontece em local devidamente preparado, no templo ou em outro lugar. Deve favorecer um ambiente em que Deus nos serve com sua palavra, os sacramentos e a bênção e facilitar a adoração comunitária.

Por que culto em domingo?
Baseados no testemunho da Bíblia, trabalhamos seis dias e descansamos no sétimo. Desde o início, o dia de descanso foi santificado e chamado o Dia do Senhor.

Ele nos é oferecido para fortalecer-nos, em todos os sentidos, no viver diário. Para a comunidade primitiva, o primeiro dia da semana, tornou-se o Dia do Senhor por causa da ressurreição de Jesus Cristo, o evento central da fé cristã.

Por isso o domingo é um dia apropriado para celebrar cultos, embora também possam ser realizados em qualquer outro dia da semana.

Qual o sentido da forma de culto?
A forma de culto facilita a participação consciente das pessoas. Historicamente, nossa ordem de culto apresenta variações na forma, devido às diferentes tradições e situações de nossas comunidades.

Novas formas de culto, elaboradas no espírito da confissão luterana, podem ajudar-nos a compreendê-lo melhor.
Na medida do possível, essas formas devem ser adaptadas à ordem vigente. Isso ajuda a nos sentirmos ambientados, mesmo quando nos reunimos com irmãos ou irmãs em outro lugar.

Quem dirige o culto?
O culto é a reunião da comunidade em nome de Deus; é ela, portanto, quem o realiza. O pastor ou a pastora dirigem o culto, podendo encarregar, em concordância com o presbitério, outros obreiros e obreiras, membros ou grupos com a direção parcial ou total.

Qual o sentido das diferentes partes do culto?
Hinos e música no culto servem para expressar o que nos move como filhos e filhas de Deus, louvando-o e glorificando-o como nosso Criador, Salvador e Santificador.

Por intermédio da confissão dos pecados reconhecemos o quanto ficamos devendo perante Deus e as outras pessoas. Pedimos perdão e o recebemos pela proclamação da graça de Deus, que nos coloca na relação certa.

A prédica, que pode acontecer em diferentes modalidades, é a comunicação do evangelho. Ela nos confronta com a vontade de Deus, nos consola e lembrada nossa tarefa como pessoas cristãs, preparando-nos para a ação missionária em nossa vida diária.

Por meio da confissão pública da fé, glorificamos os feitos de Deuse nos comprometemos a viver, digna e responsavelmente,em comunhão com Deus, com as pessoas e o meio ambiente.

Nossa solidariedade com outras pessoas se torna concreta quando recolhemos a oferta, dada em gratidão a Deus e em favor do próximo.
Os anúncios e avisos servem para nos informar sobre realizações e acontecimentos relacionados com a vida em comunidade e sociedade, convidando para intercessão e ação.

Ao orarmos no culto, agradecemos pelas dádivas de Deus, por sua bondade e seu amor. Lamentamos pelos sofrimentos e pelas dores. Rogamos por seu auxílio e intercedemos em favor das necessidades do mundo, deixando de pensar apenas em nós mesmos. Na oração nos voltamos para Deus e para as pessoas.

O Batismo e a Ceia do Senhor transmitem-nos a promessa do evangelho em palavra visível e atuante.

A bênção, no fim do culto, assegura-nos que Deus está conosco em todas as situações. Incumbe-nos de passar adiante o que recebemos e aprendemos. Sob a bênção, saímos da reunião dispostos a viver o culto no serviço de Deus no mundo.


Volte para índice de Nossa Fé - Nossa Vida
 


Âmbito: IECLB / Instância Nacional: Concílio
Título da publicação: Nossa Fé - Nossa Vida Guia da vida comunitária na IECLB (8ª edição) / Editora: Editora Sinodal / Ano: 2011
Natureza do Texto: Documento consensuado
Perfil do Texto: Guia
ID: 1620
REDE DE RECURSOS
+
Muitos bens não nos consolam tanto quanto um coração alegre.
Martim Lutero
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br