O respeito pela diversidade: um compromisso de todos

Estudo

06/04/2008

O Tema do Ano 2008 da IECLB fala de reconciliação. Nada mais atual quando pensamos no nosso dia-a-dia. Os meios de comunicação estão cheios de notícias sobre guerras, intolerância religiosa ou étnica, violência entre grupos ou gangues rivais, entre outras tantas coisas. Mais do que nunca precisamos da reconciliação que nos é oferecida por Deus e precisamos trabalhar pela reconciliação entre as pessoas. A Igreja tem um papel importante neste processo, ela pode oferecer um caminho alternativo à violência e à intolerância - o caminho do amor e do respeito às diferenças.

Buscando refletir sobre algumas das ações da IECLB, além do trabalho já realizado junto aos idosos, às crianças e aos jovens, as questões da atualidade vêm recebendo maior atenção junto às atividades da Igreja, fortalecendo e confirmando o propósito da mesma na sua missão e no seu trabalho diaconal. “Deus não é racista” foi um texto apresentado em 1992, com o posicionamento da IECLB declarando sua inconformidade com os abusos, desrespeito e discriminação que os povos negro e indígena sofreram e, afirmando que “o propósito de Deus não está na segregação de grupos e categorias humanas, e, sim, na complementação de uns pelos outros e no serviço mútuo, usando cada qual o dom que recebeu”. Em Gálatas 3.28 podemos ler “Desse modo não existe diferença entre judeus e não judeus, entre escravos e pessoas livres, entre homens e mulheres: todos vocês são um só por estarem unidos com Cristo Jesus”.

Aqui você tem lugar” foi o Tema do Ano da IECLB para 1997/98. O tema foi desafiador e instigante, abrindo gradativamente espaços para discussões, superando algumas das dificuldades e permitindo a reflexão a partir de diferentes temáticas como homossexualidade, racismo, prostituição.

Em 1982, com a finalidade de assessorar e coordenar o trabalho da IECLB com os povos indígenas, foi criado o Conselho de Missão entre Índios-COMIN. Em 1996, o Grupo de Negr@s da Faculdades EST/IECLB, atual Grupo Identidade foi fundado, sob a liderança do Prof. Peter T. Nash. O grupo nasceu com a finalidade de auxiliar os/as participantes afrodescendentes no resgate de sua identidade Afro-brasileira, bem como aos demais conhecerem essa cultura, reafirmando o compromisso da Igreja com as questões étnico-raciais.

Em 2004, com a Declaração alusiva aos 180 anos de suas primeiras comunidades, a IECLB afirma: “... não podemos fazer nenhuma distinção de valor entre as pessoas, criadas todas elas à imagem de Deus, e pelas quais Jesus Cristo se doou. Afirmamos a necessidade de respeitar integralmente a diversidade cultural, étnica e religiosa”.

Considerando os aspectos acima mencionados e, buscando um diálogo mais próximo, foram realizados através do Grupo Identidade, três Simpósios .Abrindo as Portas da Igreja.. Em 2001, foi realizado o primeiro cujo objetivo foi elaborar um plano de trabalho e princípios teológico-pedagógicos para orientar nossa ação como igreja de Jesus Cristo nas questões étnico-raciais. Em 2003, o II Simpósio Abrindo as portas da Igreja oportunizou um balanço do que foi proposto e efetivado nos dois anos e a discussão de estratégias para as futuras ações do Grupo Identidade da EST até 2008, a curto, médio e longo prazo, entre elas a inserção da disciplina Teologia Negra, no currículo do curso de Teologia (implantada em 2005). No III Simpósio, realizado em 2006, inovamos e ampliamos a discussão junto às demais Igrejas. Esse, teve como Tema “Fé e diversidade cultural” e como objetivo geral refletir sobre a realidade das comunidades cristãs, comunidades negras e indígenas na sociedade brasileira, apontando estratégias de ações que poderão contribuir para a mudança e melhoria de vida nessas comunidades. (Relatórios disponíveis na IECLB).

Entre outros, o resultado dos Simpósios foi positivo, pois, nos últimos anos tem-se observado que a Igreja vem ampliando sua participação e evoluindo nos processos e encaminhamentos relacionados ao tema diversidade, com o objetivo de buscar alternativas para a inclusão social, para a paz e sobretudo o respeito à diversidade em todas as suas formas de manifestações (cultural, étnica, religiosa, sexual), conforme At 10.34 “Agora eu sei que, de fato, Deus trata a todos de modo igual, pois ele aceita todos os que o temem e fazem o que é direito, seja qual for a sua raça”.

O apóstolo Mateus nos lembra de que devemos buscar a reconciliação com nossos irmãos. “Se estiveres para trazer a tua oferta ao altar e ali te lembrares de que o teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa a tua oferta ali diante do altar e vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão; e depois virás apresentar a tua oferta” (MT 5.23-24) O apóstolo nos desafia a caminhar em direção àquelas pessoas com as quais temos diferenças, desentendimentos e buscar a reconciliação para somente então fazermos nossa oferta a Deus.

Sugestão de atividade prática:

Em pequenos grupos de 6 a 8 pessoas refletir sobre as questões que seguem:

1) Olhando para o cartaz do Tema do Ano de 2008 podemos ver diversas pessoas convivendo. O que este cartaz nos motiva a pensar sobre o tema Reconciliação entre diferentes povos e etnias?

2) Qual o papel da Igreja na resolução de conflitos raciais?

3) Quais os desafios que uma Igreja que quer ser missionária enfrenta ao se abrir para culturas e raças diferentes?

Após o diálogo em pequenos grupos reunir o grupo em plenária e motivar o diálogo compartilhando os comentários que surgiram em pequenos grupos.

Selenir Gonçalves Kronbauer
São Leopoldo/RS
 


Autor(a): Selenir Gonçalves Kronbauer
Âmbito: IECLB
Área: Missão / Nível: Missão - Multiculturalidade
Natureza do Texto: Estudo/Pesquisa
ID: 13669
REDE DE RECURSOS
+
Toda obra que não tenha por objetivo servir aos demais não é uma boa obra cristã.
Martim Lutero
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br