O silêncio pode falar muito alto

Senhas diárias

02/10/2019

O livro de Jó nos relata a amizade dele com estes amigos mencionados. Há altos e baixos nesta amizade, mas os versículos mencionados, 2.11,13, revelam sabedoria por parte deles. Muitas vezes há situações nas quais não cabe palavras. Apenas a presença de um amigo ou amiga traz o consolo necessário para o momento. Eles foram sensíveis à dor de Jó e apenas marcaram sua presença ao lado do sofredor. As desgraças que se abateram sobre Jó foram enormes e o que restava era falar com a presença e não com palavras. É possível imaginar esta cena, na qual Jó está vivenciando sua dor, e os amigos estão ali, ao lado, para encorajá-lo em meio à situação tão agressiva e dolorida. Podemos dizer que muitas vezes falamos demais e atrapalhamos quem sofre e quer lidar com sua dor. Vomitamos palavras que em nada contribuem para a pessoa absorver o que está acontecendo. O silêncio é, muitas vezes, o melhor remédio para enfrentar dores e dificuldades.
Paulo ressalta que quem tem amor, ou amizade, não desiste de quem ama. Pelo contrário, mantém sua postura de apoio e cuidado com a pessoa amada. Neste ponto, quem ama não desvia caminho, mas se doa para ver o bem acontecer e a pessoa superar suas dificuldades. Este é o propósito do amor que recebemos de Deus e que nos é proposto vivenciar em favor de quem temos ao nosso redor. Sejamos sensíveis às dores alheias e tenhamos o coração voltado para cuidar dos sofredores. Façamos assim. O Senhor nos ensinou e nos capacita com seu Espírito.


Autor(a): P. Luiz Carlos
Âmbito: IECLB / Sinodo: Sudeste / Paróquia: Rio Claro (SP)
Área: Confessionalidade / Nível: Confessionalidade - Prédicas e Meditações
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Meditação
ID: 53549
REDE DE RECURSOS
+
Ninguém pode louvar a Deus a não ser que o ame.
Martim Lutero
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br