ORAÇÃO da CRIANÇA de RUA

01/12/1997

ORAÇÃO da CRIANÇA de RUA

Meu nome não sei, meus pais não conheço, vivo na rua sem ter um lar. Muitas vezes, quase sempre, fico dias sem comer e beber.

Todos os dias as pessoas zombam de mim, meus cabelos despenteados sempre estão, estou sempre suja, amigos não tenho. Passo frio nas noites de inverno, o jornal não me esquenta; resfriada, todo o dia estou.

Por quê, meu Deus, por que este mundo é assim comigo? Se ao menos tivesse um lar, comida, escola, roupas. Fico feliz porque ainda existem pessoas que me dão alguma coisa.

Meu medo é que qualquer noite alguém me mate. Sonhos tenho muitos, mas o maior é ter uma família e uma escola.

Não tenho mais esperanças de que uni dia eu possa ser uma criança de verdade.

As pessoas dizem que uma criança é esperança, mas não sei do quê, se ninguém me vê como uma criança.

Meu Deus, faça com que meus dias sejam melhores.

Amém.


Bruna Krauspenhar, 10 anos
Linha Brasil, Nova Petrópolis, RS


Ver ìndice do Anuário Evangélico - 1998
 


Autor(a): Bruna Krauspenhar
Âmbito: IECLB
Título da publicação: Anuário Evangélico - 1998 / Editora: Editora Sinodal / Ano: 1997
Natureza do Texto: Oração
ID: 33111
REDE DE RECURSOS
+
A fé é um contínuo e persistente olhar para Cristo.
Martim Lutero
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br