Palavras, gestos e ações... O toque de amor que fortalece - 1 Reis 19.7

Estudo Bíblico

01/06/2020


Palavras, gestos e ações...
O toque de amor que fortalece
O Lema do Mês de Julho é uma palavra dirigida ao profeta Elias em um momento de desânimo e angústia profunda. Por meio do anjo, com a sua Palavra e o seu gesto, Deus intervém na vida de Elias com um toque de amor.
Elias foi um profeta muito importante e tem a sua história narrada nos livros de 1Reis (17-19, 21) e 2 Reis (1-2). Exerceu o seu ministério no Reino do Norte de Israel durante os reinados de Acabe e Acazias, entre os anos 874 e 852 a.C. Era um período marcado por fome, miséria, corrupção e idolatria. O significado do seu nome é Javé é Deus e essa foi a sua principal tarefa nesse contexto: proclamar que há um único Deus.
O rei Acabe havia se casado com Jezabel, que trouxe a sua religião e o culto ao deus Baal para a região da Samaria. Com isso, algumas pessoas do povo de Deus passaram a adorar também a Baal. Neste contexto, Deus chama Elias para agir e ele mostrou-se um homem corajoso, forte e de grandes feitos. Profetizou grande seca (1Rs 17.1ss), fez milagres (1Rs 17.17ss), enfrentou inimigos. Em tudo, foi motivado e sustentado por Deus. O seu trabalho exemplar o tornou um grande adversário de Jezabel e dos adoradores de Baal.
O auge do conflito ocorreu quando Elias propôs aos adoradores de Baal que preparassem um sacrifício, cada um ao seu deus, sem colocar fogo nele. Aquele que pegasse fogo sozinho demonstraria qual era o deus verdadeiro. O sacrifício que pegou fogo foi o que Elias preparou e muitas pessoas que viram o que aconteceu confessaram: O Senhor é Deus!
Depois disso, Elias foi ameaçado e precisou fugir para o deserto. Lá, ocorreu uma mudança drástica. O desânimo fez com que desejasse a própria morte. Muito triste, se deitou embaixo de uma árvore e clamou a Deus para que lhe tirasse a vida (1Rs19.4).
É nesse contexto que Deus toca Elias em sua fragilidade, lhe recobra as forças e abre o horizonte de possibilidades de vida. Deus permitiu que Elias se debruçasse sobre a sua dor. Por meio do anjo, providenciou subsistência das necessidades básicas e depois deu a instrução: Levante-se e coma; se não, você não aguentará a viagem. Fortalecido, Elias caminhou por 40 dias e 40 noites em direção ao Monte Horebe, onde teve uma experiência profunda de encontro com Deus. Deus o encaminhou a outros lugares, a fim de preparar novas lideranças políticas para o povo e despertar um novo profeta (Eliseu) para assumir o seu lugar.

Elias, em muitos aspectos, é semelhante a nós: às vezes, animado e produtivo, e, outras vezes, sem sentido para viver. Em muitos momentos, sentimos desânimo, angústia, temos dúvidas e medos. Em nossas angústias, temos dificuldade de sentir a presença e o cuidado de Deus. Nestas ocasiões, assim como fez com Elias, Deus usa diversas formas para nos tocar. O toque pode ser de uma pessoa amiga que nos faz olhar para fora da nossa dor. Esse toque não é necessariamente um toque físico, mas algo que alcança o nosso coração com palavras, gestos e ações. É o toque de Deus que nos fortalece. Para percebê-lo, é preciso abrir e ouvir o nosso coração e deixar que o toque do amor de Deus nos cure.


Dinâmica
Importante
Em função da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), a dinâmica elaborada para o Estudo Bíblico referente ao Lema do Mês (Julho) deve ser feita somente quando terminarem as restrições de proximidade física. Em tempo de isolamento social, a dinâmica pode ser adaptada e realizada em casa, pelas pessoas que ali convivem.
 
Acolhida e Saudação
1 Reis 19.7: O anjo do Senhor Deus voltou e tocou nele, dizendo: 'Levante-se e coma; se não, você não aguentará a viagem. Que o toque restaurador de Deus chegue a nós neste encontro. Amém.
 
Canto
Nada te turbe (LCI 595)
 
Oração
Amado Deus, frágil e debilitada é a nossa vida, mas grande é o teu amor. Toca agora os nossos corações com a tua Palavra e nos alivie e transforme. Amém.
 
Leitura
Reflexão sobre 1 Reis 19.1-8 (ao lado).
 
Desenvolvimento
Providenciar flores confeccionadas em papel, canetinhas hidrográficas e bacia com água. Pedir que cada pessoa pense em suas angústias e escreva no miolo da flor palavras que expressem os motivos que lhe causam sofrimento. Dobrar as pétalas da flor no sentido do miolo, fazendo com que ela fique fechada. Pedir que as pessoas coloquem as suas flores na água (a bacia deve estar no centro) e observem que: as flores irão se abrir e o que foi escrito com a canetinha sumirá na água. Convidar para que reflitam sobre a pergunta: Quais foram os momentos da vida em que você sentiu o toque amoroso de Deus que nos liberta das angústias? Abrir para reflexão.
 
Conclusão

Quando nos fechamos nas nossas angústias, não é possível nos libertar do que causa dor e sofrimento. Entretanto, quando nos abrimos para o toque de Deus, aqui representado pela água, podemos deixar que Ele trabalhe em nós e alivie as cargas. Uma flor, com as suas pétalas fechadas, não exala tanto o perfume e não mostra toda a sua beleza. Que Deus nos abra e nos toque, para que, livres do peso das nossas angústias, possamos servi-lo e adorá-lo, perfumando e colorindo o mundo. Amém.

O molde de flor pode ser utilizado na Dinâmica.


Pa. Roana Clara Gums | Ministra na Comunidade Concórdia, em São José dos Pinhais/PR 

REDE DE RECURSOS
+
Procuremos sempre as coisas que trazem a paz e que nos ajudam a fortalecer uns aos outros na fé.
Romanos 14.19
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br