Pentecostes - a celebração da ruptura

Saindo através de portas trancadas.

31/05/2020

Pentecostes 2020 PMLRio
Pentecostes 2020 PMLRio
Pentecostes 2020 PMLRio
Pentecostes 2020 PMLRio
Pentecostes 2020 PMLRio
Pentecostes 2020 PMLRio
Pentecostes 2020 PMLRio
1 | 1
Ampliar


Ev. de João 20.19-23

Prezada comunidade, o Domingo de Pentecostes é realmente especial. O pano de fundo do PENTECOSTES que vem à nossa mente é, sem dúvida o fato relatado em Atos.

Seguidores de Jesus estavam reunidos quando foram cheios do Espírito Santo.
Lá diz que todos os seguidores de Jesus estavam reunidos no mesmo lugar quando veio do céu um barulho que parecia o de um vento soprando muito forte. Então todos viram umas coisas parecidas com chamas, que se espalharam como línguas de fogo; e cada pessoa foi tocada por uma dessas línguas. Todos ficaram cheios do Espírito Santo. (Atos 2.1-4).

No texto do Ev. de João 20, que serve de base para esta pregação, o acontecimento pentecostal é recontado de forma mais breve e nos deparamos com uma pequena confusão: como pode alguém entrar em uma sala fechada, trancada?

Portas trancadas escondem pessoas com medo, sem condições de sair.
Atrás de portas trancadas se escondem pessoas com medo, que não estão em condições de sair. Trancamos as portas quando não queremos ou não podemos nos expor de jeito nenhum. Portas trancadas são escuridão, são prisão. É cena de suspense.

Por esta razão, como Pastor desta Igreja, quero hoje declarar:

PENTECOSTES — A CELEBRAÇÃO DA RUPTURA.

Jesus tem ou não tem corpo?
Quantas portas têm esta casa trancada?
Quem pode entrar no escuro do medo e trazer paz?
Quantas vezes os discípulos recebem o E. Santo?
Quantas vezes precisarão ouvir a promessa de que não ficarão sozinhos e abandonados à própria sorte?
Se todos estavam juntos, por que Tomé não viu tudo?
Por que tomé não estava presente quando deveria lá estar?
A saudação é de PAZ e está associada ao perdão – perdão para quem?
Quem perdoa? Podemos reter o perdão?

O conteúdo desta narrativa é espontâneo e hábil em criar suspense em nós.
O texto de João 20 começa como uma prosa (v.19-21) e segue como uma antiga poesia hebraica (v.22-23). Seu conteúdo é tão espontâneo que parece sempre já ter feito parte de um mesmo escrito, saído de uma só pena; texto hábil em criar suspense em nós. Um produto literário de primeira mão que causa impacto especialmente nos dias de hoje. E cada um sabe o momento que está vivendo, mesmo que não expresse isso em suas portas trancadas.

5 temas cristãos — temas centrais e fundantes da Igreja nascida no Pentecostes — ficam evidenciados neste rico texto: a) aparição do ressurreto; b) alegria renovada da Páscoa; c) o fator Espírito Santo; d) conhecimento da nova missão; e) perdão dos pecados.

Medo e esperança são experiências coletivas que o Ressuscitado ajuda a vencer.
Observemos a descrição estática do ambiente. Entre outras coisas, vamos encontrar o plural “portas” (19a) para nos fazer imaginar o lugar dos acontecimentos. Isso indica um lugar maior que a casa particular – uma sala grande ou um cenáculo, talvez — onde se reuniram os que tinham medo. E por que não deixar com que os discípulos tivessem mesmo esse medo? Medo e esperança são experiências coletivas, não é mesmo?

É nestas circunstâncias que João apresenta a segunda pessoa da trindade, Jesus ressurreto, e não o Jesus Nazareno.

A alegria da Páscoa é revitalizada com o Pentecostes e recebe nova dimensão.
Shalom é a saudação do Cristo da Páscoa. A alegria da Páscoa é revitalizada e dimensionada em três grandezas relacionais distintas: Deus com o ser humano, as pessoas entre si e a humanidade com a natureza. É desta forma abrangente que devemos entender a saudação pentecostal do Cristo ressurreto (que não é hipocrisia, doutor!)

O autor da PAZ soprou sobre esta gente envolvida no medo (v.22). O fator Espírito Santo” revela seu lado criador - SPIRITUS CREATOR. Antes esta expressão e notícia somente acontecera no episódio descrito em Gênesis 2.7. O ser humano ganha aqui Espírito Santo, sem artigo. É nova criação. É criada a nova comunhão dos santos, a Igreja Santa Una Apostólica.

Pessoas recriadas pelo Espírito estão aptas para a nova missão: perdoar.
Nesta nova comunhão do Espírito Santo pessoas são recriadas pelo Espírito e estão aptas para a nova missão. É a capacitação de uma nova geração instruída a perdoar pecados. Não se trata de uma ordem, mas sim de uma promessa que se cumpre ao natural onde age o SPIRITUS CREATOR.

Não perdoamos pecados em nosso nome, e sim em nome daquele que nos comissionou para tal. O perdão de pecados não acontece porque alguém adquiriu a sublime capacidade e virtude de perdoar após longos exercícios meditativos. O perdão é consequência da ação do Espírito Santo. Perdão traz reconciliação em dois níveis: consigo mesmo e com o próximo resultando em salvação. E falar de salvação nem faz sentido sem saber que a perdição está no medo da falta de fé.

2020.
Temos a maior oportunidade que já nos foi dada para anunciar o Evangelho de Cristo.

PENTECOSTES. Temos diante de nós a maior oportunidade que já nos foi dada como Igreja para anunciar o Evangelho de Cristo de paz e perdão. A pandemia do CV19 é uma doença horrível com a qual nos defrontamos e nos mete medo. Não tem nada de errado viver este medo. É literalmente uma t-r-a-g-é-d-i-a. Perceba: Deus usou a maior de todas as tragédias da história mundial, a cruz de Cristo, e a tornou na maior de todas as forças. Deus agora usa a tragédia da covid-19 para tornar isso em poder de transformação. O momento que estamos vivendo não tem a ver com política e também não tem a ver com esta doença horrível. Sim, vivemos grande dúvida e medo, e o mundo todo está confinado nesta sala escura de muitas portas. Bem por isso este momento tem a ver com a Igreja de Cristo. O que ela está fazendo aqui na terra? Qual é sua mensagem? Quais são as respostas que a Igreja de Cristo Jesus está dando?

Milhões de pessoas passaram a se perguntar por Deus. Milhões de pessoas ao redor do globo passaram a procurar Jesus, graças aos Cultos Virtuais. E quem pergunta precisa de respostas corajosas e carinhosas.

Concluindo
É o meu e o seu “sim diante da obra do Espírito Santo Criador da paz que vai fazer a diferença neste mundo que busca esperança. É o nosso “sim diante da palavra de Deus que vai influenciar o que acontecerá na humanidade daqui pra frente. Uma dessas palavras é muito clara e parece ser adequada ao momento que vivemos. “Quando eu fechar o céu e não deixar que chova, (…) ou mandar uma peste atacar o povo, então, se o meu povo, que pertence somente a mim, se arrepender, abandonar os seus pecados e orar a mim, eu os ouvirei do céu, perdoarei os seus pecados e farei o país progredir de novo.” 2Crônicas 7:13-14.

Prezada comunidade.
Arrependimento, entrega dos caminhos e da vida a Jesus Cristo, recomeçar como novas criaturas, saber-se pertencente ao Deus e Pai de Jesus Cristo e a Ele somente, é indicativo para transformação duradoura. Entregas tua vida a Jesus, confia nele, e o mais Ele fará.

Amém


Autor(a): Pr. Rolf Rieck
Âmbito: IECLB / Sinodo: Sudeste / Paróquia: Rio de Janeiro - Martin Luther (Centro-RJ)
Testamento: Novo / Livro: João / Capitulo: 20 / Versículo Inicial: 19 / Versículo Final: 23
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 56998
REDE DE RECURSOS
+
Confie no Senhor. Tenha fé e coragem. Confie em Deus, o Senhor.
Salmo 27.14
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br