Ó que mil línguas eu tivesse

LCI 611

15/05/1704

 

1. Ó que mil línguas eu tivesse e bocas mil para cantar;
que Deus alento e dom me desse, não cessaria de exaltar
em hinos o seu grande amor e o que me fez o bom Senhor!

2. Ó que esta minha voz soasse até o sol com seu fulgor;
e que meu sangue jubilasse, enquanto sinto seu ardor;
que fosse o alento gratidão e cada pulso uma canção!

3. Quem bênçãos sobre mim derrama? Só tu, Senhor, benigno Deus!
És tu, meu Pai, que tanto me ama, guardando-me nos transes meus!
Suportas minha transgressão; paciente, dás-me teu perdão.

4. Senti em toda a minha vida quão milagroso é teu guiar.
Sim mesmo sendo adversa a lida, sempre me guias, sem errar;
Pois na maior tribulação, Senhor, me dás consolação.

5. Como não hei de, jubiloso, cantar o teu divino amor?
Por que no mundo tenebroso eu temeria morte e dor?
Se vier o céu a desabar, nem mesmo então triste hei de estar.

6. Quero exaltar tua bondade, enquanto a língua se mover,
louvando a tua caridade, enquanto o coração bater;
sim, quando a boca se calar, hei de exaltar-te, a suspirar.


Autor da letra: Johann Mentzer

Autor da melodia: Johann Balthasar König


Autor(a): Johann Mentzer
Âmbito: IECLB
Hino: 261. Ó, que mil línguas eu tivesse
Natureza do Texto: Música
Perfil do Texto: Hino
ID: 15921
MÍDIATECA
REDE DE RECURSOS
+
A Palavra de Deus é a relíquia das relíquias, a única, na verdade, que nós cristãos reconhecemos e temos.
Martim Lutero
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br