Ó Santo Espírito do Senhor

Comentário e Reflexão

15/09/2013

Letra: 1ª estrofe do século 13; 2ª-4ª estrofes de Martin Luther, 1525

Melodia: do séc.13, Jistebnitz 1420; adaptado em Wittenberg 1524.

Textos bíblicos: 1 Coríntios 12.3; Filipenses 2.2+3; Filipenses 3.20. 

HPD 82 Ó Santo Espírito do Senhor (Nun bitten wir den heiligen Geist) faz parte do grupo1  dos primeiros corais luteranos. A primeira estrofe já era conhecida no século 13. Ela é uma das mais antigas “Leisen” em língua alemã2. Martin Luther apreciava muito esta Leise. No ano de 1523, dentro do texto da “Formula Missae”, ele escreveu: “Faltam-nos poetas. Por isso, por enquanto, admitimos que se cante após a distribuição da Santa Ceia ‘Deus seja louvado e exaltado, pois pessoalmente nos alimentou...etc.’Além desta canção também interessa ‘Ó Santo Espírito do Senhor’.” No ano de 1524 ele pessoalmente compôs mais três estrofes. Além da primeira estrofe ainda a segunda e a quarta estão em nosso hinário. A terceira foi omitida. Infelizmente, o tradutor não se esforçou a permanecer fiel ao texto original.

A 1ª estrofe, no original alemão, é uma prece dirigida ao Espírito Santo. Pedimos que o Espírito Santo nos dê principalmente “a verdadeira fé”. Essa fé queira confortar-nos no fim da vida, quando voltamos deste mísero mundo para a pátria celestial (Fp 3.20). O monge Berthold von Regensburg (1210-1272)3   transmitiu essa antiga Leise numa de suas prédicas. Por isso conclui-se que ela já era bem conhecida no século 13. Na época foi cantada principalmente em funerais. Ali a palavra final Kyrieleis (no sentido de “Senhor tem piedade”) se ajusta muito bem. Em nosso hinário HPD 82 consta entre os hinos para Pentecoste.

Na 2ª estrofe Martin Luther compara o Espírito Santo com uma “sagrada luz” que brilha ou “resplandece”. Ela ilumina nossa mente ou entendimento. Ela nos faz conhecer quem é Cristo. Aqui a tradução é mais fiel ao original. Compare esta estrofe com a explicação de Martin Luther ao 3º Artigo do Credo Apostólico no Catecismo Menor: “Creio que por minha própria inteligência ou capacidade não posso crer em Jesus Cristo, meu Senhor, nem chegar a ele. Mas o Espírito Santo me chamou pelo Evangelho, iluminou com seus dons...”

Nas 1ª e 2ª estrofes Martin Luther ressaltou a importância da fé. Na 3ª estrofe ele passa a falar do amor cristão, que é presente do “doce amor”. Ele usa termos da antiga antifonia latina „Veni Sancte Spiritus...“, a qual se baseia nos textos bíblicos de Efésios 4.2+3 e Filipenses 2.2.

Tu, doce amor, presenteia-nos com tua graça,

deixa-nos sentir o fogo (ou calor) do amor,

que nos amemos uns aos outros de coração

e vivamos em paz unidos, tendo todos o mesmo sentimento.

Kyrioleis.4

Esta oração pelo verdadeiro amor é tão importante como a prece pela verdadeira fé. Exatamente hoje em dia, onde é grande a influência de egoismo e desamor, brigas e separações, precisamos da ação do Espírito Santo, para que voltem a reinar amor ao próximo, paz, união e „o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus“ (Filipenses 2,5).

O conteúdo da 4ª estrofe podemos resumir com a palavra „Esperança“. Nós não temos motivos para desesperar nas turbulências desta vida. O Espírito Santo é chamado de „poderoso Consolador“ (João 14.16+26; João 15.26). Ele nos consola e pode „revestir-nos com vigor“ (Atos 1.8). Ele pode dar-nos coragem para enfrentar toda sorte de desventuras, inclusive a própria morte e o juizo final.

A mais antiga publicação das quatro estrofes deste hino encontra-se na Coleção de Corais de Johann Walther, de 1524. No mesmo ano o hino também foi publicado no „Teutsch Kirchen ampt“ de Estrasburgo. No ano de 1525 apareceu em vários Enchirídios. Porém, em nenhuma destas edições consta o nome do autor. Somente a partir de 1528 (Enchiridion de Zwickau) encontra-se como autorMartin Luther. No ano de 1542 Luther incluiu este hino em sua coleção de „Christliche Gesänge, lateinisch und deutsch, zum Begräbnis“ (Cânticos Cristãos , em latim e alemão, para funerais).

Notas:

1.Outros são HPD 18 (Natal) e 57 (Páscoa)

2. “Leisen” chamavam-se as canções que terminavam com “Kyrie-eleison” cantado pelo povo em língua alemã depois que o coro havia encerado o cântico litúrgico em latim.

3.Berthold de Regensburg era frade mendicante que atraia grande número de ouvintes. Em suas prédicas criticava a sociedade capitalista da primeira fase.

4. Inglês:

Thou sacred Love, grace on us bestow,

Set our hearts with heavenly fire aglow

That with hearts united we love each other,

Of one mind, in peace with every brother. Lord, have mercy!

Fontes:

Michael Fischer em http://www.liederlexikon.de/lieder/nun_bitten_wir_den_heiligen_geist

Otto Schlisske, Handbuch der Lutherlieder, Göttingen, 1948

Veja (inglês): http://en.wikipedia.org/wiki/Nun_bitten_wir_den_Heiligen_Geist


Autor(a): Leonhard Creutzberg
Âmbito: IECLB
Hino: 82. Ó santo espírito do Senhor
Natureza do Texto: Música
Perfil do Texto: Comentário ou reflexão sobre hino
ID: 25159
REDE DE RECURSOS
+
Antes da criação do mundo, Deus já nos havia escolhido para sermos dele por meio da nossa união com Cristo, a fim de pertencermos somente a Deus e nos apresentarmos diante dele sem culpa.
Efésios 1.4
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br