Tema do Dia da Igreja 2014 – Diaconia – é tratado no encontro de ministros e ministras

08/05/2014

1
2
3
1 | 1
Ampliar

A Diaconia, tema base do Dia da Igreja do Sínodo Nordeste Gaúcho 2014, norteou o Encontro de Ministras e Ministros do Sínodo Nordeste Gaúcho, coordenado pelo pastor sinodal Altemir Labes, no dia 6 de maio, em Igrejinha (RS). A celebração de abertura, realizada pelas diáconas Sônia Hining e Sônia Henkel, introduziu o tema a partir da leitura de Lucas 10.25-37, que traz a história do bom samaritano, com perguntas desafiadoras: Como é nossa diaconia? De que forma a praticamos nas nossas comunidades e nos contextos onde vivemos? “Muitas vezes, somos reservados com sujeira, cheiros ruins, crianças com piolho nos cabelos, pessoas drogadas , entre outras”, disseram. “Quem realmente já deu um abraço, se colocou ao lado de alguém nessas condições?”

As comunidades luteranas têm bons exemplos de trabalhos diaconais. Mas, às vezes, estes ficam dentro dos muros da igreja. “Não nos negamos a praticar diaconia, mas, de certa forma, nos resguardamos bastante”, lembraram as diáconas. “Devemos refletir sobre a história do bom samaritano e a mensagem do capitulo 37, onde Jesus disse – vá e faça a mesma coisa que ele fez.”
Diaconia transformadora
 “Na teologia luterana, diaconia é compreendida como amor, como entrega incondicional, como dedicação e com firmeza que conduz ao agir através do amor doado por Deus a nós. Este agir é uma ação refletida que parte da fé em Jesus Cristo e que busca a transformação social, na qual tanto a pessoa cuidada como a cuidadora é considerada sujeito de transformação. A diaconia age de forma integral num contexto de sofrimento , onde a dignidade e os direitos se encontram ameaçados”. A definição foi trazida pela coordenadora programática da Fundação Luterana de Diaconia, Marilu Nörnberg Menezes, que abordou a Diaconia Transformadora.
A vida é complexa e é perpassada por diversas dimensões – biológica, material, social, espiritual, cultural, mental e emocional –, que devem considerar questões de segurança, participação e desenvolvimento. Para transformar as realidades, é preciso considerar todo o conjunto, e identificar, caso a caso, quais os direitos violados, para a superação do sofrimento. “Muitas vezes decidimos pelas outras pessoas, sem perguntar o que realmente precisa ser feito”, lembrou Marilu.
Ainda, é fundamental lembrar que diaconia transformadora é Direitos: direito à saúde, à educação, direito à mobilidade, direito ao trabalho, a uma vida digna, a um meio ambiente preservado. “Não se trata apenas de direitos individuais, mas de todo o coletivo. Agir com as outras pessoas – não por elas e nem para elas – mudando uma realidade de injustiças e de desigualdades.”
Dia da Igreja
Os preparativos do Dia da Igreja 2014 também estiveram na pauta. O pastor sinodal Altemir Labes informou sobre o andamento da organização, esclarecendo algumas questões práticas. As comunidades e paróquias já estão se preparando para o grande evento, marcado para 31 de agosto, em Nova Petrópolis (RS).
 

COMUNICAÇÃO
+
Que Deus, que é quem dá paciência e coragem, ajude vocês a viverem bem uns com os outros, seguindo o exemplo de Cristo Jesus.
Romanos 15.5
© Copyright 2024 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br