Uma estrela brilhou lá no céu

LCI 371

01/12/2014

 

1. Uma estrela brilhou lá no céu,
cá na terra acendeu-se uma luz,
luz singela estendeu o seu véu,
apontando o caminho de cruz.
É a mão do Senhor Criador,
boas novas que o Reino produz.
Como orvalho na madrugada,
à ternura nos conduz,
agasalho, a mão camarada,
a chegada do Filho Jesus.

Estr.:
Ao viver, vou cantar, ao cantar, vou servir,
o alento é de vinho e de pão.
de vinho e de pão o alento da cruz
pra você minha irmã, meu irmão.

2. Mundo velho rasgou o seu véu,
despertou, se rendeu ao perdão,
quem chorava virou menestrel,
festejou, demonstrou gratidão.
Mundo novo surgiu, despontou,
percebendo o evento da cruz,
qual criança solta o seu grito,
tão bonito, exultou,
alegria volta ao aflito,
a semente de Cristo brotou.

3. Que diremos agora, então,
ao ouvir que o Senhor é por nós,
que Jesus estendeu sua mão,
lá da cruz partilhou sua voz,
que angústia, nudez, aflição,
não mais podem de Deus separar?
Não há nada no mundo inteiro
que nos possa derrotar.
O eterno é Deus timoneiro
que nos salvą ao ressuscitar.


Autoria da letra e da melodia: Oziel Campos de Oliveira Junior
 


Autor(a): Oziel Campos de Oliveira Junior
Âmbito: IECLB
Natureza do Texto: Música
ID: 49098
REDE DE RECURSOS
+
A misericórdia de Deus é como o céu, que permanece sempre firme sobre nós. Sob este teto, estamos seguros, onde quer que nos encontremos.
Martim Lutero
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br