Vai e fala! - Prefácio

01/01/1978

PREFACIO

A publicação de um livro de prédicas e, em si, desaconselhável, por uma série de motivos. Qual a finalidade de uma tal publicação? Evidentemente, a leitura e também o uso de tais prédicas. Contudo, como todos sabem, uma prédica não é simplesmente transferível de uma situação a outra e, muito menos, de um pregador ao outro. Está comprovado, também, que uma coleção de prédicas na biblioteca pode levar muitos a desleixarem o preparo autônomo da própria pregação. Fora disso, uma tal publicação não deixa de ter seus problemas para o autor, que dessa maneira se expõe de modo irreversível, colocando em letras impressas manifestações muito pessoais, nem sempre pensadas e fundamentadas com a devida intensidade e profundidade, e portanto demasiadamente vulneráveis ã crítica de qualquer um. 

Se, apesar de tudo isso, consenti na publicação das minhas prédicas, o fiz pensando nos muitos leitores leigos que me tem — procurado em anos passados e nos tantos outros que não conheço e que semanalmente pregam a palavra em nossas igrejas, sem contarem com o devido preparo. Posso imaginar também que colegas meus, teólogos formados, possam, vez por outra, extrair daqui algumas ideias para a atualização de um texto. O que não se justifica, porém, em nenhum dos dois casos, e a transferência pura e simples de uma destas prédicas para a boca de qualquer pregador e para qualquer situação. Os pensamentos aqui desenvolvidos sempre terão que ser devidamente adaptados. O mesmo acontece com a linguagem. Que estas prédicas possam ser usadas em tal sentido, servindo assim de auxilio para quem tem a ingente tarefa de pregar a palavra. 

A capa estampa a torre da antiga igreja da Rua Senhor dos Passos 202, em Porto Alegre, entre os edifícios da cidade. Embora só tivesse pregado uma vez no velho templo, pouco antes de ser derrubado, foi para aquela comunidade que proferi a maioria destas predicas, em quase dois anos de pastorado (outubro de 1968 a junho de 1970). Gostaria de ver simbolizada também, na pequenez e timidez dessa igrejinha dentro da metrópole, a pequenez e timidez do vaso de barro que somos nos e nossas palavras, no torvelinho e diante dos problemas do mundo atual. Vasos pequenos e tímidos, mas portadores da palavra que tem a promessa de não voltar vazia. E, nesta qualidade, devedores de obediência à ordem de Deus aos seus mensageiros: Vai e fala: (Ex.: Is 6.9; Jr 28.13). Os talentos nos foram confiados. Não podemos deixá-los enterrados. A tarefa é quase insuportável, mas a promessa j imensa. Portanto, vamos e falemos! 

Dedico este livro à memória de Breno Schumann, meu amigo irmão desde a adolescência, pregador fiel, criativo e corajoso, que muita falta nos faz. 

Nelson Kirst

Veja:
 Nelson Kirst
Vai e fala! - Prédicas
 Editora Sinodal
 São Leopoldo - RS
 


Autor(a): Nelson Kirst,
Âmbito: IECLB
Título da publicação: Vai e fala! - Prédicas / Editora: Editora Sinodal / Ano: 1978
Natureza do Texto: Artigo
ID: 19916
REDE DE RECURSOS
+
O Senhor guardará você. Ele está sempre ao seu lado para protegê-lo. Ele o guardará quando você for e quando voltar, agora e sempre.
Salmo 121.5 e 8
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br