Ó vem, Senhor, o dia declinou

Comentário e Reflexão

29/06/2012

HPD 282 – Ó vem, Senhor, o dia declinou

O hino cristão Abide with Me = “Ó vem Senhor, o dia declinou” é certamente um dos mais populares se não o mais popular de hinos vespertinos e será achado nos hinários de todas as denominações cristãs. O texto foi composto pelo poeta e hinólogo escocês Henry Francis Lyte (1793-1847) pouco antes da sua morte em 1847. Foi explicado no mesmo dia no seu sermão para a congregação na sua igreja da paróquia de Todos os Santos em Lower Brixham, Devonshire . De fato o impacto emocional da situação em vista da morte e a ocasião das suas últimas palavras para a congregação sente-se intensamente nas palavras do hino. Três semanas depois ele foi conhecer o Senhor, tendo morrido de tuberculose.

Naquele tempo, o que mais ocupava a mente de Henry Francis Lyte, era morte e a necessidade da presença do Senhor nestes momentos difíceis, quando as trevas crescem e o medo aumenta”. Quando é em vão “buscar conforto” em outro lugar, só uma coisa não falha, a saber: dirigir-se ao Redentor e gritar por socorro: “Ó vem, Senhor!”. (1ª estrofe)

No tempo, quando ainda não havia luz elétrica, o sol era símbolo de vida e esperança. Mas quando o dia declina, o sol se põe, as trevas crescem e não se enxerga mais a luz, então desânimo e temor assustam. Feliz quem então sabe para onde dirigir sua oração: “Ó vem, Senhor!” (2ª estr.)

Não podemos negar a vaidade da vida, sua natureza precária, suas alegrias passageiras e a realidade cruel da morte, quando “a tentação me sobressalta” e “escuridão desanima” e o corpo está “sem vigor.” (3ª estrofe) Mas mesmo assim podemos dirigir nosso pensamento àquele que é a Luz da Vida, e clamar “Ó vem, Senhor!”

As 4ª e 5ª estrofes são uma confissão de fé de alguém que viveu com o Senhor Jesus e conhece o conforto da Palavra de Deus. O início da 4ª estrofe lembra as palavras do Salmo 23,4:”Ainda que eu ande no vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, pois tu estás comigo”. E os últimos dois versos refletem a vitoriosa certeza do apóstolo Paulo (I. Coríntios 15,55 e 57): “Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão?...Graças a Deus que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo.”

Portanto, o que fazer, quando a “vida vier a declinar”? Dirigir o olhar ou o pensamento para a cruz, onde Jesus venceu sobre pecado, morte e diabo. E lembrar da ressurreição e do fulgor da vida eterna, e confessar “Comigo estás, eu creio em ti, Senhor”. (5ª estrofe).

Este hino bonito é cantado no mundo inteiro por cristãos em tempos de luto e profundas aflições. A música foi composta por William Henry Monk (1823-1889), editor musical do Hinário da Igreja Anglicana, o famoso “Hinos Antigos e Modernos”, e foi incluído na primeira edição daquele hinário em 1861. - Sra. Monk descreveu com suas próprias palavras o contexto: ”Esta melodia foi escrita numa época de grande aflição - quando junto nós assistimos, como nós fizemos diariamente, as glórias do pôr do sol. Quando o último raio dourado enfraqueceu, ele pegou algum papel e pincelou a melodia, e esta se espalhou por todo o mundo”.

Fonte: http://www.sheetmusic2print.com/Hymns-Sheet-Music/Abide-With-Me.aspx


 


Autor(a): Leonhard Creutzberg
Âmbito: IECLB
Hino: 282. Ó vem, Senhor, o dia declinou
Título da publicação: Hinos do Povo de Deus Comentados / Ano: 2012
Natureza do Texto: Música
Perfil do Texto: Comentário ou reflexão sobre hino
ID: 15511
REDE DE RECURSOS
+
Ó Deus, meu libertador, tu tens sido a minha ajuda. Não me deixes, não me abandones.
Salmo 27.9
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br