Sínodo da Amazônia



Avenida Paraná , 431 - Novo Horizonte
CEP 76962-053 - Cacoal /RO - Brasil
Telefone(s): (69) 9845-48890 | (69) 8454-8890
sinododamazonia@gmail.com
ID: 8

2 Coríntios 13.11-13

Caderno de Celebrações 2015 - 2016 - Sínodo da Amazônia

29/06/2015

CULTO PARA JULHO 2015
Departamento de Música e Liturgia do Sínodo da Amazônia
Leitura Bíblica: Salmo 8; Mateus 28.16-20;
Pregação: 2 Coríntios 13.11-13
Pª Dimuht Marize Bauchspiess

LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA
Bom dia/boa noite a todos. Sejam bem vindos a este culto. Saúdo a todos com a palavra Bíblica que se encontra em Gálatas 4.6 “Para mostrar que vocês são seus filhos, Deus enviou o Espírito do seu filho ao nosso coração, o Espírito que clama: Aba, Pai!”

Acolher os/as visitantes

CANTO DE ENTRADA
Nº 242 - ENE – Vento que anima
Ou: Nº ____________________________________________________

SAUDAÇÃO
Estamos reunidos neste culto em nome do Trino Deus: Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Amém. Invocamos a presença do Espírito Santo cantando o canto de nº...

CANTO DE INVOCAÇÃO
Nº 50 - ENE – Vem, Espírito Santo, vem
Nº ____________________________________________________

CONFISSÃO DE PECADOS (em pé)
Confessemos diante de Deus os nossos pecados.
Tenhamos um momento de silêncio.
Oremos: Senhor, Deus misericordioso, chegamos a tua presença de forma humilde e em confiança, reconhecendo nossa culpa diante de ti por causa de nosso pecado causado por falta de amor ao próximo, nossa fraqueza na fé e a nossa desobediência aos teus ensinamentos. Pedimos perdão também por todos os pecados que cometemos e nem nos damos conta, e por isso clamamos pedindo a tua misericórdia. Por isso humildemente te pedimos: Tem Senhor Piedade! (3x)

ANÚNCIO DO PERDÃO
Quem com sinceridade confessa os seus pecados e deles se arrepende e tenta não cometê-los novamente ouve as palavras de perdão que se encontra em Isaías 44.22 onde nos diz: “Já perdoei as suas maldades e os seus pecados; eles desapareceram como desaparece a cerração. Volte para mim, pois eu sou o seu salvador”. Amparados nesta palavra podemos crer que nossos pecados foram perdoados em nome do Deus Pai, filho e Espírito Santo. Amém. Assim como creem, assim será. Amém.

KYRIE
Como comunidade reunida, somos chamados a clamarmos a Deus para amenizar o sofrimento, a injustiça, a violência, pedindo pela paz de Deus. Clamamos pelas dores deste mundo, cantando: Pelas dores deste mundo...

GLÓRIA IN EXCELSIS
Na certeza que Deus ouve, perdoa e reconcilia, glorifiquemos a Deus cantando:
– Gloria a Deus nas alturas

ORAÇÃO DO DIA

Senhor, Deus misericordioso, tu desejas que possamos viver bem e por isso deste o teu Filho em nosso favor. Neste encontro viemos a ti suplicando por ajuda para sermos corretos no pensar e agir. Pela tua palavra que se fez verbo e nos encheu da verdade, permita que permaneçamos firmes, escutando o que queres nos ensinar e fazer viver, pois sabemos que tu és um Deus de amor e paz e que desejas o melhor para nós. Amém.

Nº 160 - ENE – A lei do senhor é perfeita

LITURGIA DA PALAVRA

LEITURAS BÍBLICAS

1ª Leitura Bíblica: Salmo 8

Aclamemos o Evangelho cantando: Aleluia (ficar em pé para ouvir o evangelho)

2ª Leitura Bíblica: Mateus 28.16-20

Nº 195- ENE – A tua palavra é semente

PREGAÇÃO: 2 Coríntios 13.11-13

Querida comunidade!

Às vezes, olhamos para nossa vida e pensamos que só nós é que temos problemas. Que tudo acontece apenas conosco. Que apenas para nós as coisas estão difíceis. Às vezes, olhamos para a nossa família e pensamos que é só lá em casa que as coisas não vão bem! Às vezes, olhamos para nossa comunidade e pensamos que só nós temos dificuldades e problemas.
Creio que o texto de hoje nos mostra algo importante. As palavras que lemos neste texto são as palavras finais de uma carta muito dura que o Apostolo Paulo escreve à comunidade. Eu fiquei impressionada, que após tratar temas tão quentes e difíceis, onde Paulo foi obrigado a expor, um a um os problemas da comunidade e de algumas pessoas da comunidade, as palavras finais fossem essas:
Ouçam com atenção: 2 Coríntios 13.11-13.
“E agora, irmãos, até logo. Procurem ser corretos em tudo. Escutem bem o que eu digo. Tenham todos o mesmo modo de pensar e vivam em paz. E o Deus de amor e de paz estará com vocês. Cumprimentem uns aos outros com um beijo de irmão. Todo o povo de Deus manda saudações. Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês!”
“Onde á paz, um pedaço de pão seco tem sabor de açúcar, e um copo de água é como vinho suave; onde há paz, tem-se a metade do céu, onde ela falta, a metade do inferno.” Foi assim que Martim Lutero exaltou os benefícios da paz.
O apóstolo Paulo também sabe como ela é preciosa. Por isso, no final da segunda carta aos Coríntios, depois de tratar de problemas que havia naquela Igreja e defender-se como servo, pelo qual Cristo fala, ele é positivo e recomenda que todos vivam em paz. Em tom cordial, pede que cada cristão faça um autoexame, a fim de verificar se realmente a sua fé está depositada em Jesus. Ele ora para que todos pratiquem o bem, deixem-se aperfeiçoar, consolem-se uns aos outros, vivam em harmonia e em paz.
A paz, da qual fala Paulo, não é a que o mundo pode oferecer que é boa, mas passageira, e sucumbe com qualquer vento da adversidade, mas é a que flui do trino Deus, Pai, Filho e Espírito Santo.
1. Explicando um pouco mais o texto
Nosso texto está cheio de Palavras-chaves. Palavras que são fundamentais para entendermos o que Paulo quis dizer aos cristãos de Corinto e também a nós hoje.
A primeira delas é “ser correto” em tudo. A ideia que está por trás desta palavra é a de aperfeiçoar-se sempre mais. Não é uma tarefa que pode ser realizada uma vez e pronto. É tarefa para ser realizada sempre de maneira nova. Jamais estará concluída! Creio que esta é uma das coisas mais importantes que se podem aprender na vida. É quase como aprender a viver! Viver é estar sempre se aperfeiçoando, fazendo tudo o mais correto possível.
A outra palavra, é “escutem bem o que eu digo” é, na verdade, uma palavra muito complexa, que tem dois significados: Por um lado, ela quer dizer exatamente o que acabamos de ler. É como se Paulo estivesse dizendo que o que ele tem para falar é muito importante e precisa ser ouvido. Mas por outro lado, esta palavra pede para que os cristãos de Corinto tenham ouvido para as necessidades uns dos outros, para que eles se consolem mutuamente, para que eles façam algo de bom por eles mesmos. Eu creio que as duas dimensões desta palavra fazem parte dela. Nós precisamos ouvir aquilo que Deus tem a nos dizer, mas também precisamos ouvir uns aos outros, consolar-nos, fazer algo por nós mesmos.
A terceira palavra também é muito importante. Quando foi lida, ouvimos a seguinte expressão: “Tenham todos o mesmo modo de pensar”. Quando ouvimos esta palavra, logo pensamos que todos devem ter a mesma opinião sobre o assunto, que nossas respostas devem ser idênticas. Mas não é nada disto. O que, na verdade, esta palavra quer dizer é que todos devem olhar para o tema proposto com um mesmo desejo e sentimento. Todos devemos olhar para as coisas procurando o que de melhor pode ser encontrado nelas. Todos podemos ter ideias diferentes, opções diferentes, mas todos precisamos partir da misericórdia, do perdão, da paz e do amor. Isto é estar de acordo.
Uma quarta palavra que sempre incomoda a comunidade cristã é o “beijo de irmão”. Nos dias de hoje, talvez isto nem faça mais sentido, pois a maioria das pessoas já se cumprimenta com um beijo no rosto. Mas para os cristãos do tempo de Paulo, isto era uma expressão de muita afeição, amizade e amor fraterno. O beijo era na verdade um sinal visível que eles eram cristãos. Hoje em dia, temos o abraço da paz. É algo que realizamos muitas vezes antes da Santa Ceia para simbolizar que a comunhão que almejamos vai além de palavras. A gente abraça o irmão, o amigo, e também estranho.
Por fim, as três últimas palavras que aparecem neste texto já nos são conhecidas. Mas quero apenas frisar o seu significado, porque tenho a impressão de que algumas palavras se tornam vazias quando as usamos demais. Elas são “graça, amor e comunhão”. Não quero trazer uma nova definição da palavra graça. Quero lembrar apenas os momentos em que este Jesus Cristo se apresentou como um Deus gracioso. Graça é perdão dos pecados, como aquele oferecido a mulher adúltera, ao filho pródigo. É a libertação oferecida aquele homem endemoninhado, que vivia nos cemitérios, e que depois do encontro com Jesus pode voltar para sua família. É o carinho deste Jesus para com as crianças, pegando-as em seu colo e abençoando. Foi a cura recebida depois de passar 38 anos em cima de uma cama, sem que ninguém ajudasse.
O amor! Também não quero falar o que é o amor, quero apenas lembrar que o maior amor é dar a vida pelos irmãos. Este foi o gesto de Deus para conosco. Em Jesus Cristo, Deus que é amor, mostrou todo seu amor por nós dando ao mundo o seu filho amado para vivermos por meio dEle. Jesus dá a sua vida para que possamos viver do amor. Amor é cruz, é sofrimento, a alegria da ressurreição, vida eterna.
A última palavra é comunhão. Para entendermos o significado desta palavra precisamos trazer a lembrança de como viviam aos primeiros cristãos, lá em Atos 2.42. Aquela comunidade, aquelas famílias estudavam a Bíblia e a história de Jesus, repartiam o pão, oravam uns pelos outros, se visitavam, faziam coletas para ajudar os mais pobres e se fosse preciso vendiam suas coisas para ajudar.
Todas estas palavras são de um significado muito profundo, pois não são apenas palavras, mas sim sentimentos, desejos, sonhos, fracassos e vitórias que experimentamos em nossas vidas.
O tema do ano de 2014, de nossa Igreja era: VIDAS EM COMUNHÃO. Precisamos buscar essa comunhão entre-nos, principalmente em nossos dias atuais onde o individualismo esta em alta, onde não se tem tempo para ninguém. Mas por outro lado podemos ter contato com gente de toda parte do mundo, mas não conhecemos o nosso vizinho de porta. Com o avanço tecnológico veio muita mudança em nossas vidas, onde não sabemos direito como usar isso tudo em nosso favor. Com todo esse avanço vivemos numa época onde os valores estão sendo mudados, ou melhor, dizendo os conceitos já existentes estão sendo questionados e transformados. Há também uma grande inversão de valores ou distorções de valores.
Precisamos resgatar a comunhão entre as pessoas. Pois estamos ficando uma sociedade doente. Onde o stress e a depressão estão no auge. Mesmo em meio a muita gente as pessoas estão sozinhas. As pessoas não se olham mais nos olhos. Falta calor humano. As pessoas conversam muito via telefone, celular e internet. Mas não sabem o que dizer um para o outro quando estão de cara a cara. Tudo é muito artificial e volátil.
No começo da pregação eu disse que não entendia porque, depois de expor os problemas da comunidade, das famílias e das pessoas, e não eram poucos, basta ler esta carta para percebê-los, Paulo termina dizendo até logo. Nós não teríamos dito, até logo, mais sim até nunca mais. O evangelho aqui escondido mostra que mesmo com todos os nossos problemas e dificuldades é em nós que Deus aposta para construir sua Igreja e preparar o seu reino.
O Deus criador, cujo amor cria todas as coisas, também cria a paz. Do seu amor, manifesta-se a graça de Cristo, que veio viveu, morreu e ressuscitou por nós, fazendo-nos dependentes da sua graça. Perdoados, temos paz com Deus (Romanos 5.1). É ela que garante a metade do céu, agora e, completo na eternidade, que o mundo não pode oferecer. Finalizo com as palavras que Jesus profere no evangelho de João 14.27a: “Deixo com vocês a paz. É a minha paz que eu lhes dou; não lhes dou a paz como o mundo dá.” Amém.
(Mensagem baseada na pregação do pastor Rui Schneider)

Nº 230 – ENE - Há sinais de paz e de graça

CONFISSÃO DE FÉ (ficar de pé)
Em resposta a Palavra de Deus que foi lida e pregada confessamos a nossa fé com as palavras do Credo Apostólico: Creio em Deus Pai,...

CANTO PÓS-CONFISSÃO (proceder motivação e o recolhimento das ofertas)

Nº149 - ENE –Graças, Senhor, eu rendo muitas...

ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Motivos de Oração:
1. Aniversariantes
2._______________________________________________________
3._______________________________________________________
4._______________________________________________________
Oremos: Senhor Deus misericordioso, concede-nos paz real e duradoura, como prometeste através de Jesus Cristo. Aperfeiçoa-nos nela através do teu perdão, a fim de que, em meio ás adversidades, possamos viver em harmonia com todas as pessoas. Faze com que a graça do Senhor Jesus Cristo, o teu amor e a presença do Santo Espírito sejam significativos em nossa vida e na comunhão com nossos irmãos.
Senhor te pedimos pelas pessoas doentes, com dificuldades de relacionamento, pelos desanimados, que a tua mão bondosa ampare a cada um e restaure suas forças e suas esperanças, dando animo para continuarem a vida, mesmo diante das dificuldades e privações.
Tudo mais que esta em nossas mentes e corações queremos te entregar através da oração que Jesus Cristo nos ensinou a dizer Pai Nosso...

Pai nosso...

LITURGIA DE DESPEDIDA

AVISOS
Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Oferta último Culto: R$ _________ - destinada para...
______________ _________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

BÊNÇÃO
Que o Senhor te abençoe e te guarde, que o Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti, que o senhor sobre ti levante o seu rosto e te dê a paz. Amém.

ENVIO
Ide em paz e no amor de Deus, e sirvam a ele com alegria. Amém.

CANTO FINAL
Nº 178 - ENE – Vejam que belo


Autor(a): Dimuht Marize Bauchspiess
Âmbito: IECLB / Sinodo: Amazônia
Testamento: Novo / Livro: Coríntios II / Capitulo: 13 / Versículo Inicial: 11 / Versículo Final: 13
Título da publicação: Caderno de Celebrações 2015 - 2016 / Editora: Sínodo da Amazônia / Ano: 2015 / Volume: I
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 31527

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

Jamais a fé é mais forte e gloriosa do que ao tempo da maior tribulação e tentação.
Martim Lutero
EDUCAÇÃO CRISTÃ CONTÍNUA
+

REDE DE RECURSOS
+
A intenção real de Deus é, portanto, que não permitamos venha qualquer pessoa sofrer dano e que, ao contrário, demonstremos todo o bem e o amor.
Martim Lutero
© Copyright 2024 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br